Como encontrar satisfacão em Deus

Lições do Salmo 63

1 Ó Deus, tu és o meu Deus, eu te busco intensamente; 
         a minha alma tem sede de ti!
         Todo o meu ser anseia por ti, numa terra seca,
          exausta e sem água.
2 Quero contemplar-te no santuário
         e avistar o teu poder e a tua glória.
3 O teu amor é melhor do que a vida!
         Por isso os meus lábios te exaltarão.
4 Enquanto eu viver te bendirei,
         e em teu nome levantarei as minhas mãos.
5 A minha alma ficará satisfeita como quando tem rico banquete;
         com lábios jubilosos a minha boca te louvará.
Salmos 63:1-5

Um pregador conhecido disse: “Deus é mais glorificado em nós quando somos mais satisfeitos nele.” Você está de acordo com essa afirmação?
Primeiro vejamos o que significa “glorificar a Deus”. O que é que isso quer dizer? Deus quer fazer-se conhecido. Deus quer ufanar-se – gloriar-se. Bem, para nós, fazer isso soa arrogante – vangloriar-se. Por quê? Porque não cremos que somos dignos de glória. Não somos perfeitos, mas o nosso Criador é. Portanto, ele é digno de todo louvor e adoração. Concluímos que para Deus é bom o gloriar-se.

Há duas maneiras pelas quais Deus é glorificado:
1.    Pela natureza (Salmos 19:1-2)
2.    Pelos seres humanos (Efésios 2:1-10)

Essa também devia ser nossa meta na vida, ou seja, glorificar a Deus. Toda a criação de Deus foi feita para que o glorificasse. Este mundo existe para refletir a glória de Deus. Ele não criou o mundo somente para alegrar-se, pois já se contenta consigo mesmo. Deus criou o mundo para fazer seu nome conhecido. Fomos criados para glorificar a Deus. E como o glorificamos? Uma das maneiras mais básicas é encontrar satisfação nele.

O conhecido autor ingles C. S. Lewis, escreveu estas palavras: “Deus sabe que nossa vontade não é muito forte, e sim muito fraca. Somos criaturas indiferentes, brincando com alcool, sexo e ambição, enquanto a alegria finita nos é oferecida; assim como uma criança ignorante que continua vendendo pastel nos bairros pobres, porque não pode imaginar o que significa umas férias na praia. Contentamo-nos com muito pouco”.
O problema aqui é que a criança nunca entende. Está totalmente satisfeita no bairro pobre ao invés da praia. Não é precisamente isso que nos acontece, quando nos sentimos satisfeitos, vivendo no pecado? Desperdiçamos o tempo nos dedicando a coisas, em vez de nos dedicarmos a Deus. Há muitas coisas secundárias nas quais se pode encontrar muito prazer. Por exemplo: uma esposa fiel, um bom emprego, um bom carro, etc. Tudo isso é bom quando nos colocamos na mesma perspectiva. Quando dedicamos muito tempo a essas coisas e nos alegramos mais nelas que em Deus, então fazemos delas nossos ídolos. Esses ídolos demandam mais e mais de nosso tempo e atenção, chegando a tomar o lugar de Deus.

Por exemplo: gosto muito de jogar tênis. Mas quando isso tira o tempo que eu devo dedicar à minha aproximação com Deus, devo confessar isto a Ele.

A mentira do pecado é a que oferece a satisfação que somente Deus pode dar. Deus é o único que pode nos satisfazer.

Regressemos ao ponto inicial: “Deus é mais glorificado em nós, quando somos mais satisfeitos nele”. Como glorificamos a Deus, quando estamos satisfeitos nele? Leiamos Salmos 63 para encontrar a resposta.

O entorno do Salmo 63 é muito importante para poder entender o capítulo. O rei Davi estava sofrendo a perseguição de seu filho Absalão. Seu filho queria ser o rei de Israel; mas havia um problema: seu pai, Davi, já era o rei. Assim Absalão, através de uma conspiração, decidiu fazer-se rei. Nós sabemos disso em 2 Samuel 15:13, que diz: “Os israelitas estão com Absalão!”. Portanto, Davi foge para o deserto da Judéia e ali escreve este Salmo.

O deserto não é um lugar agradável para o ser humano, com vegetação em abundância, pastos e montanhas. Não. O deserto é um lugar árido, desolado e inóspito. Mais do que preocupado com as ameaças físicas, Davi queria voltar a adorar a Deus em seu templo. Davi tinha visto a glória de Deus e gostaria de vê-la novamente.

Aqui um pequeno esboço dos cinco primeiros versos:

1.    Davi deseja a presença de Deus (versos 1-2)
2.    Davi encontra satisfação em Deus (versos 3-5)

Leia agora o verso 1 do salmo 63. A palavra “sede” é encontrada dez vezes no Antigo Testamento, e somente é usada duas vezes de maneira figurada, referindo-se a ter sede de Deus (aqui e no Salmo 42). Nas outras vezes a palavra é usada literalmente, por estar desidratado. O corpo humano é composto de 60% de água; o cérebro de 70%; o sangue de 82% e os pulmões 90%. É óbvio que o corpo humano precise de água. Podemos suportar uns 40 dias sem alimento, mas sem beber água somente um par de dias. Indubitavelmente a água é vital para a vida humana.

