A adoração a Deus

 

Lições do Salmo 5   

    1 Escuta, SENHOR, as minhas palavras;
         considera o meu gemer.
    2 Atenta para o meu grito de socorro,
         meu Rei e meu Deus, pois é a ti que imploro.
    3 De manhã ouves, SENHOR, o meu clamor;
         de manhã te apresento a minha oração
         e aguardo com esperança.
    4 Tu não és um Deus que tenha prazer na injustiça;
         comigo o mal não pode habitar.
    5 Os arrogantes não são aceitos na tua presença;
         odeias todos os que praticam o mal.
    6 Destróis os mentirosos;
         os assassinos e os traiçoeiros o SENHOR detesta.
    7 Eu, porém, pelo teu grande amor, entrarei em tua casa;
         com temor me inclinarei para o teu santo templo. (Salmos 5:1-7)

Neste Salmo Davi faz um contraste entre os bons e os maus. Os bons estão separados dos maus pela maneira com que se relacionam com Deus; os maus estão separados de Deus, e Deus está contra eles. Por outro lado, o bom pode chegar perto de Deus, orar a Ele, cantar-lhe louvores, e como recompensa receber sua benevolente atenção. Davi se alegra em saber que ele faz parte do número dos que adoram a Deus de maneira agradável a Ele. Realmente, é o privilégio e a alegria de adorar a Deus que Davi celebra em muitos de seus Salmos.

Em nossa época, um entusiasmo igual ao de Davi é uma raridade. O ato de adoração é de importância menor na vida da maioria dos que crêem. A adoração é freqüentemente tratada com indiferença. No pensamento perverso de nossa sociedade, os que vão à igreja sempre se enquadram como pessoas estúpidas ou hipócritas. Algumas pessoas pensam que não importa como ou quando se deve adorar a Deus. Nesta lição eu gostaria de enfocar as palavras de Davi, principalmente as do verso 7, para vermos o que nos ensinam a respeito do significado da adoração a Deus.

I. “Eu, porém” – Davi quer que saibamos que ele tomou uma decisão pessoal de adorar a Deus. Diferentemente dos que enganam a Deus e lhe renegam a direção, Davi queria estar na casa de Deus. Queria estar presente para adorar ao Criador. Como disse em outro lugar: “Me prostrarei em reverência a ti”. A adoração verdadeira é algo muito pessoal. Quando nos reunimos como igreja, a adoração é mais formal por ser pública. Cada pessoa participa na medida em que pode e quer. A adoração é pessoal, por isso não pode ser forçada, muito menos ser feita por outra pessoa. Mas quando estamos sozinhos com Deus, estamos mais tranqüilos e é ali que cantamos e oramos, meditamos e Lhe confessamos nossos pecados e Lhe dizemos o quanto o amamos. É nesses momentos preciosos que nos sentimos bem perto de Deus. Todos nós recordamos de períodos como esses em que nos sentimos muito mais perto do Senhor.

Com freqüência Davi expressa sua alegria em somente pensar na adoração. (Salmos 122) Os Salmos nos estimulam a desejar a adoração com vontade e entusiasmo. (Salmos 100) Deus quer que os que o adoram o façam em espírito e em verdade (João 4:23) Para que nossa adoração seja significativa, devemos participar dela com todo o coração. Muitas pessoas, na adoração, se esforçam por agradar aos presentes, sem nenhuma consideração por quem realmente deve receber nossa adoração: o Deus Todo Poderoso. Quando adoramos, Deus é nosso auditório. Devemos dizer que, igual a Davi, seremos diferentes do mundo quanto a nossa atitude em relação à adoração. Devemos nos entregar a adoração e desfrutar do privilégio da mesma.

II.“Pelo teu grande amor” – Davi era um homem que não escondia seus pecados. Ele achava que não era digno de aproximar-se de Deus nem para adorá-Lo. Era somente pela graça de Deus que chegava perto Dele e oferecia-Lhe orações e sacrifícios. Davi via a adoração como um grande privilégio, um favor que Deus fazia a Davi, e Davi dava graças a Deus por isto. 

Poucos pensam na adoração da mesma maneira que Davi. A maioria a vê como um favor que fazem a Deus. Se assistirem ao culto umas poucas vezes por ano, parece-lhes que estão fazendo um grande sacrifício e que, por isso, Deus deve estar contente por terem dedicado seu tempo a Ele. Para podermos corrigir esta atitude equivocada, devemos pensar mais em como seriam as coisas depois de partirmos desta vida. A atividade principal a qual nos dedicaremos na eternidade será a adoração, louvor e serviço a Deus.  O Céu será uma eterna assembléia dos santos.

