EMPRESA, E A "LEI DE GERSON"



                Amigos, o povo Brasileiro é muito acomodado, isto é fato!
             Os que me conhecem sabem muito bem que não sou daqueles que vivem a dizer só coisas más e observações azedas a respeito da Sociedade Brasileira, aliás uma das coisas que adoro fazer é divulgar expoentes significativos e valorosos que possam servir de exemplo à nossa Nação, diga-se de passagem, quando encontro um, faço questão de realizar Tributo em artigos bem detalhados e meticulosos com os adjetivos que lhe deram  FAMA, RECONHECIMENTO E VALOR,  apenas ressaltando que, também,  não sou nenhum “Ufanista”  do tipo  “South American Way”  cantarolado pela saudosa e eterna Musa do Showbiz Brasileiro, Carmen Miranda, opa, opa, opa!... aí também não, pois comemorar vitórias e conquistas é fundamental para reforçar nossa Fé e estimular Esperança num futuro melhor, mas relegar os defeitos, “fazer vistas grossas” ao que há de errado, enfim, tentar viver como se nenhum problema existisse, aí também seria uma tremenda  IDIOTICE ...mas que é bom lembrar, tem muito disso por aí!...esse é o tal “povinho” dito por alguns.
              O Brasil, é indiscutivelmente um santo e paradisíaco lugar para se viver, aliás sob quase todos os aspectos...VEJA LÁ, eu disse “quase todos”  ...muito embora a condição financeira do seu povo não esteja nas lista das melhores,  proclamada anualmente  pela UNICEF, mesmo assim aqui é “O MEU PAÍS” lindamente declamado por Ivan Lins.
              Acontece que nesta Terra da Santa Cruz entre “...cachoeiras e cascatas e requebres febris...”,  infelizmente, tem uma coisa chamda “POVO”.
              Muito embora sejamos muito miscigenados, mesmo assim o Povo Brasileiro tem algumas características bem marcantes e que denotam sua peculiaridade, discorridas em nossas plagas em  frases conhecidíssimas que até viraram bordão...aliás quem não sabe o que é a tal  “LEI DE GERSON” ...um lástima, mas é o Brasil, enquanto existem outras leis aprovadas e adotadas pela Comunidade Científica Internacional tal qual a  lei de Newton, as de Kepler, a da Relatividade e a de Hawking entra tantas outras, POR AQUI temos a “lei de Gerson”...legal, NÉ?!
              Em nossa Sociedade pode-se perceber, claramente, quatro grandes categorias, são elas:

1)   A categoria dos que trabalham;
2)   A categoria dos que acham que trabalham;
3)   A categoria dos que fingem que trabalham;
4)   A categoria dos que não trabalham;

               Parece que já ouço daqui um punhado de gente gritando: ...ISSO TEM EM TODO PAÍS”  ...aliás, quem regurgitou isso, você tem dúvidas em qual categoria ele se encaixa?...hummm, fácil, NÉ?
               Acontece que o percentual (%) de gente que ocupam a segunda, terceira e quarta categoria são infinitamente bem maiores do que a primeira.
               Como eu sei?...ora, ora, ora...na minha atividade profissional atuando como Consultor de Empresas  vivo isso todos os dias há mais de 30 anos e não é corriqueiro topar com “astros”, ou seja, “gente competente” ou que pelo menos expressa vontade em ser...isso é raro!...raríssimo!...o que existe é muita “cúnverçinha”  do tipo “pra boi dúrmi”   é isso mesmo, aqueles que logo aparecem dizendo sobre seus projetos, pensamentos, vontades, ideais, isto quando não contam alguma cúnquistazinha bem “mequetrefe” e já se acham o “rey da kocada preta”...içu nu jargão caipira...aff!, “haja sacú pragüentár”  OS FALASTRÕES E ORÁCULOS  da vida e espalhados pelas Empresas e happy hour, O PIOR é quando este vírus da  “vadiagem e vagabundagem”  “cata de jeito” o DONO, aí meu amigo, aí f...tudo, ops, descups ...aí ferrô, NÉ!
                Nossa Sociedade está infestada há décadas com o vírus da “LEI DE GERSON”  promovendo assim a PUTARIA NACIONAL, ou seja, o que importa é se dar bem a qualquer preço e jeito, nem que pra isso eu tenha que dar um geitinhú, NÉ
                O RAIO X empresarial é esse: “...veja bem, o funcionário detesta o Patrão, acha ele um privilegiado, arrogante e vagal; os chefes detestam seus Gerentes, pois querem o lugar deles, achando que quando chegarem lá poderão fazer menos ainda, ou seja, ...”porra nenhuma”  ...os Gerentes querem mesmo é ser Diretores, aliás pensam assim, pois carregam a convicção de que Diretor não trabalha mesmo, só enrola, é amado pelo Dono, tem Status e ganha um salarião”  ...já os Diretores, não estão nem aí pra mais nada e não vêem a hora de se aposentarem, pois não agüenta mais o louco do Dono, é isso mesmo...para os Diretores os Donos são loucos, megalomaníacos, desmiolados, déspotas, ditadores e com um agravante, são Rico$$$...mistura perfeita para coroar este bolo chamado Empresa Brasileira, bacana, NÉ?!

