A vida no Espírito

Viver no sobrenatural

Um amigo que é líder de uma igreja conservadora fez um anuncio um pouco ironico: "Quero que vocês saibam que os pentecostais entram na igreja pela porta. Portanto, para não parecer-mos a eles, temos que entrar pela janela". Muitas vezes deixamos de acatar ensinamentos bíblicos básicos só porque outros grupos religiosos o fazem. Infelizmente isso tem feito com que não estudemos temas que a Bíblia repete muitas vezes e que são de suma importância para o crescimento espiritual de cada um. Este tema do Espírito Santo, assunto que pode ser de tanta ajuda ao cristão, é um deles. Leia-o e medite-o sem preconceitos e sem tacha-lo de carismático.

Já pensou por que é que alguns cristãos jamais se entusiasmam quanto as coisas de Deus? Assistem, servem, contribuem, mas jamais parecem entender. Não se aprofundam nas coisas de Deus. Sua fé é genuína, amam a Deus, porém há algo claramente ausente de sua vida.

Outros cristãos são diferentes. Não tem mais talento nem são mais inteligentes, porém seu coração se deleita no Senhor. Há uma coisa que motiva suas ações. Não dizem que não tem pecados, mas o pecado acontece com menos frequência.

Qual é a diferença? Por que alguns cristãos tem uma fé vibrante e outros não? A chave da vida genuína é estar cheio do Espírito, um conceito que pensava que jamais se aplicasse a mim. Depois de tudo, não era carismático, e sabia precisamente que fazer para ser um bom cristão. Se pelo menos me esforçasse mais, Deus estaria mais satisfeito ao chegar na porta de perola.

Quando era menino e como adolescente, fazia o melhor possível no tocante o que a gente dizia ser um “assistente fiel do culto e da escola dominical”. E jamais me ausentei nem sequer uma vez, exceto quando ficava doente. “Da 10% a igreja”, e eu dava 10% da minha mesada e do que ganhava de alguns trabalhinhos que fazia.

Era “pau p’ra toda obra” fazendo de tudo, e tão bem como esperavam que eu fizesse. Assim sendo,  depois de um ano de estudos numa universidade cristã preparando-me para o ministério, minha fé tinha acabado. Por que é me acabou a fé?

A fé, no fundo jamais foi minha. Focava na conduta superficial, conduta essa que jamais satisfazia minhas expectativas para com Deus, por um propósito, por algo no qual entusiasmar-me, espiritualmente falando. Quatro anos de estudos incessantes revelaram a chave: encher-me do Espírito. Não me refiro a falar em línguas, mas ser movido mais alem da conduta superficial a uma intimidade com Jesus Cristo como meu Senhor, permitindo-lhe guiar cada passo de minha vida.

Permitir a direção do Espírito é uma decisão que tomamos cada um de nós se queremos desenvolver um cristianismo que causa satisfação profunda. Lamentavelmente, nem todos os cristãos, ou crentes, permitem ser guiados pelo Espírito.

Nossa tendência natural é a de ser cristãos aborrecidos                                                                  Parafraseando o escritor Thoreau, qualquer que fosse até mesmo um observador superficial veria que a maioria dos cristãos vivem num “silencio medíocre”.

Para alguns sua religião não passa de um dever. É bom e é um dever necessário, porém não é nada que nos entusiasme. Muitos permitem que lhes estirem por dois rumos.

“E eu, irmãos não vos pude falar como a espírituais, mas como a carnais, como a criancinhas em Cristo. 2Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis; 3porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens? (1 Cor. 3:1-3 R-V)

Paulo divide esses irmãos cristãos em dois grupos: cristãos “espirituais” e cristãos “carnais”. Os carnais tinham a Deus numa mão e o mundo na outra. Ainda  não tinham-se rendido totalmente a Deus.

Jesus descreve vividamente os cristãos meio-comprometidos em Apocalipse 3:15-16:                Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! 16Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca.