Agora, poucos de nós seriam tão arrogantes para sugerir que estaríamos fazendo um favor a Deus se fôssemos ao céu para adorá-Lo. Reconhecemos que tal oportunidade seria um presente de Deus de valor incalculável. Então, por que é que a adoração aqui na terra é tão pesada para alguns?

III. “Entrarei” – Quando Davi disse isso, não tinha um horário determinado em sua mente. Através dessas palavras, Davi expressa sua intenção de fazer da adoração uma parte integrante de sua vida. O compromisso de adorar a Deus é um compromisso de adorar continuamente, regularmente e com freqüência. Este compromisso está vinculado ao primeiro ponto. Se a pessoa se alegra e deseja a adoração de todo o seu coração, então não terá difculdades em encontrar tempo para fazê-la.

IV. “Em tua casa” – Com isso Davi designou para a adoração da época o Templo de Deus em Jerusalém, o que disse em seguida. Davi não entraria no templo propriamene dito a não ser no átrio ao redor do mesmo, onde eram oferecidos sacrifícios e orações e onde se entoavam cantos. Para os judeus que viviam sob a antiga lei, esse era o único lugar onde podiam completar todos os atos de adoração requeridos pela lei.

A lição que podemos tirar daqui é que também nós temos uma casa de Deus onde devemos entrar para completarmos a adoração requerida por Ele. A atual casa de Deus é a igreja (Ef. 2:19-22). Como uma pessoa pode cantar e orar a Deus em particular, como também pode (e deve) estudar a Palavra dEle, assim o Senhor também chama seu povo para se reunir para o culto público.(Hb. 10:23-25) Somos instruídos para cantar juntos (Cl. 3:16). Também recebemos ensinamentos que nos motram que devemos orar juntos (1 Tm. 2:8). Da mesma maneira, temos instruções para juntos estudar as Escrituras (1 Tm. 4:13) e juntos participar da ceia do Senhor (I Co. 11:33). Assim como Davi, devemos comprometer-nos a entrar na casa de Deus com regularidade para adorá-Lo.

V. “Com temor me inclinarei para o teu santo templo” – Quando Davi entrava na casa de Deus, fazia-o com um propósito específico. Ele ia ao Templo para adorar e honrar a Deus. Davi não ia para se entreter ou somente para saudar e conversar com seus irmãos na fé, ainda que isso seja algo importante. Para Davi, a casa de Deus era um lugar sagrado, dedicado ao serviço de Deus. Quando ele ia ao Templo, a única coisa que tinha em sua mente era servir a Deus através da adoração.

Hoje a casa de Deus é a igreja. Ao dizermos igreja nos referimos tanto a nós quanto ao prédio onde nos reunimos, ainda que esse não seja o lugar ideal. A igreja é a reunião dos santos para o serviço e a adoração a Deus. Assim como Davi, devemos entender bem porque nos reunimos na casa de Deus. A igreja foi edificada por Jesus, o Filho de Deus (Mt. 16:18). Foi uma compra paga com o sangue de Cristo (At  20:28). Leva seu nome (Rm. 16:16). Foi dedicada à missão que Cristo deu-lhe (Mt. 28: 18-20). Enquanto compreendemos que o edifício da igreja não é sagrado como era o templo sob a antiga lei, também entendemos que a igreja, o corpo dos salvos que se reúne para fazer a obra de Deus, é sagrada. Há muitas pessoas no mundo que fazem de sua igreja centros para obter coisas mundanas. Vão até a igreja para encher o estômago e para se entreterem. Paulo diz que não devemos depreciar a igreja dessa maneira (1 Co. 11: 22-34). O que fazemos juntos como igreja deve ser feito em reverência a Deus. Somente se pode reverenciar a Deus seguindo suas instruções para a obra e a adoração da igreja. Assim como Davi, quando formos até a casa de Deus, devemos nos comprometer que será para nos inclinarmos em reverência a Ele. Todo o resto não é aceitável.

Conclusão:                                                                                                                                   Se nós queremos ser incluídos entre os justos, então devemos partilhar o entusiasmo e o respeito de Davi para com a adoração a Deus. Que cada um de nós faça um compromisso pessoal para entrar na casa de Deus para de fato dar-lhe honra e adorá-lo.

Perguntas para meditação:

    1. Descreva um dia no qual você sentiu que estava verdadeiramente adorando a Deus.
    2. Às vezes os períodos de adoração espontânea são os mais agradáveis. Descreva um destes períodos
    3. Em que parte do dia o salmista orava?
    4. Como o autor descreve a Deus neste Salmo?
    5. Segundo este Salmo, quem estará ausente aos olhos de Deus?
    6. Qual a diferença entre o culto público e o culto privado?
 

(Para voltar ao site "Sermões e seminários" favor clicar aqui: www.luisseckler.blogspot.com   )