Ruiter do Bordeaux - França

ome completo: Carlos Ruiter de Oliveira;

Nascimento: 26 de Março de 1943;

Iniciou no esporte: aos 16 anos no Motorista Futebol Clube de Pesqueira-PE;

Encerrou: aos 32 anos de idade;

Posição: Centroavante;

Característica; Habilidade, Velocidade e Finalizações, seu forte mesmo era o Cabeceio.

Jogou nos times: Motorista F. Clube de Pesqueira-PE, Ypiranga-BA, Confiança-SE, Campinense-PB, Santa Cruz - PE, Bordeaux e Mônaco da França, time pelo qual também foi destaque;

Considerado: Um dos grandes jogadores da nossa cidade e um dos grandes atacantes do futebol brasileiro na década de 60 e artilheiro da Copa Brasil de 1963, como também destaque em todos os clubes que passou!  

Carlos Ruiter de Oliveira Santos (Pesqueira, 26 de março de 1943), mais conhecido como Ruiter, foi um grande atacante de futebol da década de 1960.

Começou no Motorista Futebol Clube de Pesqueira. Logo depois contratado ao Confiança junto o Ypiranga (BA), estreou em um amistoso contra o Paulistano. Marcou um dos gols da vitória proletária mostrando qualidade. E a prova disso foi em 1963, quando acabou sendo artilheiro da Taça Brasil com 9 gols, superando ninguém menos que Pelé. Atuou em três equipes fortíssimas da região nordeste do Brasil: Confiança, onde foi bicampeão (1962/63); Campinense, onde participou da campanha do pentacampeonato do clube (1965); e do Náutico, onde participou da campanha do tetracampeonato (1966).

Acabou transferido para o Bordeaux, onde também escreveu suas páginas na história do clube. Jogou ainda no Mônaco e em outras equipes francesas.

Ruiter também foi técnico do Mixto Esporte Clube do Mato Grosso.

RUITER VENDIDO AO FUTEBOL EUROPEU

O atacante RUITER que em nossa cidade defendeu a equipe da Associação Desportiva Confiança,

acaba de ser negociado ao futebol europeu.
O craque foi negociado pelo Santa Cruz, da capital pernambucana, ao BORDEAUX da França,

pela quantia de 25 mil dólares correspondendo à moeda brasileira em 55 milhões de cruzeiros.

CAMPINENSE NA JOGADA

Como todos sabem o vínculo de RUITER é ao 13 de Campinas que cedeu ao Santa Cruz

por empréstimo, mas o quadro campinense também está na jogada.

Enquanto o atleta receberá 8 milhões de cruzeiros, o Santa ficará com 37 milhões

e o restante (8 ou 10 milhões) é para a equipe do 13 de Campinas.

RUITER viajará na próxima semana para a Grança em companhia do empresário Helio Pinto.


ARQUIVO DE ROBSON PORTO



Ruiter, artilheiro

A CBF corrigiu, na semana passada, um dado importante da Taça Brasil de 1963. Agora consta, oficialmente, nos arquivos da entidade mater de nosso futebol a informação correta segundo a qual o artilheiro daquela competição foi o atacante Ruiter, do Confiança. Quem figurava como autor da façanha era “apenas” o Rei Pelé. Desfeito o lapso, o nosso futebol e o Confiança passam a ostentar esse feito. Ruiter marcou 9 gols na Taça Brasil de 1963 e foi o seu artilheiro máximo. O ataque proletário, naquela oportunidade, era formado 

por Jurandir, Beto, Ruiter, Debinha e Daniel.



Fonte: www.infonet.com.br em 24/01/2011
                                    
                                                                                                                          PESQUEIRA

            


Bordeaux - França

Campinense 1964


1964

Bordeaux

Bordeaux
Em pé da esquerda para a direita: Bakrim,Calleja,Baudet,Montes,Chorda,Peri,Desremeaux,Massé
Agachado: Duhayot,Couécou,de Bourgoing,Ruiter,Abossolo,Wojciak 

Bordeaux



Bordeaux

Campinense

Campinense

GIRONDINS de BORDEAUX 1971-72.
Em pé: Papin, Rigoni, Dubouil, Péri, Texier, Mérelle.
Agachados: Gallice, Jensen, Ruiter, Giresse, Wojciak.


Ruiter a direita

CAMPINENSE CLUBE – PENTACAMPEÃO PARAIBANO – 1964

Campanha de 1964

Campinense 2 x 0 Auto Esporte
Campinense 3 x 0 União
Campinense 4 x 0 Botafogo
Campinense 4 x 1 Auto Esporte
Campinense 2 x 2 Treze
Campinense 3 x 2 Guarabira
Campinense 3 x 1 Santos
Campinense 0 x 0 Treze
Campinense 2 x 2 Treze
Campinense 2 x 2 Treze
Campinense 2 x 1 União
Campinense 2 x 1 Botafogo
Campinense 4 x 0 Santos
Campinense 4 x 1 Guarabira
Campinense 11 x 0 Red Crose
Campinense 8 x 0 Auto Esporte
Campinense 0 x 0 Treze
Campinense 1 x 2 Treze
Campinense 2 x 1 Treze
Campinense 2 x 1 Treze


Artilheiros:
Ruiter 16, Cocó 14, Araponga 11 e Coca-Cola 6

Único hexacampeão da Paraíba


Ruiter artilheiro do Brasil

Salve Nação Proletária,

Começo hoje uma nova série de posts, onde irei colocar relatos da história do Confiança. A idéia é fazer uma postagem dessa série histórica por semana. E para começar, vou falar sobre Ruiter, o artilheiro proletário que superou ninguém menos que Pelé na artilharia da Taça Brasil de 1963, o Campeonato Brasileiro da época.