Se tivéssemos falado aos cristãos de Laodicea, tenho certeza de que teriam proclamado tanto sua aliança como seu amor a Cristo. Mas isso não chegava. Jesus queria mais entusiasmo em nossas almas de tal maneira que possa influenciar a todos que estejam a nosso alcance.

Guiados pelo Espírito                                                                                                                   O deleite espiritual o desfrutamos quando rendemos a Deus todo nosso ser, sem exceção; quando aceitamos os objetivos divinos sem objeção. A paixão vê enquanto escolhemos ter só um propósito em nossa aproximação a Deus, quando estamos dispostos em ir a qualquer lugar o fazer qualquer coisa que Deus espera de nós. A Bíblia chama isso de ser guiado por, ou estar cheio do Espírito. Só quando somos cheios do Espírito seus frutos poderão florescer em nós.

Após discutir sobre o fruto do Espírito em Gálatas 5:22-23, Paulo conclui com uma descrição poderosa da distinção entre ser guiados pelo Espírito ou ser guiado pela carne, ou seja, por nós mesmos: “Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade. 23a mansidão, o domínio próprio; contra estas coisas não há lei.

Qual é a solução de estar divido por dois caminhos? De acordo com Paulo, significa render-se a Deus ou permitir que o Espírito de Deus nos guie numa direção, um passo cada vez. Gálatas 5:16-17 nos adverte dizendo que ou satisfazemos nossa natureza carnal ou o Espírito de Deus. Não se pode fazer os dois, e nosso grau de intensidade quanto a Deus provem dessa escolha. Digo, porém: Andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne. 17Porque a carne luta contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes se opõem um ao outro, para que não façais o que quereis.

Cheios do Espírito                                                                                                                          Me intriga a maneira em que Deus reúne todas as coisas. No dia de Pentecostes, escutaram o som como de  vento forte,  línguas de fogo tocavam a cabeça dos discípulos foram cheios do Espírito Santo, e falaram em línguas (Atos 2:1-4). Aquilo criou um alvoroço que milhares de pessoas se aproximaram para ver o que estava acontecendo e se assombraram com a alegria tão grande que os cristãos expressavam.

Quando decidimos ir a qualquer lugar que o Espírito nos guia, teremos o mesmo gozo. Para Miguel e  Ligia, contribuir com sacrifício era uma barreira. Ainda que ambos trabalhavam e ganhavam bem, gostavam de gastar dinheiro. Sofriam de culpa, um sentimento guiado pelo Espírito para dar mais.

Logo em nossa igreja tivemos aulas sobre o Espírito Santo de Deus, com ênfase na contribuição dada com sacrifício como um passo a obediência que nos prepara para o crescimento espiritual. Nos esforçamos para não fazer daquilo um requisito legalista, mas uma oportunidade de depender mais de Deus.

Após muita convicção do Espírito e orações, Miguel y Ligia fizeram um compromisso voluntário de dar pelo menos 10% de seus salários. A decisão foi um momento decisivo para o casal. Cada um deles se aproximou a Deus em pouco tempo, depois de ter submetido ao que o Espírito lhes guiava nessa parte difícil do crescimento espiritual.

Eles procuraram saber a vontade de Deus mais profundamente em cada coisa que planejavam fazer. Seu crescimento e maturidade os tornou receptivos a muitos outros ministérios, o que antes lhes desafiava  e agora lhes era uma benção.

O deleite espiritual caracterizava essa nova etapa de sua vida.  Que foi que abriu-lhes os olhos para esse deleite? A resposta é uma só: submeter-se a orientação do Espírito Santo de Deus.

Uma vez que temos uma idéia do que é a benção do gozo que o Espírito produz, por que voltar à vida aborrecida, morna e que resiste a Deus? Miguel e Ligia certamente não o farão. Enquanto nos enchemos do Espírito, queremos conhecer a Deus ainda mais. Concluímos que para conhecer melhor a Deus, ele tem que conhecer-nos melhor. É esse processo que nos traz gozo, enquanto nos envolvemos no processo de uma vida inteira de caminhar cada passo com o Espírito Santo de Deus.

