Crer em Deus é confiar nele

Lições do Salmo 36

1 Há no meu íntimo um oráculo a respeito da maldade do ímpio:
         aos seus olhos é inútil temer a Deus.
   
2 Ele se acha tão importante,
         que não percebe nem rejeita o seu pecado.
   
3 As palavras da sua boca são maldosas e traiçoeiras;
         abandonou o bom senso e não quer fazer o bem.
   
4 Até na sua cama planeja maldade;
         nada há de bom no caminho a que se entregou,
         e ele nunca rejeita o mal.
   
 5 O teu amor, SENHOR, chega até os céus;
         a tua fidelidade até as nuvens.
   
 6 A tua justiça é firme como as altas montanhas;
         as tuas decisões insondáveis como o grande mar.
         Tu, SENHOR,preservas tanto os homens quanto os animais.
   
 7 Como é precioso o teu amor, ó Deus!
         Os homens encontram refúgio à sombra das tuas asas.
    (Salmos 36:1-7)

Quando lemos o verso cinco deste Salmo 36, a respeito do alcance da fidelidade e do amor de Deus, precisamos fazer esta prova: em uma noite estrelada, olhar o céu e dar cordas à imaginação...

Em agosto de 1989 a nave espacial Voyager2 chegou perto do planeta Netuno, que dista 2.8 bilhões de kilômetros de distância da terra, na borda do nosso sistema solar. A mesma nave transmitiu fotos maravilhosas de um mundo estranho e tormentoso, um planeta coberto de uma névoa de hélio e hidrogênio, com ventos de 1.500 milhas por hora. A mesma nave descobriu uma tempestade espetacular com ventos que excediam 50.000 kilômetros por hora. A Voyager 2 demorou 12 anos para chegar no final do que é o nosso sistema solar. Depois de enviar fotos para a terra, continuou sua viagem pelo espaço. Logo recebemos esta incrível noticia: no ano 40.176 passará a 1.7 anos luz da estrela Ross; no ano 296.036 provavelmente chegará a 4.3 anos luz da estrela Sirius.

Saber que o amor e a misericórdia de Deus estão presentes nessa imensa amplitude espacial, é algo que desafia a qualquer imaginação. Poderíamos fazer outra prova da imaginação, para que possamos entender o texto. Por exemplo: “Sua justiça é imóvel assim como a cordilheira de Sierra Madre”, no México. E, sua justiça é tão profunda como o Oceano Pacífico. Mas, espero que tenham compreendido a idéia.

I. Tua fidelidade chega até as nuvens (V. 5)
O versículo 5 diz assim: “Teu amor, SENHOR, chega até os céus; a tua fidelidade até as nuvens”.

No início, o salmista compara o caráter de Deus à natureza. Faz o possível para explicar que não há nenhuma dúvida de que Deus é digno de nossa confiança. Ele é digno porque, de certa forma, nenhum ser humano, nem governo, nem programa, nem quantidade de recursos financeiros, nem sequer sucesso pessoal é capaz de suprir todas as nossas necessidades, mesmo as mais urgentes – só Deus.

“O teu amor, SENHOR, chega até os céus…” O amor de Deus indica que ele é alguém de quem podemos depender. O Todo Poderoso não nos decepcionará. Alguns de nós conhece o canto “Grande é a tua fidelidade”. A letra é simples, mas nos faz pensar na segurança que temos em suas promessas. Caso alguém não conheça, ele diz assim:

Tua fidelidade é grande
Tua fidelidade é incomparável
Não há ninguém como Tu, bendito Deus
Grande é tua fidelidade

Todos nós conhecemos as passagens que nos asseguram que o Senhor merece nossa confiança, e que nunca nos decepcionará nem nos abandonará. Este Salmo é um dos que nos infunde confiança no Senhor.

“A tua justiça é firme como as altas montanhas…” A “justiça de Deus”; quer dizer que podemos depender de sua santidade e integridade, incomparáveis em tudo o que faz e diz. Por sua justiça, sabemos que Deus é o melhor amigo do homem.

“Como é precioso o teu amor, ó Deus!” Podemos entregar nossa vida a ele e estar seguros de que ele cuidará de nós; mas, o fará na hora e da maneira em que achar pertinente. Salmos 33:5 diz: “Ele ama a justiça e a retidão; a terra está cheia da bondade do SENHOR”.

II. O homem confia (v. 1-4, 7b)
Por Deus ser confiável, nossa reação é confiar nele. 

No Salmo 36:7b é tão somente uma das 50 ocorrências da palavra “confiar” nos Salmos. Indubitavelmente, a confiança é um dos grandes temas desse grandioso livro, como também de toda a Bíblia.

Note que a confiança, em Salmos 36:7b, contrasta com os primeiros quatro versos. No Salmo 36:1-4, encontramos a descrição do maligno que não confia em Deus.

O que significa “confiar em Deus”? Não basta dizer “confio no Senhor”, de maneira superficial. Quando tomamos um suco de frutas, sabemos que estamos enchendo nosso organismo com alguma coisa boa: tem água, que é vital para a vida humana; tem os minerais e outras propriedades das frutas; o açúcar; etc. Mas, se ao invés de beber o suco eu penas o passasse pelo meu corpo, o que aconteceria? Além de ser algo estúpido, seria desagradável para a roupa e para a pele. Desfrutamos do beneficio nutritivo do suco quando o bebemos.

