Como manejar um texto bíblico

Ler Hebreus 4:12 

Há varias maneiras de se manejar um texto bíblico. Qual é a correta?

Havia um pregador que gostava de pregar sobre o batismo. Selecionava textos bíblicos acerca desse tema em cada mensagem que pregava. Os presbíteros da igreja se cansaram de escutar-lhe falar do batismo. Então decidiram que a única maneira de resolver o problema seria sugerir o texto do qual deveria pregar.

Dessa forma, lhe pediram que pregasse sobre Apocalipse 9:1-12 (Esse texto no menciona batismo nem água). No domingo seguinte, o pregador, de pé em frente a congregação, lê Apocalipse 9:1-12, e começa sua mensagem dizendo: “A propósito, notaram que este é um dos poucos textos na Bíblia que não menciona o batismo? E, por falar em batismo, gostaria de dizer estas palavras…”

Um evangelista que maneja bem a Escritura não deveria usar mal ou abusar o texto. Tampouco deveria selecionar um texto e usa-lo como plataforma de um sermão que seja desligado da passagem. Não devemos pregar uma palavra da Bíblia, mais bem, pregar a palavra de Deus.   

Em Romanos 10:17 lemos: “Conseqüentemente, a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo”. É através da pregação de toda a palavra que Deus promete convencer o perdido e leva-lo a sua presença. A Bíblia, propriamente interpretada, é a base e não o entorno, da mensagem. Em Hebreus 4:12 há uma explicação: “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração”.
 
A pregação eficaz no evangelismo de hoje é conhecida  como evangelistica expositiva. Essa é a pregação que divide a Escritura de tal maneira que os ouvintes não só sabem o que o pregador disse, mas que sabem onde na Bíblia Deus disse a mesma coisa, muito antes que o evangelista. Ao pregar assim, não estará comunicando seus pensamentos sobre Deus mas os pensamentos de Deus aos ouvintes.

Para fazer pregações expositivas, em que deve o evangelista ocupar-se enquanto prega a palavra?

I. Certificar-se de que sua mensagem é a mensagem de Deus. Um evangelista que prega sermões expositivos, ao pregar a palavra, deve ter tanto respeito pelo texto que sempre que o lê, o explica. Em vez de pregar “ao redor” do texto, prega do mesmo texto bíblico. Podemos dizer que usa o texto bíblico. Se o texto é João 3:1-15, a historia de Nicodemos, ele explicará claramente João 3:1-15. Se seu texto é de um verso, como Romanos 4:5, o ouvinte compreenderá Romanos 4:5. Sua mensagem e a mensagem do texto são idênticas. E se uma pessoa não concorda com o conteúdo da mensagem, seu desacordo será, na realidade, com Deus. O evangelista meramente repetiu o que Deus disse.

II. Não tirar a Escritura fora de seu contexto
Suponhamos que um amigo te diz três coisas, por exemplo:

1) “Estive na casa de José”                                                                                                              2) “José tinha a lareira acesa”                                                                                                         3) “Isso me lembrou do inferno”

Sem só repetisse a primeira e a terceira coisas, diria que esteve na casa de José e que sua casa lhe lembrava o inferno. Obviamente, não foi isso o que de realmente disse seu amigo. A segunda sentença esclarece a verdade. Para entender o que disse, é necessário entender o contexto completo.

Seria mais fácil para o evangelista tirar passagens fora de seu contexto. Porém, a palavra de Deus tem seu significado. Foi escrita por Deus a um povo específico que viveu numa época também específica. É importante examinar qual era o significado original ao povo que vivia naquela época para poder aplicar a palavra ao povo de nossa época.

Em 1 Samuel 20:3, David disse a seu amado amigo Jonatás: “… vive Jeová y vive tu alma, que apenas hay un paso entre mí y la muerte”. Uma vez que o texto diz o seguinte: “…eu juro pelo nome do Senhor e por sua vida que estou a um passo da morte", o evangelista poderá ser tentado a usar esse texto com os perdidos e dizer: “Há apenas um passo entre vocês e a morte. Deves vir a Cristo esta noite”.

Porém não é esse o significado do verso. David não estava falando da brevidade da vida e da necessidade dos pecadores de arrumar sua vida com Deus. Do contrario, estaria confidenciando a Jonatás o temor que tinha de Saul, quem tentava matar-lhe. O contexto da passagem não é a necessidade de um pecador de ir a Deus, mas a necessidade que tinha David de fugir da presença de Saul.

O evangelista expositivo prega a palavra em seu contexto apropriado. Quando o evangelista interpreta um verso, o faz a luz da passagem em que se encontra. Por esse motivo, quando começa a pregar, o evangelista da as palavras da Bíblia o mesmo significado que Deus lhe deu. Estuda a situação histórica e a posição geográfica do texto. Chega até a  imaginar, como se estivesse de pé num caminho cheio de pó, vê a gente, e ao escutar o Maestro afirmar: “Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim, nunca terá fome; aquele que crê em mim, jamais terá sede”. (João 6:35) O evangelista pode explicar o que a palavra quer dizer ao povo de hoje, porque entende o que significava ao povo daquela época. Caso contrario, estará pregando somente palavras da Bíblia, e não a palavra inspirada.

