A estupidez do tolo

 
Lições do Salmo 14


    1 Diz o tolo em seu coração: “Deus não existe”.
         Corromperam-se e cometeram atos detestáveis;
         não há ninguém que faça o bem.
    2 O SENHOR olha dos céus para os filhos dos homens,
         para ver se há alguém que tenha entendimento,
         alguém que busque a Deus.
    3 Todos se desviaram, igualmente se corromperam;
         não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer.
    4 Será que nenhum dos malfeitores aprende?
         Eles devoram o meu povo como quem come pão,
         e não clamam pelo SENHOR!
    5 Olhem! Estão tomados de pavor!
         Pois Deus está presente no meio dos justos. (Salmos 14:1-5)

É verdade que, desde o início dos tempos, a raça humana foi molestada com inquietudes a respeito da vida, da morte, da maldade e do propósito de viver. Estou convencido que as duas principais inquietações que todos temos são estas:

    1) Deus existe?
    2) Se Deus existe, falou ou se revelou de tal maneira que o podemos conhecer?

Se a resposta é negativa então não importa se Deus existe ou não. Agora, vejamos: se Deus existe, de que vale poder conhecê-lo e entender o que Ele quer me comunicar? Este é um dos argumentos mais freqüentes dos mahometanos e os da Nova Era. Para eles Deus não é um Deus pessoal e não é possível conhecê-lo. Estas posições são inquietantes ou fatalistas.

O que quero tratar hoje é a declaração do tolo: “Deus não existe!”

Há os que dizem: “Nunca vi a Deus”. Isso é natural. O mesmo se passa com a gravidade e com o oxigênio, quer dizer, jamais os vimos. Não obstante, estamos utilizando-os neste mesmo instante. Isso prova que não precisamos vê-los para poder desfrutar deles.

Sabe o que é surpreendente a respeito deste Salmo? É que começa com pessoas que não acreditam em Deus. É bom que compreendamos que:

•    Existem 41.173 versos na Bíblia, e Deus dá somente a metade de um verso ao ateu.
•    Existem 774.746 palavras na Bíblia, e Deus dá somente 11 palavras ao ateu.
Certo homem reclamava ao amigo por não haver um dia de descanso para os ateus. Ele afirmava: “os cristãos têm Natal e Páscoa, os judeus têm Hanukkah e o Yan Kippur. Mas nós os ateus não temos nada.” Assim, levou seu pedido a um juiz da Flórida, mas esse fez pouco caso, dizendo que esse dia já existia. Ao perguntar ao juiz que dia era esse, obteve a seguinte resposta: “É o dia 1º de abril, dia da mentira (em inglês: April fool’s day – dia dos tolos)”. E continuou: “Diz o tolo em seu coração: Deus não existe”.

Há somente três coisas que podemos fazer com Deus, as quais se encontram no Salmo 14.

1. Podemos negar a existência de Deus                                                                                     Salmo. 14:1: “Diz o tolo em seu coração: ‘Deus não existe’. Corromperam-se e cometeram atos detestáveis; não há ninguém que faça o bem.”

Aproximadamente 7% dos americanos fazem assim. Dizem assim: “Deus não existe, portanto sou um tolo”. O que lemos é o único diálogo que Deus tem com o ateu. Não há mais do que duas sentenças: ”Não existe Deus” e Deus lhe diz: “Tolo” e acaba a conversa.

Isso me lembra um menino que falava com seu pai ateu a respeito de Deus, durante o jantar, e perguntou-lhe: “Papai, o senhor acha que Deus sabe que acreditamos nele?” As grandes verdades sempre saem pela boca de uma criança!

Mesmo o gênio mais inteligente, com o QI mais elevado, ainda pode ser um tolo. Uma pessoa mais culta pode saber o que significa E=MC2, mas, espiritualmente falando, pode não conhecer o ABC a respeito de Deus.

Pense: o cientista mais inteligente que vê um carro, não tem nenhuma dificuldade em crer que exista um projetista. Vê um retrato num quadro e não tem dificuldade em crer que exista um pintor. Lê um livro e não tem nenhuma dificuldade em crer que exista um escritor. Mas, ao ver a criação, nega a existência de um Criador. Isso, além de ser incongruente, é triste.

