Locomotivas‎ > ‎Elétricas‎ > ‎

Metropolitan-Vickers

A Rede de Viação Paraná-Santa Catarina adquiriu dez locomotivas elétricas para servirem ao trecho Curitiba-Paranaguá. Era o ínicio de um ambicioso projeto de eletrificação. Elas eram idênticas às fornecidas à Rede Mineira de Viação, dispondo de potência de 900 HP contínuos (ou 1071 HP unihorários) e fornecidas pela firma inglesa Metropolitan-Vickers. Essas máquinas chegaram ao Brasil entre o final de 1952 e o início de 1953.

 
 Núm. SIGO  Núm. Serial  Data de fabric.  Entr. em oper.  Ferrovia Original  Núm. Orig.  Ferrovia 2° Transf.  Núm. 2ª Transf.  Obs.
8009-xE  772  1951 1953
RVPSC
2000
RFFSA-RMV 914
 Emprestada para EFS. 1ª Transferencia para RMV
8010-xE  773 1951 1953
RVPSC
2001 RFFSA-RMV 915 1ª Transferencia para RMV 
8011-xE 774 1951  1953  RVPSC 2002
RFFSA-RMV 916  
8012-xE  7751951  1953  RVPSC 2003 RFFSA-RMV 917  
8013-xE  776 1951  1953  RVPSC 2004 RFFSA-RMV 918 Preservada estática em São João del-Rei
 ND  777 1951  1953  RVPSC 2005 RFFSA-RMV 919 1ª Transferência para RMV 
 8014-xE  7781951  1953  RVPSC 2006 RFFSA-RMV 920 1ª Transferência para RMV 
 ND  779 1951  1953  RVPSC 2007 RFFSA-RMV 921  
8015-xE  780 1951  1953  RVPSC 2008 RFFSA-RMV 922  
 8016-xE  781 1951  1953  RVPSC 2009 RFFSA-RMV 923

Obs.:
1 - Não possui confirmação da correlação entre a numeração das locomotivas da RVPSC com as da RMV, portanto a nº2000 da RVPSC pode não corresponder a nº914 na RMV.

2 - Das cinco locomotivas transferidas em 1982 para a RFFSA-VFFLB somente existe evidência (fotográfica) das locomotivas nº 901 e 903. Entretanto relatos indicam que foi transferida pelo menos uma locomotiva ex-RVPSC. Essas maquinas foram sucateadas por volta de 1988.

3- Apesar de terem sido alocados números para as MV na proposta do sistema SIGO, é desconhecido pelos autores deste site, qualquer unidade que tenha sido efetivamente renumerada entre 1984 e sua baixa. 


Das Metropolitan-Vickers que permaneceram na SR-2 (Belo Horizonte), apenas duas sobreviveram: a nº 902, enviada para Curitiba-PR, posteriormente Paranaguá-PR, hoje encontra-se aguardando restaúro sobre a responsabilidade da ABPR-PR, e a nº 918, preservada na rotunda de São João del-Rei. Ironicamente as “sobreviventes foram trocadas, pois a nº 902 que era originária da RMV foi para o Paraná e a nº 918 que era originária da RVPSC ficou em Minas Gerais.


Fontes:
Gorni, Antonio Augusto. A ELETRIFICAÇÃO NAS FERROVIAS BRASILEIRAS (em Português). São Vicente-SP: [s.n.], 2009. 368 p.

Carvalho, Jonas Augusto Martins de. As elétricas da RMV (em Português). São João Del-Rei-MG: [s.n.], 1 de maio de 2011.