Locais históricos


Centro comercial de Guarulhos                      Clique na foto para ficar maior

Rua Dom Pedro II, final da década de 40

Rua Dom Pedro II, final da década de 40. Ao lado esquerdo, vê-se o luminoso da Shell, gasolina vendida através de uma bomba movida a alavanca, na oficina mecânica do Goiabeira. À direita, o casarão onde funcionava o Correio e a Companhia Telefônica de São Paulo. Na época, havia menos de cem telefones na cidade, e a telefonista fazia ligações manualmente, dia e noite. Depois, a telefônica mudou-se para rua XV de Novembro, e em 1960 instalou-se o telefone automático. O casarão tornou-se salão do Clube Recreativo.

Na foto, Clidio Schiavinato passeando ao lado de um amigo na rua de terra. A fotografia foi fornecida por ele.  

Na foto colorida você vê a mesma Rua Dom Pedro II porém no ano de 2010.

Neste calçadão concentra-se o maior pólo comercial da Cidade de Guarulhos.

Esta foto foi tirada possivelmente de manhã cedinho, note que o calçadão está vazio se comparada aos horários de pico comercial. Do ponto em que o fotografo tirou esta foto existe ali localizado um shopping, impressiona comparar os dois períodos da história por meio destas fotos, é isso que eu chamo de o, antes e o depois.
 
 
 Clique sobre as Fotos para ficar maior

Hotel Palacete – Guarulhos

 

Localizado na rua Dr. Ramos de Azevedo, 212 , centro de Guarulhos. (foto do prédio a esquerda)  O Hotel Palacete está abandonado há alguns anos. Em seus tempos aureos era um hotel bem frequentado, especialmente no período em que ainda funcionava o Tramway da Cantareira, uma vez que não está distante da estação Guarulhos que hoje também está desativada.

 

 

 
 
 
 
Clique na Foto para ficar maior 

 

 
 Na foto acima é o Cruzamento das ruas: Dom Pedro II, João Gonçalves e Padre Celestino, região central de Guarulhos, 1962.

 

 


Estação de Guarulhos inaugurada em 1915

O Trem para Guarulhos, que passava pelo Jaçanã, sendo inaugurado em 1915, é o  Trem das Onze, citado na música de Adoniran Barbosa

A estação de Guarulhos foi inaugurada em 1915, como terminal do ramal de Guarulhos. A partir da primeira metade dos anos 40, passou a sair de lá um ramal - na verdade, a continuação da linha - para a Base Aérea de Cumbica. Esse ramal foi extinto aparentemente juntamente com o ramal de Guarulhos, em 1965.

A estação de Guarulhos foi desativada em 1965, com o ramal. Não foi demolida, ao contrário da maioria, mas foi muito descaracterizada principalmente no lado da sua fachada. Também se fala que foi quase totalmente reconstruída. É uma estação de madeira que hoje serve de sede para a Guarda Civil Metropolitana, na Praça Quarto Centenário, no centro da cidade de Guarulhos. Junto a ela, de um lado, uma casa amarela, que parece ter pertencido à ferrovia, e que hoje é o arquivo municipal; do outro lado, uma locomotiva antiga, da Usina Tamoio, de Araraquara, que, segundo consta, estava num sucateiro da cidade e foi resgatada pela Prefeitura, que a deixou exposta em frente à plataforma da antiga estação.

Histórico da Linha: O ramal de Guarulhos começou como um ramal da E. F. da Cantareira, que, aberto em 15/11/1910, saía da estação do Areal e atingia o Asilo dos Inválidos, no Guapira (depois Jaçanã). Somente em 1913 foi aberta a primeira estação intermediária, Tucuruvi, e aos poucos outras estações passaram a ser abertas na linha, que atingiu Guarulhos em 1915. Em 1947 a linha teve a bitola ampliada de 60 cm para 1 metro, quando esta já atingia o aeroporto militar de Cumbica. Em 31/05/1965, o tráfego do ramal foi suprimido, um ano depois de o trecho Areal-Cantareira ter sido suprimido. Os trilhos foram retirados logo depois e diversas estações foram demolidas

 
 

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição (Catedral)

 

Localizada na Praça Teresa Cristina, no Centro, Rua Dom Pedro II, Local de grande movimento e comércio, hoje, pode ser considerada um dos lugares mais importantes de nossa cidade, a igreja teve sua construção, originariamente em taipa de pilão, iniciada possivelmente em 1741 e terminada entre 1761 e 1763. Sofreu várias reformas, incorporando ampliações e outros materiais construtivos.

Foto de 1947.(Arquivo Histórico/Secretaria de Cultura de Guarulhos)

 

Fonte: Prefeitura Municipal de Guarulhos.

 
 
Clique na Foto para aumentar e veja a comparação entre o antes e depois
 
 
 

Conheça um pouco da história da Catedral

 

São indagações que permanecerão para todo o sempre sem resposta certa, eis que, num termo lavrado pelo culto e zeloso padre português, Celestino Gomes d’ Oliveira Figueiredo, em 5 de setembro de 1912, no Livro do Tombo, Título I, letra "b", sob a epígrafe DECRETO OU TÍTULO DE ERECÇÃO DA PARÓQUIA, deixou claro que "Ignora-se o dia e o mez da erecção canônica d` esta Parochia de Guarulhos, e é para lamentar que se haja perdido o título da sua erecção. Sabe-se, no entanto, que foi erecta no anno de mil e seisentos, oitenta e cinco (1.685)".

Templo que, em 1691, encontrava-se em estado ruinoso, a considerar-se requereu, em 23 de setembro daquele ano, a respeito das igrejas de S. Miguel e Nossa Senhora da Conceição, o procurador do Conselho, Diogo Barbosa Rego, à Câmara de São Paulo: "Q. visto estarem aforandose as terras dos índios era justo q. o foro se aplicasse pa. reparo das Igrejas daquellas aldeias por que estavão faltas de tudo e principalmente, de telhas".Contudo, a data de 1685 ainda padece alguma dúvida, se bem que aceita como a mais provável.

Fonte tirada do Livro: Igreja Matriz de Guarulhos

 

História do Bairro dos Pimentas

Saiba mais clicando sobre a foto