Albert Einstein, em 1916, estava muito chateado ao descobrir que o universo não era eterno. Teve um início de uma “irritação profunda”. “Filosoficamente, a noção de um princípio de ordem presente na natureza era repugnante para mim... Devia encontrar uma saída genial”.

Então, em 1949, escreveu: “A ciência sem religião é manca; a religião sem a ciência é cega”.
Ainda que exista apenas uma pequena porcentagem de ateus no hemisfério ocidental, a verdade é que há mais tolos do que queremos admitir. Há também muitos tolos que dizem ser cristãos.

Há duas classes de ateus:
•    O intelectual – este acha que Deus não existe.
•    O prático – este age como se Deus não existisse.

E a pessoa mais tola no mundo atual não é a intelectual e sim a prática, a que diz que crê em Deus, mas que age como atéia, como se Deus não existisse.
O ateu prático pensa assim:

•    Sim, Deus existe, mas vou viver sem ele.
•    Sim, a Bíblia existe, mas não viverei de acordo com ela.
•    Sim, existe um dia do Senhor, mas neste vou dormir até tarde ou vou pescar.

Entre os ateus mais famosos da nossa época, existe uma mulher de nome Madelyn O’Hare. Seu filho, William, a cita dizendo: “Sou atéia porque sou atéia, não porque investiguei o que há por detrás de todas as estrelas ou olhei debaixo de toda pedra para provar que Deus não existe. Sou atéia porque quero viver a minha vida como se Deus não existisse”. Não faz muito tempo essa senhora desapareceu e nunca mais se soube nada acerca dela.

Posso entender porque a Sra. O’Hare disse isto, mas será que as pessoas que crêem em Deus dizem o mesmo?

2. Podemos detestar qualquer resposta que afirme que Deus exista.                                      Entendam bem o que vou lhes dizer. Deus não trata os ateus em nível intelectual, porque o ateísmo não é um problema intelectual e sim moral. O ateísmo não é um problema do pensamento e sim um problema do coração. O ateísmo não tem tanto a ver com a pessoa que não pode crer em Deus, e sim com a que não quer crer no Criador.

Por quê? (Verso 1)
O problema maior de um ateu não é a evidência, e sim a grande ameaça que Deus pode ser para o seu estilo de vida. Pense nisto: se Deus não existe, então não há juízo, nem castigo, nem a diferença entre certo e errado. E se é assim, então por que não viver segundo bem entender? Por que não continuar com sua vida de pecados, se para ele não são pecados já que afirma que Deus não existe?

Se Deus não existe, por que não cometer adultério ou fornicação? Por que não mentir ou roubar? Por que não viver como se a selva fosse seu lar? Talvez vocês pensem que estou exagerando, mas essa é a realidade. Salmos 10:13 diz assim: “Por que o ímpio insulta a Deus, dizendo no seu íntimo: ‘De nada me pedirás contas!’?”

Aqui está uma razão prática, que explica porque vivemos como o ateu prático: Não é necessário prestarmos contas a Deus!

Todos nós conhecemos Bin Laden, Saddam Hussein, Hamas Hezbollah e outros que aterrorizam a todo o mundo. Estes crêem que se darão bem e que, de alguma maneira, 70 virgens e vinho em abundância os esperam depois da morte
Também o narcotraficante, causador da desgraça de milhares de pessoas, e os que traficam pessoas, é que pensam que se darão bem. É por isto que o ateu intelectual se esforça por deixar a Deus de todo modo e fazer um inferno na terra. Enquanto isso, os ateus práticos os aplaudem, porque acham que isso fará bem à sua consciência. 

O homem que tentou retirar das notas de dólares a afirmação: “Em Deus nós confiamos”, por dentro está gritando: “Chega de me lembrar que tenho que prestar contas a Deus”. Não há nada a ver com suas convicções e sim com sua vida de pecados.

Por que o cristianismo está sob ataque de várias maneiras? Quando as pessoas começam a ser intolerantes com Deus, não demorarão a ser intolerantes com o povo de Deus. Quando os ateus vêem que nos parecemos com Cristo, isto os incomoda bastante e sua consciência começa a levá-los a fazer algo destrutivo. Um ateu não pode encontrar a Deus da mesma forma que um ladrão não pode encontrar a polícia. Isso arruinaria a vida de ambos.