O processo de ser cheio do Espírito                                                                                    Começamos o processo em nossa conversão, quando somos batizados temos a promessa de que nossos pecados são perdoados e a promessa do dom do Espírito Santo. Essa doutrina a tiramos de Atos 2:38 que diz assim: “38Pedro então lhes respondeu: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo.

Quando nos entregamos a Deus o Espírito Santo passa a viver em nós. O propósito é ajudar-nos a produzir em nossa vida o fruto do Espírito, conforme Gálatas 5:22-23. Mas para isso é necessário render-se totalmente a Deus. Creio que os cristãos que não se entusiasmam com a obra de Deus é porque não se entregaram 100% a Deus. Gostaria de explicar o que digo com esta ilustração: quando a casa de meu amigo estava em remodelação, ao terminar a cozinha e a sala nos convidou para jantar. Gostamos de ver tudo muito bonito e arrumado. Mas nos disseram que não fossemos ao quarto de hospedes porque não estava terminado e porque lá guardavam todos os materiais de construção que usariam no resto da obra. Fazemos assim alguns de nós: compartilhamos com Deus todos os cantinhos de nosso coração, exceto o que não queremos que ele veja. Porém pouco a pouco, começamos a confiar mais e mais em Deus e lhe permitimos ver tudo inclusive “o quarto de hospedes”.

Todos os cristão pode estar cheio do Espírito, porém nem todos o são. Em Efésios 5:18 Paulo simplesmente instrui os cristãos a aprofundar-se na vida espiritual dizendo: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito,”. Caso ser cheios do Espírito fosse algo que acontecesse automaticamente, Paulo não tinha porque instruir aos cristãos a que fossem cheios do Espírito. Isso significa que “estar cheio do Espírito” é uma decisão de cada cristão.

Isto é diferente ao movimento carismático dos dons. Estar cheios do Espírito não quer dizer falar em línguas ou fazer algo diferente das palavras de Paulo em 1 Corintios 12:28-31, indicam claramente que nem todos somos apóstolos, mestres, profetas, e podemos operar milagres, etc. Pero todos necessitamos estar cheios do Espírito. Assim que estamos falando de duas coisas diferentes . Todos devemos estar cheios do Espírito de Deus. Ou somos cheios do Espírito de Deus ou vem o espírito do maligno nos enche o coração. (Lucas 11:26)

Estar cheio do Espírito Santo inclui entregar-se a Deus  continuadamente. Que quer dizer estar “cheio do Espírito”?  Na gramática grega Efesios 5:18 indica que estar cheio não é algo que acontece uma vez por todas, ou seja ao estar cheio uma vez termina tudo. Não. Ser cheios do Espírito deve ser algo que acontece muitas vezes para receber o beneficio máximo.

Quando nos entregamos a Deus, nos voltamos a comprometer-nos em por o Criador em primeiro lugar e ser a pessoa que ele espera que sejamos. Também permitimos ao Espírito ter acesso a todos lugares secretos do nosso coração.

Três passos - três coisas que fazer                                                                                                  Muito bem; como se abre os lugares do coração que tínhamos fechado há tanto tempo? Como conseguimos o deleite em nossa fé? Somos cheios com o Espírito Santo de Deus. Eis aqui os passos a seguir:

1.) Pedir diariamente para que Deus nos encha o coração com seu Espírito conforme as palavras de Cristo em Lucas 11:11-13 que diz assim: E qual o pai dentre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? 12Ou, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Se vós que sois maus, sabeis dar boas dádivas do Espírito Santo a aquele que o pedem?

Ser cheios do Espírito é uma pedido que nosso Pai Celestial está pronto para conceder-nos. Porém, devemos pedir-lhe diariamente, conforme disse Cristo em Lucas 9:23: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz, e siga-me. —Negar-se a si mesmo significa não entregar-se às paixões da carne e decidir aproximar-se mais de Deus. Levar a cruz significa aceitar o curso que Deus estabelece a todos nós, que já não somos nossos donos. Cada dia necessitamos dar a Deus a permissão de fazer qualquer coisa que seja melhor a nós e ao seu reino.