O mesmo ocorre ao se confiar em Deus: para ser uma confiança pura, deve originar-se no fundo do coração. Há que centrar tudo o que temos na experiência de confiar em Deus, desenvolvendo uma fé constante, que não se move, mas que move montanhas...

É por isso que muitos cristãos vivem vidas medíocres: não confiam em Deus. Se acustumaram a fazer de conta que confiam, mas não depositam sua confiança real nas coisas de Deus.

Crer em Deus é confiar nele, segundo o título desta lição. Conseguimos isto ao entregar a ele todo o dia que temos pela frente. Se deixarmos que Deus nos controle, então passaremos por provas até mesmo sem entender, mas teremos a confiança em Deus que sabe o que acontece tanto agora quanto no futuro.

Um escritor britânico Osvaldo Chambers escreveu estas sábias palavras: “O Confiar está vinculado à minha fé em Deus nos dias em que não entendo o que acontece comigo; se entendesse não teria necessidade de confiar.”

Confiamos em Deus porque ele é digno de nossa confiança. Nas experiências do passado com Deus, quando confiamos nele, ele nos atendeu as orações, dando-nos tudo o que precisávamos e ainda mais. Note que eu disse que nos deu o que precisávamos e não o que lhe pedimos, já que não sabemos como pedir. Às vezes, nossos pedidos servem para nossa própria destruição. Por isso, Deus seleciona o que pedimos e nos outorga o que na realidade precisamos. Suas bênçãos nos servem por muitos e muitos anos.

Disse um comentarista de televisão. “Quer fazer Deus rir? Então fale a Ele de seus planos”. Falta-nos visão e fé para podermos planejar; com o conhecimento do poder de Deus podemos planejar com confiança.

III. Deus satisfaz (V. 8-12)
Na última parte do Salmo 36, o salmista faz uma coisa muito diferente: conclui o salmo com más notícias. Normalmente há más notícias no início, mas no final o tom muda e termina positivo. Os versos 8 a 10, que oferecem satisfação, contrastam com os versos 11 e 12. No verso 12, há uma mensagem resumida a respeito da desesperança dos que não confiam em Deus.

Salmos 36:12: “Lá estão os malfeitores caídos, lançados ao chão, incapazes de levantar-se”.

Temos uma alternativa: podemos ser fracos por nossa falta de confiança ou podemos nos assegurar que Deus nos satisfaz, se confiarmos nele.

Salmos 36:8-10 nos proporciona uma descrição da maneira em que nos satisfazemos. Leiamos: “8 Eles se banqueteiam na fartura da tua casa, tu lhes dá de beber do teu rio de delícias. 9 Pois em ti está a fonte da vida; graças à tua luz, vemos a luz. 10 Estende o teu amor aos que te conhecem, a tua justiça aos que são retos de coração”.

Ao ler os Salmos 37:25, obtemos um testemunho adicional de como Deus nos satisfaz. Diz assim: ”Já fui jovem e agora sou velho, mas nunca vi o justo desamparado, nem seus filhos mendigando o pão.”

Um homem saiu de viagem em um navio com sua filha, porque sua esposa tinha morrido recentemente. Enquanto estavam juntos e a sós no navio, tentando suportar a dor da grande perda, a menina perguntou ao seu pai: “Papai, será que Deus nos quer tão bem quanto quer a mamãe?”

A princípio o pai não sabia o que dizer, mas tinha certeza de que não podia deixar de responder à pergunta. Apontando até o horizonte, disse: “Filhinha, o amor de Deus abarca mais longe que o horizonte”. Dando meia volta continuou: “O amor de Deus abarca mais do que você pode ver no horizonte desse lado”. Em seguida, o pai olhou o céu e disse o mesmo sobre o amor de Deus. Finalmente, apontou para o fundo do oceano e disse: “O amor de Deus é mais profundo que o oceano também.” Depois de escutar tudo o que seu pai lhe havia dito, a menina respondeu: “Oh papai, que bom que estamos aqui no meio do amor de Deus!”.

Sabia que, se você confiar em Deus verdadeiramente e não de forma superficial, você também estará no centro do amor de Deus? Deus é confiável. Quando o homem confia nele, ele lhe satisfaz. Confie nele hoje mesmo e prove a satisfação de seu poder. O amor de Deus e sua justiça são grandes.

Outra menina disse que o amor de Deus é tão grande que alcança além dos céus, e tão pequeno que cabe no coração das crianças.


Conclusão:

Assim como um anfitrião solícito, o Deus de amor infinito está parado na porta e dá-nos as boas vindas com o bom e o melhor de sua casa. Oferece-nos beber em rios abundantes, e a todos provê com a sua luz, verdade, vida e sabedoria, para apreciarmos e desfrutarmos do mundo atual e do que ainda está por vir. Seja agradecido e desfrute disto.

Vamos terminar com uma oração:

Oremos: Senhor, nos dê a compreensão da tua misericórdia, para que nosso coração seja sinceramente agradecido, e para que possamos cantar louvores a ti não somente com os lábios, mas com nossa vida diária. Pelo santo nome de Jesus Cristo. Amém.

Perguntas para meditação:

    1. Descreva uma situação na qual você desfrutou da misericórdia de Deus

    2. Como você reage ao receber o amor de Deus?

    3. Até onde vai a misericórdia de Deus?

   4. Como é a justiça de Deus?

   5. Alguma vez teve misericórdia de alguém?

   6. O que é necessário para se poder ter misericórdia de alguém?  

(Para voltar ao site "Sermões e Seminarios" favor clicar aqui: www.luisseckler.blogspot.com