3. Podemos deleitar-nos na aproximação com Deus (V. 5 - “geração justa”)                                     Não tem nada a ver com pessoas fazendo o que é correto, e sim com pessoas que sejam corretas. Há uma grande diferença. São pessoas que querem ver a Deus com seus corações e mentes. Lemos em Jeremias 29:13o seguinte: “Vocês me procurarão e me acharão quando me procurarem de todo o coração”.

Aqui está a chave: uma aproximação de Deus é somente possível através da fé. Não é pela ciência, nem pelo tato. E não permita que lhe ridicularizem por viver pela fé, porque o ateu também vive assim. Para ser ateu é preciso mais fé do que para ser cristão. Para crer nas barbaridades afirmadas pelos ateus, é preciso de muita fé.

Um professor ateu da universidade de Purdue, nos EUA, leu para os estudantes estas palavras de seu livro: “Mesmo que os evangélicos aceitem a Deus pela fé, eu repudio a idéia de Deus pela fé, mas não posso repudiar a Deus somente pela razão, porque existe muita evidência de sua existência. É pela fé que sou ateu”.

Como crentes temos este privilégio: poder provar a vitória e o perdão de Deus e passar a eternidade com ele. Talvez comecemos com a mente, através de estudos, mas também nos convencem as provas do texto estudado, e não demoraremos a levar essa mensagem ao coração.

Havia um homem chamado O. W. Saunders que passou grande parte de sua vida sem Deus. Saunders era um jornalista muito conhecido nos Estados Unidos há uns cem anos atrás. No final de sua vida escreveu estas comoventes palavras:

Eu gostaria de apresentar-lhe a pessoa mais solitária da terra. Refiro-me ao homem que não crê em Deus. Posso apresentar-lhe porque eu sou esse homem. Ao apresentar-me, apresento um ateu cético que vive em sua comunidade, porque está em todas as partes.” Se surpreenderia em saber que o ateu inveja-lhe a fé em Deus e sua crença no céu depois da morte? O ateu tem ciúme da sua abençoada segurança de que encontrará com seus entes queridos depois desta vida, sem dor nem tristeza.

O ateu daria qualquer coisa para poder abraçar a fé e consolar-se nela, já que para ele somente existem duas coisas: a tumba e a persistência da matéria.

O ateu pode encarar a vida com um sorriso e atitudes heróicas. Pode parecer muito valente, mas não é feliz. Vive assombrado e reverente perante a imensa majestade do universo, sem saber de onde veio nem por que. Vive atormentado com a precisão do espaço e a infinitude do tempo, humilhado por sua pequenez, fraqueza e brevidade.

Certamente ele deseja um lugar onde apoiar-se, já que também carrega uma cruz. Para ele a terra é como uma balsa malfeita, vagando pelas águas da eternidade sem horizonte à vista. “Dói-lhe o coração por cada vida na balsa porque sempre está vagando, sem saber pra onde irá”.

Talvez haja aqui uma pessoa na mesma situação em que se encontrava este pobre homem. Se há, quero dizer-lhe que Deus existe e que lhe ama e deseja, e que entregou sua vida por você, e seu nome é Jesus Cristo. Fez tudo o que fez para que você tenha a certeza de que seus dias de vagueio terminaram.

Conclusão:
Ninguém quer ser tolo, sobretudo um tolo segundo o Salmo 14. Se voce não acha que Deus existe, sua Palavra diz que você é tolo. Provavelmente não se nasce tolo. Deve ser algo que se aprende. A pessoa tola perde o respeito por Deus, se torna incrédula por conveniência, para que a crença em Deus não a force a mudar seu estilo de vida. Mas a incredulidade é equivalente à necessidade porque não leva a nada; leva ao desespero e à destruição. Porque se tudo acaba no túmulo, então não existe razão para viver, amar, servir, etc.

Não seja tolo e aceite o amor de Deus, assim terá um futuro com ele, e já no presente a Jesus Cristo com o Espírito Santo.
 
Perguntas para meditação:

    1. Em que sentido o ateu é um tolo?

    2. Como é que uma pessoa deixa de crer em Deus?    

    3. Quanto carinho e paciência Deus tem para com o ateu?

    4. Como o ateu poderá chegar a crer em Deus?

    5. Você já teve momentos de dúvida na sua vida?

    6. Qual a solução para as dúvidas a respeito da fé? 

(Para voltar ao site "Semões e seminários" favor clicar aqui: www.luisseckler.blogspot.com   )