É por isso que o evangelista deve eleger seu texto cuidadosamente. Não pode escolher um texto dirigido a cristãos e prega-lo como seu tema principal aos não cristãos. Deve escolher um texto que seja dirigido aos não cristãos, como o do evangelho de João (3:31). Outra opção seria escolher um texto que ensine os crentes como achegar-se mais a Cristo. Por exemplo, Efesios 2:1-10 fala aos crentes mas também comunica aos não cristãos como podem entregar-se a Cristo. O texto escolhido deve ser aplicado de maneira apropriada aos não cristãos.

Isto não quer dizer que cada texto que usa o evangelista ao pregar aos de fora deve conter todos os elementos do plano de salvação: que somos pecadores, a morte redentora e a ressurreição, a necessidade de confiar em Cristo, batismo, etc. São poucas as passagens que contém todos os elementos. Alguns versos explicam o problema do pecado do ser humano, pero não explicam que Cristo pagou por seus pecados. Um exemplo é encontrado em Romanos 3:23: “pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus,

É a responsabilidade do evangelista explicar o sacrifício vicário de Cristo e da fé. Outros explicam nossa condição pecadora e a morte redentora, porém não dão ênfase a necessidade de crer. Romanos 5:9 diz: “Como agora fomos justificados por seu sangue, muito mais ainda, por meio dele, seremos salvos da ira de Deus! A maioria dos textos das epistulas foram escritos aos já convertidos e por isso não explicam todo o plano de salvação. A responsabilidade do evangelista é pregar um texto, sem importar quantos elementos da salvação contenha, explicando o contexto conforme Deus o escreveu.

III. Pregar a mensagem no contexto da vida atual
Um cristão levou um visitante para escutar um evangelista que falava de como, segundo Deus, todos somos pecadores. Com o texto explicou como cada pessoa desobedeceu a lei de Deus e decidiu viver sem ele, como pessoas rebeldes e egoístas. Também falou sobre como as pessoas evitam a Deus, evitando que seus pensamentos sejam de Deus. O não cristão se dirige a seu amigo e com um olhar convencido lhe sussurra: “Você falou ao pregador sobre minha visita?”

O evangelista ao pregar deve relacionar a mensagem a vida atual. Hebreus 4:12 afirma que a palavra de Deus “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração.discerne os pensamentos e as intenções do coração”. A palavra de Deus é relevante. O evangelista deve explicar como e onde é relevante. O não cristão deve sentir como se o evangelista leu seu diário, viveu em sua casa, ou falou com seus amigos. O evangelista tem que identificar-se com a situação do não cristão e tornar viva a palavra onde a põe a prova. Esclarecendo, o evangelista explica como a palavra de Deus, escrita a um povo que viveu na antiguidade, se aplica aos que vivem hoje. Através do uso eficiente da palavra, o não cristão deve ver sua vida como um livro aberto diante de Deus.

Se o evangelista fizer isso, o visitante estará consciente de que a palavra de Deus demanda uma reação. Se ele reage negativa ou positivamente, deverá reagir. Uma pessoa não crente disse: “Enquanto estive na igreja, sabia que tinha somente duas opções: podia confiar em Deus, ou rejeitar-lhe. Não havia uma terceira alternativa”.

Conclusão:
A pregação evangelistica expositiva significa pregar a palavra. A mensagem do evangelista é a mensagem do texto. Ele prega a Bíblia, e não ao redor da mesma. Sua mensagem se encontra no próprio contexto. Ele entende o entorno histórico e conhece o que significavam essas palavras ao povo daquela época. A mensagem se encontra no contexto da própria vida. O incrédulo se sente como se o evangelista viveu em sua casa, observando-lhe do outro lado de um espelho de uma só direção.

Eis aqui uma maneira de caracterizar a pregação necessária no evangelismo atual. Suponhamos que só duas pessoas estão presentes no culto: Uma é Jesus Cristo; a outra é um não cristão. Ao concluir a mensagem, o evangelista pede que ambos a comentem. Se o evangelista fez o trabalho conforme o chamamento de Deus, Jesus Cristo diria: “Essa é a minha palavra”, o pecador diria: “O pecador da mensagem sou eu”. Que Deus abençoe a pregação de sua palavra, em parágrafos completos como foi  escrita.

Perguntas para a meditação e recapitulação:

1.    Que tipo de pregação você mais gosta de escutar?

2.    Como é que alguns pregadores manipulam a Escritura?

3.    Qual é o nome do sermão em que explicamos as Escrituras?

4.    Qual é a diferença entre a Palavra de Deus e outros livros?

5.    Em qual passagem diz que a palavra de Diz que é “viva”?

6.    Como se deve tratar o texto da “palavra viva”?

7.    Como deve sentir-se o não cristão ao escutar a exposição da Palavra de Deus?

8.    Como reagiria Jesus se te escutasse pregar?
 

(Para voltar ao site "Sermões e seminários" favor cliquear aqui: www.luisseckler.blogspot.com