CRONOLOGIA

 

Portolani Books Volume Dois: Misérias do Exílio


INÍCIO                                    SEGUINTE                                ANTERIOR

Esta cronologia refere exclusivamente os acontecimentos

narrados ou mencionados no presente livro e dos quais a autora

teve conhecimento durante a sua estadia em Argel.

                

CRONOLOGIA

MÊS

ANO

ACONTECIMENTO

Verão

1962

Complot de Rabat, em que participam os dirigentes da CONCP, Fernando Piteira Santos, Michel Raptis-Pablo e Jacques Vergès

Novembro

1962

Argel, festas da independência. Michel Raptis-Pablo e Jacques Vergès são nomeados conselheiros de Ahmed Ben Bella, presidente da Argélia

15 Novembro

1962

Viriato da Cruz publica um comunicado dirigido aos militantes do MPLA em que denuncia a situação dentro do movimento e propõe um Congresso para resolver os problemas

Dezembro

1962

Iª Conferência da Frente Patriótica de Libertação Nacional, Roma, em que Humberto Delgado, ausente no Brasil, é representado por Manuel Sertório. Eleita uma 'Comissão Delegada', composta por Fernando Piteira Santos, Tito de Morais, Ruy Cabeçadas e um representante do PCP

Janeiro

1963

Chegada de Tito de Morais a Argel. Instalação da sede da FPLN

4 Fevereiro

1963

Inauguração da sede do MPLA por Ben Bella na presença de Agostinho Neto

Primavera

1963

Fundação da Junta de Acção Patriótica dos Portugueses de Argel. Começam os conflitos entre as bases e a direcção da FPLN

Março

1963

O general Delgado é operado no Rio de Janeiro. Segundo Manuel Sertório, tratava-se da extracção da vesícula biliar

Maio

1963

Delgado realiza uma breve viagem à Europa e encontra-se com Álvaro Cunhal em ’Chateau Grand’.

Verão

1963

Chegada a Argel do representante do PCP, Pedro Soares, que integra a 'Comissão Delegada'.

Junho/Julho

1963

Comité de Coordenação pela Libertação de África, da OUA, decide enviar para Léopoldville uma Missão de Boa Vontade com o fim de tentar a reconciliação dos movimentos nacionalistas angolanos

5 Julho

1963

Alguns dirigentes do MPLA, incluindo Viriato da Cruz e Matias Miguéis, publicam um comunicado apoiando o GRAE e denunciando a direcção do MPLA-Neto

13-18 Julho

1963

A Missão da OUA recomenda a todos os governos africanos o reconhecimento de jure do GRAE dirigido por Holden Roberto

3 Agosto

1963

Révolution Africaine

, na sua edição nº 27, publica um dossier sobre os movimentos nacionalistas angolanos e o reconheci- mento pela OUA da FLNA de Holden Roberto como único movimento que luta pela independência

28 Outubro

1963

Quatro membros da FPLN, Helder Veiga Pires, Zulmiro de Almeida, António Marcelo Fernandes, e José Joaqum Hipólito dos Santos, apelam a Delgado, no Brasil, pela sua urgente presença na Argélia

Dezembro

1963

IIª Conferência da FPLN, em Praga. É constituída a Junta Revolucionária Portuguesa sob a presidência de Humberto Delgado. A Conferência encerra a 2 de Janeiro de 1964

Janeiro

1964

Delgado entra no Statni Sanatorio, em Praga, onde fica internado cinco meses. É operado nos dias 21 de Janeiro e 3 de Fevereiro. Recebe visitas de Mário Soares e Ben Bella

Verão

1964

Democratas portugueses residentes em Argel apelam a Delgado para ir com urgência para Argel

27 Junho

1964

Delgado chega a Argel. É recebido com honras de Estado e alojado no recinto do palácio presidencial

26 Julho

1964

Delgado faz publicar na imprensa local um aviso aos portugueses sobre o modo de pedir vistos para a Argélia

31 Julho

1964

O delegado do PCP, Pedro Ramos de Almeida, entra em conflito aberto com Delgado. Este recusa a expulsão da Argélia de dissidentes portugueses. Ramos de Almeida vota contra uma proposta do general para a preparação de uma acção revolucionária partindo do exterior

4 Agosto

1964

Delgado dirige uma carta aos membros da ex-‘Comissão Delegada’ comunicando-lhes a suspensão das respectivas fun- ções durante um prazo de duas semanas

6 Agosto

1964

O Boletim da JAPP denuncia um membro da 'Comissão Delegada' por roubo e apela à formação de piquetes de segurança no bureau da FPLN

13 Agosto

1964

Respondendo à chamada urgente de Delgado, Manuel Sertório chega a Argel vindo do Brasil

Agosto

1964

Poucos dias depois, Álvaro Cunhal chega também a Argel

18Agosto

1964

Delgado corta relações com o representante do PCP, Ramos de Almeida, acusando-o de 'crime de abuso de confiança'

Setembro

1964

IIIª Conferência da Frente Patriótica de Libertação Nacionalreúne em Argel na presença de Álvaro Cunhal. Manuel Sertório  assiste e alinha com os dirigentes da FPLN. É boicotada por Delgado e denunciada por Emídio Guerreiro por falta de representatividade. Delgado deixa de ser considerado presidente da FPLN.