                       “POR FAVOR, QUALQUER SEMELHANÇA É MERA COINCIDÊNCIA” 



                  Vale a lembrança, sempre oportuna, de que nem toda empresa é assim, temos sim alguns sítios de excelência empresarial em nosso Brasil varonil, mas...
                  Após o discorrido acima, o que sobra?
                  Sinceramente, pouca coisa, pois é triste constatar que na grande maioria das Empresas o que existe é um grande ESQUEMA DE ENROLAÇÃO em que os do topo mandam os abaixo realizarem, sobrando sempre para a base da pirâmide o velho, cansado e incorfomado, FUNCIONÁRIO, que é, na prática,  quem  FAZ ACONTECER, pra variar, ganha uma merda, NÉ?!...até aí o problema, muitas vezes, é estrutural, ou seja, a antiga MÃO-DE-OBRA  não vale mais nada,  virou COMMODITIE, logo se o funcionário não se atualiza, vai VIRAR PÓ, ainda mais depois do FATOR CHINA.
                  Logo acima, muitos parágrafos estão grifados e terminados em “NÉ” e outros disparates da WEB nas conversas em MSN, mas é a linguagem do POVO BRASILEIRO, o novo internautiquês: naum, blz, abs, bj...e tantos outros, veja bem, na sua grande maioria, perceba, observe, verifique e constate que cada  pra cada NÉ que é proferido, sacodem as cadeiras da Academia Brasileira de Letras, mas também, fazer o que, até  Carlos Drummond de Andrade escreveu que “...no meio do caminho tinha uma pedra?”, ou seja, os deuses também amam, mas também escoregam.
                  De volta ao mundo corporativo, poucos EXECUTIVOS  (Gerentes, Supervisores, Diretores, Superintendentes, líderes em geral) merecem os altos salários que auferem, via de Regra, só recebem porque o Dono da Empresa não quer  Trabalhar muito, ou seja, quer curtir um pouco mais a vida, submetendo-se em pagar um “salário significativo e polpudo”   para a alta cúpula da Organização, ISTO NÃO É REGRA, É FATO CORRIQUEIRO, salvo exceções, é óbvio.    
                  Neste cenário de novela, não Mexicana, mas sim bem NACIONAL e Brasileiríssima, temos um quadro patético nas Empresas Brasileiras que vivem e se sustentam , ALGUMAS DELAS, por que DEUS QUER E AMPARA, haja vista quando tem uma pequenina concorrência e que seja um pouco melhor É O FIM, vão a falência, todo mundo pra rua, Diretores culpando o Dono, funcionários reclamando do Dono, o 


gerente de Banco perguntando como ficará o empréstimo que deu ao Dono, os amigos também abandonam o Dono, até a própria família do Dono reclama e muito heim!...enfim, amigo do Dono mesmo, amigo de verdade aquele que ele pode contar, SÓ O CACHORRO,  como no filme “Sempre ao seu lado” com o ator Richard Gere.
                 Nesta altura dos acontecimentos, quase sempre, o Dono da Empresa Brasileira se pergunta, onde foi que errou e tirando as hecatombes financeiras Mundiais depois de algum tempo chega a ÚNICA E VERDADEIRA CONCLUSÃO, ou seja, sempre tentou se sustentar com tudo e com todos na famosa “LEI DE GERSON”, na prática tinha um “castelo de cartas” e não uma “Empresa Feita para Durar”, como bem documenta no famoso livro de Jim Collins.
                 Alguns se recuperam outros não,  mas devido a falta de estudo  AUTODIDATA  do Povo Brasileiro, não se aprende história, principalmente, a empresarial, logo não temos esta cultura e conhecimento específico, o corolário é que  Novatos ao Empresariado, estão muito despreparados, não tomam conhecimento de “cases” que poderiam aprender com os erros dos seus predecessores, perdendo uma gigantesca e vital oportunidade de evitarem erros simplórios na ADMINISTRAÇÃO DO NEGÓCIO, aliás, neste momento,  é profícua a lembrança de Bill Gates que vaticinou  estas sábias palavras, dizendo:

        “É ROMÂNTICO, APRENDER COM OS PRÓPRIOS ERROS, MAS SÁBIO É AQUELE QUE  APRENDE COM O ERRO DOS OUTROS”

                  Pra quem sobra toda essa joça empresarial, tal qual um celeiro de fazenda?
                  Toda essa tralha discorrida acima, num emaranhado cipoal de divergências, descaminhos e EXORBITANTE FALTA DE COMUNICAÇÃO irá sobrar para um cara chamado CONSULTOR que deve ser meio gente, meio super herói, meio pai, meio mãe e se bobiar até missionário, pois às vezes atrasam o Ca$$$calho, sem falar naqueles que até  processam o CONSULTOR, só pra NÃO PAGAR sua folha de serviços prestados, enfim...é o empresário Nacional (alguns é óbvio)...essa é a VIDA!
                  Depois dessa, poderia encerrar bem ao estilo Nacional...vamos lá: “...faz parte”, “...sem novidade”, “...tudo cértu”,  “...bele, bele”...Socooooooorro!
                  Aliás, em qual categoria você está?!...tchuf!
                  Infelizmente todos estes personagens acima descritos em situações diversas e comturbadas se esqueceram da "LEI DA COMPETÊNCIA", mas isto ficará pra outro artigo
                  Bye, bye...vou assistir a um remake da copa de 70 e ver o gol do Gerson...fui...
            

JOHN ROBERT

CONSULTOR EMPRESARIAL (ESPECIALISTA):   Estratégia, Negociação, Marketing, Vendas, Comunicação e Inteligência

                 













OS BASTIDORES DAS EMPRESAS - PARTE 01






OS BASTIDORES DAS EMPRESAS - PARTE 02





OS BASTIDORES DAS EMPRESAS - PARTE 03





OS MEANDROS DAS EMPRESAS - PARTE 01






OS MEANDROS DAS EMPRESAS - PARTE 02












OS MEANDROS DAS EMPRESAS - PARTE 03