POESIA - II
A poesia é a essência do escrever.

Vinte e cinco anos 

 

Um poeta-jardineiro viu brotar

Em seu jardim lindo botão de rosa.

Da Natureza a dádiva preciosa

Ele soube com zelo cultivar.

 

Protegeu-lhe o feliz desabrochar,

E a jovem flor, fragrante e primorosa,

É digna de louvor em verso e prosa,

Irradia beleza e faz-se amar.

 

Era um botão de rosa a adolescente

Que aos cuidados do poeta a Mão Divina

Confiou para o completo florescer.

 

Hoje rosa, hoje adulta, hoje mulher,

Tem magia o teu ser, Márcia Cristina,

És amorosa, és bela, és transcendente.

 

Karlo

 

Em 22 de março de 2008.