Batismos em Éfeso

Atos 19:1-7

Através dos anos os ensinamentos e praticas sobre o batismo em geral tem sido diversas, causando infelizmente, divisões e confusão entre as religiões de origem cristãs. Cada pessoa ou explica de maneira diferente, sem preocupar-se em traduzir o vocábulo “baptizo”, ou batismo, de original grego. Se somente fizessem a tradução dessa palavra, que quer dizer “imergir” já não teriam que fazer tantas explicações para comprovar o que sua denominação ensina sobre esse assunto.

Em algumas igrejas não é tanto o modo de batizar, mas sim se o batismo é ou não importante para iniciar a pessoa na vida cristã, perdoando-lhe seus pecados e dando-lhe a bênção do Espírito Santo. Tudo isso vemos descrito amplamente em Atos 2, no inicio da igreja primitiva.

O autor de Atos da um relato interessante de um batismo na igreja primitiva de Éfeso. A medida que lemos podemos encontrar quatro pontos importantes que gostaríamos de ressaltar:

1.    Lucas não menciona nesse relato como foram feitos os batismos das pessoas mencionadas nesses 7 versos. A confusão na compreensão existe simplesmente porque não se respeita o idioma original, e nada mais. Vamos por etapas: a palavra “batismo” sofreu uma mudança em seu significado. No idioma grego batizar queria dizer simplesmente imergir ou submergir. Com o passar do tempo, fora dos meios evangélicos, a palavra batismo passou a ser uma festa de comemoração quando um recém-nascido é aspergido na igreja Católica. (É importante mencionar que essa pratica de “batizar” bebês não tem nenhuma base Bíblica. Foi uma decisão dos líderes católicos para estar seguros que uma vez que o ser humano é batizado de criança estaria comprometido a seguir aquela religião toda sua vida. Conforme o evangelho de Cristo é necessário crer primeiro para depois ser batizado. Um bebê recém-nascido não tem a capacidade de crer. Tampouco tem pecados. A doutrina do pecado original, também inventada pelos católicos, ou seja que diz que um bebê herda os pecados de Adão, é totalmente contra aos ensinamentos bíblicos que diz que Cristo morreu por nossos pecados. Paulo chama-o de “o segundo Adão”. Se o batismo é para perdão dos mesmos, então não há porque batizar os recém-nascidos).

 O mesmo acontece com a palavra igreja, que no idioma original grego (ekklesia), quer dizer uma multidão não necessariamente religiosas. Com o passar do tempo a palavra igreja passou a ser uma maneira de designar um templo religioso. Ainda que o templo esteja vazio, dizemos: “Entra a direita ao chegar a uma igreja”. Queremos dizer aqui que a pessoa deve entrar a direita ao chegar a um templo religioso.

2. A conversa entre Paulo e os irmãos de Éfeso é um tanto quanto diferente porque começa com uma pergunta que muitos não fariam: “Receberam o Espírito Santo quando creram?” Isso é algo que nos leva a entender, que os que foram batizados receberam o Espírito Santo, conforme promessa em Atos 2:38. Porém, a pergunta de Paulo era de suma importância porque sua resposta foi negativa: “Nem siquér ouvimos se existe Espírito Santo”.

Como era possível que não conheciam o Espírito? Apolos era um dos seus líderes e mestres e em Atos 18:24 nos lemos que ele foi a Éfeso de Alexandria, no Egito. Era homem eloquente, poderoso nas Escrituras. Sendo assim era provável que Apolos lhes falasse do Espírito Santo de Deus mencionado varias vezes na Palavra de Deus. Parece estranho que Apolos não ensinasse aqueles efesios nada acerca desse tema tão importante.

 Qualquer que fosse o caso, aprendemos em Atos que Paulo lhes faz outra pergunta, o que revela que eles tinham sido batizados com o batismo de Juan, o batismo do arrependimento e do perdão de pecados.

 Então Paulo ensina aos efesios que o batismo de João foi em preparação a uma nova era, para preparar as pessoas para a vinda de Cristo. Lucas então começa o verso 5 com três palavras muito significativas, que são: “Quando ouviram isto”. Graças ao ensinamento de Paulo aquelas pessoas foram batizadas no nome de Jesus Cristo. O poder da Palavra de Deus esteve operando no coração e mente daqueles discípulos efesios.