O que Davi faz aqui é usar uma realidade física como ilustração para uma condição espiritual em seu coração.
“Minha alma tem sede de ti, todo meu ser anseia por ti”. Isso quer dizer que Davi desejava a Deus com todo o seu ser. Até sua carne o desejava (Conforme a edição dos melhores textos em hebraico e grego revista e corrigida, a Bíblia diz: “...a minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito...”.). Isso parece muito raro já que nunca escutei algo parecido de ninguém. Você deseja a Deus tanto quanto Davi? Sente tanta falta de Deus que sente isto até na sua carne? Precisa de Deus como se fosse um vaso sedento de água?

Outra pergunta: Se o Espírito Santo saísse do seu corpo, você sentiria muita falta? Obviamente não pode sair, já que Deus nos deu o Espírito para sempre e com ele fomos selados. Mas, somente uma suposição: Se o Espírito Santo fosse embora, você sentiria falta dele?

Já que nosso corpo precisa seriamente de água, nós a bebemos todos os dias. Da mesma forma, nossa alma precisa desesperadamente de Deus. Se você não pode ter comunhão com ele, sente falta? Se não, por que não? Por que é que preenchemos nosso desejo de Deus com sexo, com trabalho e com posses? Ainda que estas perguntas nos causem inquietudes, temos que fazê-las. Muitas vezes não é a resposta para as nossas orações que precisamos. O que nos faz falta é a presença inigualável de Deus.

Nenhuma dessas coisas é má, a não ser quem tomem o lugar de Deus. Deus é o único digno de nosso amor e afeto. Criamos ídolos quando fazemos as coisas mais importantes do que Deus.

“O teu amor é melhor do que a vida!” O que Davi quer dizer nesse verso? Por ter visto a glória de Deus no passado, ele o louvava. Davi estava tão enamorado de Deus que decidiu que o adoraria até o fim de sua vida Você acha que o amor de Deus é melhor do que a vida? Se acreditássemos de verdade, como seríamos? Ao escrever estas linhas, procuro saber em meu coração se preciso verdadeiramente de água.

Em seguida, Davi conclui o quão poderoso e glorioso Deus é, e ainda o quanto tinha sido fiel em toda a sua vida, e sente-se satisfeito. Assim diz no verso 5: “A minha alma ficará satisfeita como quando tem rico banquete; com lábios jubilosos a minha boca te louvará”. Ou seja, a única vez que Davi encontra satisfação é quando adora a Deus e lhe dá glória. Somente encontramos satisfação verdadeira em Deus.

Você já esteve tão sedento que nada além da água lhe satisfez? Depois de tomar um copo d’água nos sentimos satisfeitos e renovados. Nós os crentes devemos ter o mesmo desejo, a mesma sede insaciável de Deus, como igualmente temos da água. Esta é a imagem que Cristo quer comunicar em João 4, quando oferece à mulher samaritana a “água viva”.

Como encontramos o mesmo gozo que Davi encontrou? Em primeiro lugar, precisamos ter fome de Deus. E porque não? Deve ser porque comemos “guloseimas” em vez de alimentos saudáveis. Comparado ao suculento amor de Deus, tudo mais é guloseima.

Se não temos fome e sede das coisas de Deus, estamos ingerindo coisas sem valor nutritivo. Devemos, primeiramente, nos alegrarmos em Deus. Leiamos Mateus 5:6: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos”. O cidadão do reino de Deus deve, primeiramente, alegrar-se com Deus. Não há substituto. Essa é a única maneira de encontrar satisfação. Se não tem fome de Deus, ainda assim deve alimentar-se dele. Deve orar como o salmista no Salmo 119:18: “Abre os meus olhos para que eu veja as maravilhas da tua lei”.

“Deus desenhou a máquina humana para que ele mesmo a operasse. Ele é o combustível que nosso espírito foi desenhado para queimar, ou o alimento que nosso espírito foi desenhado para dele se alimentar. Não há outro. É por isso que não é aconselhável pedir a Deus felicidade sem religião. Deus não pode nos dar felicidade e paz se nós não nos doamos a ele, porque fora de Deus isso não existe. Não há coisa semelhante”. C. S. Lewis.

O convite que fazemos e que se encontra em Salmos 34:8 é: “Provem, e vejam como o SENHOR é bom. Como é feliz o homem que nele se refugia! ”.

Perguntas para meditação:

    1. Alguma vez já sentiu sede e fome?

    2. Alguma vez teve sede de Deus?

    3. Por que o Salmista, neste capítulo, tem tanta sede de Deus?

    4. O que é que faltava ao autor?

    5. Como manter Deus sempre presente em nós?
   
    6. Será que, ao mencionar suas bênçãos aos demais, você pode garantir a presença de Deus?

 (Para voltar ao site "Sermões e Seminarios" favof clicar aqui: www.luisseckler.blogspot.com