A morte preciosa

“Preciosa é aos olhos do SENHOR a morte dos seus santos.” SENHOR”.

Salmos 116:15 (Edição revista e corrigida de acordo com os melhores textos em hebraico e grego) 

Isto parece um pouco estranho. Por que a morte seria preciosa para Deus? Não foi pela maldição da morte que o pecado entrou no mundo? Certamente Deus odeia o pecado, e posso assegurar-lhes que as pessoas com a mente sã também odeiam a morte. Então, por que a morte de seus filhos seria estimada pelo Senhor? Creio que a Bíblia dá umas razões maravilhosas para explicar isso. Vejamos algumas:

I.    Não haverá mais sofrimentos
O sofrimento é um fato da vida. Tanto nas enfermidades como nas doenças nós sofremos muito. Nas provas e tribulações, sofremos emocional e mentalmente. No pecado experimentamos sofrimentos espirituais. Ninguém é uma ilha. Por esse motivo, ninguém pode estar imune ao sofrimento. Diz Jesus Cristo em João 16: 33: “...Neste mundo vocês terão aflições...”.

Tribulações ou sofrimentos todos nós temos que suportar, tanto cristãos como crentes. Disse Paulo em 2 Timóteo 3:12: “De fato, todos os que desejam viver piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos.”. No capítulo anterior (2 Tm. 2:12) o mesmo apóstolo declara: “...se perseveramos, com ele também reinaremos. ..”. Paulo outra vez afirma em Romanos 8:17: “Se somos filhos, então somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se de fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua glória.”. O apóstolo Pedro põe no sofrimento um sentido prático, quando escreve em 1 Pedro 2:21: “Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos.”.

Para o filho de Deus, não existe sofrimento na morte. No céu, a Bíblia ensina que já não haverá mais sofrimentos. Apocalipse 21:4 diz que no céu “Ele enxugará dos seus olhos toda lágrima. Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, pois a antiga ordem já passou.”. Para os que colocam sua fé e confiança em Jesus Cristo para sua salvação, a morte física será o fim de todo sofrimento para sempre. Mas para os que repudiam a Cristo, seu sofrimento na morte estará apenas começando.

Em Marcos 16:25, Jesus Cristo relata uma parábola de duas pessoas. Uma era rica e tinha tudo do bom e do melhor. E a outra pessoa era Lázaro, um homem pobre que, além de pedir esmolas, sofria enfermidades físicas. Jesus Cristo disse que ambos morreram. Não obstante, o rico, que durante sua vida pouco sofrera, estava agora atormentado pelas chamas do inferno. Lázaro, em contraste, estava consolado. Podemos assegurar-nos que, em Cristo, todo sofrimento chegará ao fim na morte.

II.    Não haverá mais tristezas.                                                                                                      Na vida nós suportamos muitas tristezas. Entristece-nos a morte de entes queridos. Há pouco tempo meu pai faleceu. Ainda que meu pai fosse bem idoso, mesmo assim senti muito a sua ausência. Há dois meses morreu um jovem, filho do meu primo no Brasil. O vazio que ele deixou foi grande para seus pais e amigos. 
As doenças também nos entristecem. Minha esposa trabalha na UTI de um hospital local e sempre está consolando a pessoas doentes e seus parentes.

Perdas de emprego e muitas outras experiências são más. Quando estive no Brasi, há poucos dias, a Varig, maior companhia aérea da América Latina, tinha ido a falência, deixando milhares de pessoas sem emprego e centenas de pessoas sem passagem. Entre elas irmãos da igreja que trabalhavam para aquela companhia.

Em João 14:1, Jesus Cristo diz palavras de consolo, ao fazer esta promessa: “Não se perturbe o coração de vocês.”. Os apóstolos e discípulos estavam tristes com a notícia de que Cristo os deixaria. Sem dúvida, o Senhor lhes prometeu que nunca os abandonaria e lhes enviou seu Espírito.

Podemos viver em paz ao saber que no céu não haverá tristeza. Apocalipse 21:4 afirma que no céu não haverá “nem tristezas”. Em Isaías 35:10, lemos estas palavras proféticas: “...e os que o SENHOR resgatou voltarão. Entrarão em Sião com cantos de alegria; duradoura alegria coroará sua cabeça. Júbilo e alegria se apoderarão deles, e a tristeza e o suspiro fugirão”. Isaías 65:19 nos informa que Deus se regozijará em seu povo e no céu, e que já não haverá nem choro nem tristeza. Gloriamo-nos em Deus de que no céu não haverá mais tristezas.

Há uma canção brasileira intitulada “Orfeu do Carnaval”. O refrão da canção diz simplesmente: “Tristeza não tem fim; felicidade sim”. A canção fala da ilusão do carnaval: fazer as fantasias, carros alegóricos e toda a preparação para o evento, que é pagão; logo tudo termina três dias depois. A preparação antecipada dura quase o ano todo, mas a festa acaba em três dias. Podemos dizer o mesmo quanto ao Natal: a compra dos presentes, a decoração da árvore, preparação da ceia, etc. E no dia seguinte há um grande vazio no coração de todos, devido à tamanha antecipação e preparação para tão pouco...