Sempre foi assim: Deus falou, formou a criação da terra desordenada; no batismo de Cristo a voz celestial disse: “Este é meu filho amado em quem muito me agrada”. Nós também passamos a ser filhos amados de Deus quando fomos batizados. A Palavra de Deus continua transformando-nos cada dia enquanto amadurecemos na fé e na pratica de seguir a Cristo. A Palavra de Deus continua ativa, cumprindo promessas e mais promessas. A Palavra de Deus continua livre, incluindo a todos, sem exceção.

3. Paulo batizou os efesios “em nome de Jesus Cristo”. Alguns crêem que batizar em nome de Cristo não é bíblico porque em Mateus 28:16-20, onde encontramos a grande comissão, Cristo nos instrui que devemos batizar em nome do Pai, Filho e Espírito Santo. Devemos batizar a pessoa nos nomes da deidade ou trindade. Porém, ao mencionar a Jesus Cristo estamos falando do próprio Deus. Só há um Deus, embora os maometanos nos acusam injustamente de adorar vários deuses. As três pessoas da deidade são personalidades diferentes de um só Deus. O Deus Pai, Deus Filho e o Deus Espírito Santo são uma só pessoa. Ao batizar em nome de Cristo, o fazemos em nome da trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Ao batizar alguém seria preferível mencionar os três: “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Porém, se mencionamos a um deles, mencionamos os três. O nome de Deus é um nome coletivo (assim como “povo” ou “gente”) embora esteja no singular inclui as três personalidades: uma para cada propósito divino.

4. Paulo impôs as mãos neles, e receberam o Espírito Santo. Eles falaram em línguas e profetizaram. Não foi para demonstrar que eram gigantes espirituais, mas para que as pessoas de outras nações os entendessem e vissem o poder de Deus. É interessante que Paulo lhes deu dois dons que não são os mais importantes como: fé, esperança e amor, conforme escreve o apóstolo aos corintos. Línguas e profecias são dons, porém são os menos importantes que os mencionados nas cartas de Paulo. Esses dons eram necessários para a ocasião e lugar que se encontravam. De fato, disse-lhes: “Todavia, na igreja prefiro falar cinco palavras compreensíveis para instruir os outros a falar dez mil palavras em uma língua” (1 Cor. 14:19). Palavras ditas sem que a gente as entenda não servem para a edificação da igreja. Ao contrario, podem formar barreiras e estorvar em vez de colaborar na boa comunicação. Portanto, fé, esperança e amor são os dons mais grandiosos do Espírito Santo. Esses dons,  quando postos em pratica influenciarão pessoas a viver mais perto do Senhor. Isso sim edifica e não palavras cujo significado não se pode entender. Deve existir algum motivo que não sabemos porque o apóstolo agiu dessa maneira. No batismo recebemos o perdão de nossos pecados e o dom do Espírito Santo. Paulo também disse aos efesios que Deus “nos abençoou com todas as bênçãos espirituais” (Efe 1:3), Ao filho de Deus, salvo graças ao sangre de Cristo, no lhe falta nada.

 Nota: Paulo impôs suas mãos sobre os efesios para transferir dons milagrosos que só os apóstolos possuíam. Em nossa época não temos dons milagrosos. Ao morrer os apóstolos morreram com eles os dons milagrosos. Os milagres atuais os faz Deus por sua intervenção direta não através de pessoas.

Conclusão:

Os efesios foram batizados da mesma maneira que hoje batizamos. Jesus instituiu o batismo em seu nome para que lhe reconhecemos como quem agora tem “todo poder” ou toda autoridade. (Mat. 28:18) O batismo marca o inicio da jornada com Cristo que terminará no céu. É necessário muita humildade e fé em Deus para recebe-lo. Os primeiros cristãos, ao compreender que tinham que ser batizados não vacilavam e se entregavam à obediência do evangelho. Você tampouco deve vacilar. Se ainda não foi batizado, faça-o hoje mesmo.

Perguntas para meditação e recapitulação:

      1. Que é o que vem à mente ao pensar no dia do seu batismo?

     2. Que sentiu ao sair da água? 

     3. Porque é que na Igreja de Cristo batizamos por imersão?

     4. Quais são as bênçãos que recebemos ao ser batizados em Cristo?

    5. Que é necessário para que uma pessoa seja batizada?

    6. Vimos através de esta lição que certos batismos, como o de João Batista, não tem mais valor. Que se pode fazer para ajudar aos que ainda não conhece o batismo de Cristo?

    7. Conforme 1 Corintios 13:13, quais são os dons mais importantes e qual dos três é o mais importante?

 (Para voltar ao sitio "Sermões e seminários" favor clicar aqui: www.luisseckler.blogspot.com