Pensamento:

Palpite:

Indivíduo, pessoa, cidadão?

Ser humano, independente do que for. Se, desde o início assim fosse impresso, desconfortos não existiriam, porque o preconceito se dissemina, motivado pela apresentação e não pelo fato em si.

Igualdade?

No conturbado contexto do interior humano, é inadmissível a ideia de igualdade plena. Rejeitada, notadamente, até mesmo por aquele que tem poder de deter um centavo em meio à lama. Mas, se astúcia e engenhosidade são fatos, é natural que leis coerentes sejam sombras, para poderem, assim, dar sustentabilidade ao aparato social, os quais: educação, segurança, saúde, justiça e seguridade social, preservam, no tocante ao nosso país, qualidades questionáveis.

Corrupção?

Nada mais significa do que destruição. Nas empresas particulares, em geral, esse terrível mal, não existe. Uma vez existindo, o dono ou dirigente, imediatamente grita! Assim, qual o terreno fértil para germinar? Entre governos, em governo, e, por incrível que pareça, entre empresas e governos. Alimentando−se de vantagens medonhas, do patrimônio e do dinheiro público, levando o aparato social à ruína. Terreno, no entanto, fertilizado por gerentes de personalidades fragilizadas.

Justiça?

Menor complexidade das leis que regem a Justiça.

Vem à atuação ou o julgamento. Então, códigos, alíneas, parágrafos, vírgulas, súmulas, travessões, entre outros, extraídos de manuais diversos, fazem a festa, cujo desfecho, em muitas vezes, quando não frustrante, é desolador.




53 PEQUENAS HISTÓRIAS.

À PARTE:

O HOMEM DA ESTAÇÃO

BIL UIL - A HISTÓRIA


SINOPSE

A ilusão vivida por Alex de que Ele havia lhe reconstituído o corpo é usada numa orquestração maliciosa para sanar problemas financeiros. Culmina com o ato de cura do senhor Neri. Com o anunciado Vicente, dotado de poderes sobrenaturais, proferindo parábolas embaraçosas sobre a existência dEle, bem como, repreendendo, veemente, os que nEle, fingidamente, acreditam. História escrita por uma moradora da cidade de Rubin.

SINOPSE

O título da história poderia ser SOMBRA DA GLÓRIA. Bil Uil, dezesseis anos depois, retorna a Tylide para vingar a morte dos pais. Locado no estábulo do amigo Dam, este, uma vez ciente da intenção, procura com palavras de advertência desencorajá-lo do intuito: vingança gerava vingança. O mal associava e procriava. Despreza e parte para cumprir a missão na qual resulta o desencadeamento das proféticas palavras do amigo.

Seria horrível para mim ter passado por aqui e

não ter registrado o que acredito que vi.


Revisão textual: Prof. Luiz Gonzaga P. Souza

Rio de Contas - MG


TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.