Mas no céu não haverá tristeza, porque as coisas velhas já passaram. A antecipação pelo céu é maior já que as bênçãos celestes nunca terminam.

III.    Não haverá mais enfermidades
Chegará um momento na vida em que todos nós teremos doenças. Seja um simples resfriado ou uma gripe, ou mesmo algo mais sério como doenças cardíacas ou câncer. Todos nós passamos por doenças. Desde que o pecado entrou no mundo, na época de Adão e Eva, todos temos a maldição das enfermidades até que alguma delas nos leve à morte. A Bíblia diz que nós todos morreremos. Sem dúvida, a morte para o cristão é a graduação da glória. Por isso é que, nas Escrituras, a morte do cristão é descrita como “dormir”. Nossos antepassados cristãos, ao darem o último suspiro, “dormiram”. 

Na sua Palavra, o Senhor nos dá outra esperança consoladora. Apocalipse 21:4 diz que no céu já “não haverá mais morte”. Jesus Cristo provou com sua ressurreição que a morte já não tem poder sobre o ser humano. O mesmo poder que ressuscitou a Cristo também nos ressuscitará. Ao escrever a primeira carta aos Coríntios, o apóstolo Paulo afirma: “Quando, porém, o que é corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal, de imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: “ A morte foi destruída pela vitória”. Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a Lei. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1 Co.15:54-57).
A morte não será vitoriosa. A morte perderá seu poder; será tragada. “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16). No céu, já não haverá doença nem morte. Somos vitoriosos sobre a morte não porque somos bons, e sim pelos méritos de Jesus Cristo.

IV.    Não haverá mais separações
A Bíblia diz que, quando estamos ausentes do corpo, estamos presentes com o Senhor. É maravilhoso e consolador saber que como filhos de Deus, no momento em que fechamos os olhos na morte, seremos instântaneamente transportados até a presença de Deus. Podemos nos assegurar disto pela história de Lázaro e o rico. Em Lucas 16:22, sabemos que, quando Lázaro morreu, anjos o levaram para o seio de Abraão, o lugar mais conhecido pelos judeus. Em João 14:3, Jesus Cristo explica porque nosso coração não deve se preocupar. Ele afirma: “E se eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver.”.
Parece interessante que, ao falar do novo céu e da nova terra, em Apocalipse, João afirma que “não existirá o mar”. Seguramente, não haverá mais mares nem céu. Mas acho que João estava mencionando algo a respeito de seu desejo de estar perto dos irmãos e amigos. Sabemos que João, por causa da perseguição do governo romano, estava exiliado na ilha de Patmos, na Grécia. Aquela ilha era uma espécie de Alcatraz europeu da época, um lugar horrível, colônia romana para onde enviavam os indesejáveis. Para João, o mar Egeu separava-lhe de seus entes queridos. Portanto, um céu ideal para João não teria mar. No céu de Deus não haverá nada que possa separar-nos da comunhão com Jesus Cristo.

É fácil se identificar com esse ponto, sobretudo alguém que um dia decidiu deixar seu país e começar a vida em outro muito distante. Minha história e a da minha esposa é semelhante à de muitos imigrantes. Há centenas de quilômetros de distância entre nós e nossos entes queridos que vivem em outro país. Por sorte, estive presente no funeral de minha mãe, mas não compareci ao enterro de meu pai por causa da grande distância.

Existem muitos imigrantes, assim como existem também os que estão planejando sair de seu país. Posso lhes garantir que a mudança poderá beneficiá-los materialmente. Poderão ter um carro, uma casa, geladeira, etc. Mas sentirão grande dor, um grande vazio pela separação, por deixar pais e amigos no país de origem.

Pontos a ponderar:                                                                                                                     Ainda que seja algo temido por muitos, a morte física dos filhos de Deus é considerada "preciosa" por ele. Já pensou nisto? Já pensou no fato de que algum dia também morrerá? Creio que precisa pensar nisto. Assim, quando a morte chegar, estará preparado. Você está preparado? Já aceitou a Cristo como seu Salvador e Senhor? Se não, então não está preparado para seu encontro com a morte. Paulo diz que todos nós morreremos, e que depois da morte vem o juízo final. Dizem, nos Estados Unidos, em tom de brincadeira, já que o país é conhecido por seus altos impostos, que só há duas coisas certas na vida: a morte e os impostos. Sem dúvida, a Bíblia concorda que há duas coisas certas sim, que uma delas é a morte e que a outra é o juízo. Podemos lhe garantir que você terá que enfrentar a morte e também o juízo. Você está preparado?

Perguntas para meditação:                                                                                                             1. Você já perdeu algum ente querido que deixasse um vazio na sua vida?

2. Por que o Salmo 116 diz que, segundo Deus, a morte deve ser “estimada”?

3. Quais são as bênçãos do céu das quais a Bíblia fala?

 (Para voltar ao site "Sermões e seminários" favor clicar aqui: www.luisseckler.blogspot.com