Antes do fim das sessões da IIIª Conferência, Delgado sai de Argélia com destino à Europa. É operado na clínica do dr. Valdoni em Roma, donde sai no dia 25 de Outubro.

Outubro

1964

Na ausência de Delgado, os seus haveres são transferidos, por ordem das autoridades argelinas, do palácio de Ben Bella para uma pequena moradia nos arredores de Argel.

Outubro

1964

Delgado publica um comunicado anunciando a formação da Frente Portuguesa de Libertação Nacional

Novembro

1964

Delgado regressa a Argélia

Novembro

1964

O acesso às autoridades argelinas é vedado a Delgado

5 Dezembro

1964

Delgado publica um comunicado em que descreve a situação que levou à sua ruptura com a Frente Patriótica e com o PCP.

15 Dezembro

1964

Delgado dirige ao governo argelino um memorando sobre a situação da oposição anti-salazarista em Argel

18 Dezembro

1964

Governo argelino proíbe uma conferência de imprensa convocada por Delgado

Dezembro

1964

Delgado parte de novo para uma breve visita à Europa

Janeiro

1965

Delgado publica um comunicado sobre a IIª Conferência da Frente Portuguesa, datado de Dezembro de 1964

31 Janeiro

1965

Delgado publica uma mensagem de Ano Novo

8 Fevereiro

1965

Delgado e Arajarir de Campos deixam Argel pela última vez

23 Fevereiro

1965

Henrique Cerqueira, representante em Marrocos do general, anuncia o desaparecimento de Delgado

25 Fevereiro

1965

O presidente Ben Bella convoca os dirigentes da Frente Patriótica. Tito de Morais e Manuel Alegre acompanhados por um grupo de oito pessoas tentam sem êxito apoderar-se dos documentos do general

Fev-Março

1965

As autoridades argelinas mandam encerrar o bureau da Frente Portuguesa, tendo o seu secretário Adolfo Ayala mudado para a habitação de Delgado, levando o arquivo com ele. Emídio Guerreiro, representante do general em Paris, tenta organizar um inquérito internacional, enquanto a Frente Patriótica de- senvolve intensa campanha na imprensa internacional e na rádio Voz da Liberdade, tendente a desacreditar Delgado e todos aqueles que apelassem à salvação da vida do general

12 Março

1965

Nove portugueses divulgam uma declaração alertando para o desaparecimento do general e condenando a atitude da FPLN pelo seu silêncio e falta de solidariedade. A declaração é acompanhada por cópia de um telegrama de solidariedade assinado por José Morgado e Ruy Luís Gomes

23 Março

1965

A Frente Patriótica pública um comunicado, por escrito e na rádio Voz da Liberdade, denegrindo Delgado e considerando as notícias do seu desaparecimento «inverosímeis». O comuni- cado ataca e calunia Henrique Cerqueira

31 Março

1965

António Brotas, Fernando Echevarria e José Augusto Seabra divulgam comentário a este comunicado dos «patrióticos», denunciando as suas contradições e má fé. Emídio Guerreiro escreve uma carta ao Manuel Sertório no mesmo sentido

27 Abril

1965

Agências noticiosas divulgam o aparecimento de cadáveres na aldeia espanhola de Villa Nueva del Fresno. Tudo leva a supor tratar-se de Delgado e a sua secretária

Abril-Maio

1965

A Frente Patriótica desenvolve intensa campanha, com transmissões diárias da rádio Voz da Liberdade, no sentido de responsabilizar Henrique Cerqueira em Marrocos e amigos de Delgado em Argel por envolvimento no seu assassínio

4 Maio

1965

Detenção de 16 pessoas pela polícia argelina, por instigação de Piteira Santos e Tito de Morais, 14 das quais portuguesas

8 Maio

1965

Portugueses são libertados devido à intervenção de Josie Fanon, viúva de Frantz Fanon, junto de Ben Bella

19 Junho

1965

Ben Bella é derrubado por um golpe de Estado liderado pelo coronel Houari Boumedienne

18 Abril

1966

Piteira Santos parte de Argel, munido de um salvo-conduto das autoridades franquistas, para depor ante o juiz espanhol Crespo Marquez. Ramos de Almeida parte para Roma para dar uma conferência de imprensa, apresentando aos jornalistas as conclusões principais da análise dos documentos apresenta- dos ao tribunal espanhol por Piteira Santos. No mesmo dia, a viúva de Delgado, acompanhada pelo filho mais velho e pelo seu advogado, viajam também para Madrid.