SerradoRiodoRastro

Passeio à Serra do Rio do Rastro e Serra do Corvo Branco. Outra página sobre esta serra. Mais. Outro link.
Recesso de Natal de 2010.
GPS pronto, rotas colocadas, mapas novos....
Sábado, 18dez logo cedo saímos ansiosos pois já fazia muito tempo que eu não andava por aquelas bandas: São Paulo, Paraná, Santa Catarina.....
 
Primeiro dia: Brasília - Barra Bonita (SP).
Trânsito bom e clima melhor ainda...pouco calor e céu nublado.
E vamo que vamo...estranhamente o diesel mais caro que encontramos foi no estado de São Paulo.
Próximo à cidade de Barra Bonita, "mandamos" o GPS procurar os hotéis mais próximos. Pelo nome sugestivo escolhemos o Hotel Beira Rio. Como ainda chegamos cedo, passeamos um pouco a pé, na cidade Simpatia (Barra Bonita). Muito interessante e de quebra ainda havia o 1o Encontro de Carros Antigos de Barra Bonita.
Na orla do Rio Tietê, muitos barzinhos e ambiente bem agradável. Pode-se fazer excursão à eclusa com refeição incluída em um dos grandes barcos. Um parque infantil também merece uma visita: pedalinhos, miniaturas de castelo e igreja, pista para caminhadas, teleférico, etc.
Voltarei lá.

Segundo dia: Barra Bonita - São Joaquim (SC)
Agora sim ! Saímos umas 8:30h com destino à cidade de temperatura mais baixa do Brasil, pelo menos é o que se fala. Também com ansiedade para vermos as araucárias, árvores símbolo do Paraná. E hoje íamos dormir em Santa Catarina.
Viagem sem maiores atropelos e próximo a São Joaquim já começam curvas de serras. Chegamos à tardinha e na rua principal escolhemos o Hotel Maristela. Enquanto tirávamos as malas do carros fomos coincidentemente abordados por uma senhora que era a dona do hotel. Pensávamos em ficar uns 2 dias em S. Joaquim, mas por vários motivos, até restaurante foi difícil, tomamos uma garrafa de vinho local à noite e marcamos seguir viagem no dia seguinte.
 
Terceiro dia: São Joaquim - Urubici
A idéia inicial nem era chegar a Urubici neste dia.
Saída cedo, e seguindo sugestão fomos conhecer o Parque Nacional da Maçã, que teoricamente estaria aberto. Nada. Tudo fechado e sem sinal de movimento recente. Provavelmente funciona a pleno vapor na época de frio. No caminho da Serra do Rio do Rastro, a cidade de Bom Jardim da Serra merece uma visita ou mesmo para servir de "base". Na estrada plana e sem muitas curvas a surpresa do mirante. Ora, mirante do que, se nem havia serra à vista ?. Sensacional !. É o mirante da Serra do Rio do Rastro. Visual indescritível !. E ainda vários quiosques com comidas típicas, cafés, artesanato, lembrancinhas e muita gente. Todos extasiados. Muitos motociclistas e os motoristas de caminhão também param. Tomamos um café estilizado, muitas fotos e vamos descer "esse negócio". Antes visitamos o Rio do rastro Eco Resort que fica pertinho do mirante, e é um bom lugar para se hospedar.
A descida: espetacular. Muitas fotos com parada no Monumento aos Tropeiros onde existe uma pequena cachoeira. No final da descida olhamos um para a cara do outro, e......vamos subir de volta ?? Vamos !. Então quando chegamos no final das curvas, fizemos meia volta e lá fomos nós subindo. Acho uma idéia boa para vermos de outro ângulo a beleza das paisagens, muitas fotos. Nova descida e continuamos o passeio. Almoçamos em Lauro Müller, depois de procurar um restaurante no qual, quase, quase, ficavámos sem comida pelo adiantado da hora. Ainda comentando da Serra, chegamos a Grão Pará, onde baixei a calibragem dos pneus já que daí para frente a estrada para a Serra do Corvo Branco era de terra. Serra do Corvo Branco foi uma sugestão de um amigo. Obrigado Sérgio. Inicialmente a estrada é bem interessante margeando o Rio Canoas e com algumas pontes de madeira. No caminho, encontramos uma "paisagem de Suiça", faltando apenas os cumes brancos. Vegetação exuberante com visuais mais bonitos ainda, lembrou o cenário de "Avatar". Próximo ao morro do Corvo Branco a estrada tem curvas inacreditáveis. Muito fechadas e lindas paisagens. Paramos no cume, e pensei em hospedagem no Rio Canoas Resort. Descemos e na respectiva placa (estrada ainda não constando no GPS), entramos em sua direção. A decepção ainda foi maior devido ao cansaço: o hotel só aceitava hospedagem com reserva prévia, uma placa avisava na porteira, ainda longe do hotel. Nem chance para conversa. Ainda buzinei e nada. Será que só funciona no pico da temporada turística ?. A caminho de Urubici, visitamos ainda o Morro da Igreja. Subida muito íngreme exigindo primeira marcha do carro. O visual do alto, onde existe instalação do Cindacta, é de tirar o fôlego. No caminho ainda tem a Cachoeira do Véu da Noiva com uma pousada.
Final do dia, chegada em Urubici. Gostei da cidade. Ruas largas, limpa, bem organizada.......Ficamos no Urubici Park Hotel.
Como a memória da câmera acabou e a do celular também, ficamos sem boas fotos da Serra do Corvo Branco, mas a página http://www.pbase.com/ismar/urubici arrasa com ótimas fotos da região. Fotos de  Ismar dos Santos.

Quarto dia: Urubici - Castro (PR).
Dia seguinte, "pé na estrada" e grande surpresa !!! A serra da saída de Urubici para a BR282 é também muito bonita, merece a visita. Vales lindos.
Parte sem problemas a não ser uma forte chuva, e chegamos em Castro. Passeamos a pé próximo ao centro, paramos em um barzinho muito agradável na praça e após uns chopps e tira gosto, voltamos ao hotel.
 
Quinto dia: Castro - Brasília
Saída cedo, mas infelizmente faltou água em alguns apartamentos do hotel, incluindo o nosso. Uma das ruas estava alagada devido às chuvas da noite. Mas sem problemas, deixamos Castro e pegamos de novo a rota de volta.
Mais umas pancadas de chuva, mas o pior foi um grande engarrafamento logo depois de Cristalina que atrasou muito a volta.
Almoçamos num Giraffas da Candangolândia, e em casa novamente !
Valeu !
 
 
Vale a pena, sair de Brasília para esse passeio ?
Se você pensar em viajar quase 1.900km (partindo de Brasília) para fazer umas curvas, não.
Mas a viagem não é de chegar e sim de passear e conhecer o Brasil. São paisagens cada uma mais bela que a outra !. Não são as curvas que fazem a viagem. E sim !! Vale MUITO a pena. Nunca pensei em ver essas maravilhas da natureza. Quem já viu, macieiras carregadas na beira da estrada ?. Como a maior parte das viagens, apenas fotos não revelam tudo que se vê.
Como sempre, os mapas para GPS do Tracksource foram de grande ajuda.



Comments