Por que devemos faze-lo diariamente? Porque é muito fácil voltar ao velho homem e aos velhos costumes e hábitos. Muitas dessas coisas as fazemos automaticamente e cada vez que fazemos estamos travando pouco a pouco a entrada do Espírito de Deus em nossa vida.

Lembram-se do estimulo de Paulo ao entregar-se ao Espírito? “25Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito. (Gálatas 5:25). Isso não deve acontecer-nos uma vez por dia, mas a cada segundo de cada dia. A cada momento devemos estar em contato com Deus.

Cada momento disponível, quando caminhamos a sós, no ônibus, no carro, devemos sempre estar com a mente aberta para aceitar a direção de Deus para nossa vida. Essa é a chave da entrega a Deus. Ao pedir que estejamos cheios, lhe pedimos a Deus que nos guie, que ele é o nosso líder.

2.) Arrepender-nos de nossos pecados. Não se pode ser cheios do Espírito sem antes querer transformar-se, para  então buscar a justiça de Deus com todas nossas forças.

Ser cheios do Espírito requer um compromisso de coração de deixar os pecados e aproximar-se ao que é justo. Se um das missões do Espírito é convencer a homem do pecado (Juan 16:8), como poderemos ser cheios do Espírito se estamos cheios de pecados? Si não nos arrependemos de nossos pecados, não seremos cheios do Espírito de Deus.

3.) Não apagar o Espírito
“Não extingais (apagar) o Espírito”, instrui Paulo em 1 Tessalonicenses 5:19. Que quis dizer Paulo com isso? Não lutar contra ao que o Espírito de Deus quer fazer em nossa vida. Não procurar desculpas para não fazer sua vontade. E quando Deus quer que façamos algo, que sempre digamos que sim.

Quando Deus nos escolhe para uma obra não devemos dizer que não estamos preparados para faze-la. Deus disse a Moisés que jamais lhe levaria a nenhum lugar sem acompanhar-lhe ou proteger-lhe. Finalmente, Moisés diz que sim. Mas seria preferível ter dito que sim no inicio e não tentar negar o Deus que nos pede. Não apagar o fogo do Espírito quer dizer seguir-lhe e não lutar contra ele.

Há uma advertência: Devemos assegurar-nos de que é Deus quem nos fala. As vezes queremos tanto que ele nos conceda algo que temos a impressão de que é precisamente isso que ele nos diz. É importante saber que o Espírito nos guia, mas primeiro através da Palavra de Deus. É por isso que temos que estar sempre lendo e estudando o livro santo. Temos que estar cientes que a direção do Espírito esteja em harmonia com a Palavra de Deus. Se não estão não é do Espírito.

Sempre que estamos convencidos de que o Espírito está comunicando algo para a gente, devemos prestar toda nossa atenção e seguir-lhe sem vacilar. Isso requer muita humildade. Se já temos nossa opinião formada sobre como devemos comportar-nos, isso não é caminhar sob controle do Espírito, mas da carne.

A decisão é sua                                                                                                                       Um escritor disse assim: “O mundo ainda não viu (além de Cristo) a alguém que seja santo e totalmente consagrado ao Espírito Santo”. Você já se entregou Espírito Santo de Deus? Você permite ser cheio do Espírito e deixar que ele te guie? Está decidido a descobrir o gozo espiritual que provem de estar cheio do Espírito?

Enquanto você seguir a direção do Espírito, o amor a  Deus crescerá. Ainda terá duvidas e temores em tua jornada, mas Deus estará a seu lado. E ele nos garante que “Posso todas as coisas naquele que me fortalece.” (Filipenses 4:13)

Com o Espírito de Deus morando em nós, dando-nos o poder para produzir em nós seu respectivo fruto, poderemos conseguir tudo o que Deus espera de nós. Gostaria de desafiar-lhe a pedir a Deus agora mesmo para ser cheio do seu Espírito e que o faça todos os dias, consagrando tua vida a santidade.

A decisão é sua.
 
(Para voltar ao site "Sermões e seminários" favor clicar aqui: www.luisseckler.blogspot.com