home‎ > ‎

GENEROS DO DISCURSO

Textuais ou discursivos

por Lia Seixas in Gêneros Jornalísticos

Roxane Rojo, em artigo apresentado em 2000, mostra como são tênues os limites entre gênero discursivo e gênero textual, como são diluidas as fronteiras entre texto e gênero. A pesquisadora  mapeou os autores:aqueles que trabalhavam com gênero do discurso citavam Bakhtin e seu circulo, e aqueles que falavam em gêneros textuais citavam, principalmente, Bronckart e Adam.

Depois de 10 anos (1995), esta é uma tendência que se repete nos trabalhos brasileiros do Siget, mas também que preocupa claramente os pesquisadores.  Um dos trabalhos discute especificamente a diferença entre gênero textual e discursivo, outro ("Editorial: um gênero textual?") questiona através da nomenclatura.

Pela tabela abaixo, fica claro como as linhas entre textual e discursivo são imperceptiveis:

Muito interessante observar também a diversidade de produtos, composições, eventos que podem ser considerados um gênero. Um gênero discursivo pode ser, desde uma "situação de trabalho", "depoimento de orkut", a uma noticia de jornal impresso. A charge, por exemplo, é considerada como textual e como discursivo. Os gêneros jornalisticos são, em geral, considerados gêneros textuais. Dos 21 gêneros textuais, quase a metade (10) é gênero jornalistico de impressos (jornais e revistas).

A GRAMÁTICA E OS GÊNEROS


A gramática que se ensina está articulada ao gênero que se escreve.
Por exemplo:
Saber quais são os conceitos gramaticais de que eu preciso para escrever um texto de opinião.
Há muito que se ensinar:
* Como se toma posição em um texto?
* Que expressões usar para mostrar opiniões contrárias?
* E para desqualificá-las?
Se o aluno aprende uma gramática descolada do contexto, ele até reconhece que a oração é coordenada adversativa, mas não sabe quando utilizá-la, que palavras são mais adequadas para dar coesão e garantir o sentido do texto.

Por exemplo:
Saber quais são os conceitos gramaticais de que eu preciso para escrever um texto do gênero Conto (de aventura).
Há muito que se ensinar:
* Como se posiciona o narrador (1ª pessoa, 3ª pessoa)
* A coesão e coerência na seqüência dos fatos
* A introdução do elemento complicador
* A elaboração do clímax
* A resolução do conflito
Se o aluno aprende uma gramática descolada do contexto, ele até reconhece ......, mas não sabe quando utilizá-la, que palavras são mais adequadas para dar coesão e garantir o sentido do texto.
 
 
 
 
“ O que um dia
eu vou saber
não sabendo
eu já sabia.”
                                                       
                       Guimarães Rosa
ĉ
Katty Rasga,
Feb 17, 2010, 12:05 PM
ĉ
Katty Rasga,
Feb 17, 2010, 12:04 PM
ĉ
Katty Rasga,
Feb 17, 2010, 12:05 PM
Comments