Pernambucano de Pesqueira, Ruiter começou no futebol jogando pelo Motorista, um time de sua cidade natal. Depois, foi comprado pelo Ypiranga de Salvador, o “Mais Querido” do futebol baiano. Marcando seus gols, foi comprado pelo Confiança no ínicio de 1962. Estreou em um amistoso contra o Paulistano, marcando um dos gols da vitória proletária por 2 a 1.

Sendo um centroavante de muita habilidade e velocidade, Ruiter se destacou pela boa finalização e cabeceio. Teve muita importância na campanha do Campeonato Sergipano de 1962, onde o Dragão conquistou o título e ganhou o direito de disputar a Taça Brasil de 1963, principal torneio a nível nacional. E foi na Taça Brasil que Ruiter entrou para a história do futebol brasileiro. Ruiter marcou 9 gols e superou ninguém menos que Pelé na artilharia da competição. Segue abaixo a lista dos gols do artilheiro:

  • 30/07/1963 – Confiança 3×1 Capelense (AL) – Ruiter (2)
  • 15/08/1963 – Campinense (PB) 3×4 Confiança – Ruiter (4)
  • 25/08/1963 – Ceará (CE) 2×4 Confiança – Ruiter (3)

Ainda pelo Dragão, Ruiter foi novamente campeão em 1963. Em 1964, disputou a Taça Brasil. Depois dessa Taça Brasil, foi comprado pelo Campinense, junto com Roberto e Ticarlos.

No time paraibano, seguiu fazendo seus gols e conquistou o Campeonato Paraibano de 64, terminando o torneio como artilheiro. Em 1965, disputou mais uma Taça Brasil e, claro, marcou seus gols. Tanto destaque fez com que ele fosse comprado pelo Santa Cruz. No time pernambucano, jogou por pouco tempo até ser comprado pelo Bordeaux.

No clube francês, fez história atuando por 4 temporadas. Jogou ainda outras 4 temporadas no Mônaco. Em 1975, retornou ao Brasil e chegou até a jogar alguns amistosos com a camisa proletária antes de encerrar a carreira.

Ficha Técnica
Nome completo: Carlos Ruiter de Oliveira
Data de Nascimento: 26/03/1943
Cidade: Pesqueira (PE)
Carreira:
  • Motorista (PE)
  • Ypiranga (BA)
  • Confiança (SE)
  • Campinense (PB)
  • Santa Cruz (PE)
  • Bordeaux (FRA)
  • Mônaco (FRA)

Títulos:

  • 2 Campeonatos Sergipanos (1962/63)
  • 2 Campeonato Paraibano (1964/65)

Títulos Individuais:

  • Artilheiro do Campeonato Sergipano (1962)
  • Artilheiro da Taça Brasil (1963)
  • Artilheiro do Campeonato Paraibano (1964)

Fontes:


ESPETACULAR MESMO: CONFIANÇA TAMBÉM VENCE O CEARÁ - 4 X 2

 



GAZETA DE SERGIPE Aracaju, 27.08.1963

Com mais essa vitória, o Confiança habilitou-se a uma nova classificação na V Taça Brasil,pois em caso da vitória na segunda partida, se credenciará a jogar com o Bahia, campeão da Boa Terra.

Toda a defesa do Confiança esteve boa enquanto que o seu ataque realizava perigosas investidas. Por seu turno, o Ceará Sportinga, de quem se dizia maravilhas, portava-se com autentico defensor, multiplicando-se dentro do gramado, para conter os constantes avanços de Daniel, Debinha e Ruiter. A exemplo da grande vitória sobre o Campinense, Ruiter foi mais uma vez o artífice da vitória, consignando três dos quatro tentos do Confiança. Os gols de Ruiter foram marcados respectivamente aos 28, 34 e 35 minutos da segunda fase, enquanto Debinha de penalti, assinalou o primeiro tento proletário, aos 26 da primeira fase.

Para os cearenses, marcaram Alexandre, de penalti, aos sete minutos do primeiro tempo e Carlito aos vinte da etapa complementar.

CONFIANÇA: Roberto, Mecanico, Enário, Ticarlos e Alfeu; Jurandir (Daniel) e Debinha; Nena, Beto, Ruiter e Daniel (Helio Abacate).

CEARÁ: Aloisio, Mauro, Alexandre, Benicio e Português; Augusto e Charuto; Carlito, Ivan, Gildo e Zegerardo.

ARQUIVOS DEMARCOS PRADO E ROBSON PORTO

 

Fonte:http://barrosoguimaraes.blogspot.com.br/2012_04_01_archive.html


Comments