HISTORIA DA SOCIEDADE ESPORTIVA PALMEIRAS

História
95 ANOS - Nossa História, Nosso Orgulho

No dia 26 de agosto de 1914 nascia o Palestra Itália. Esta caminhada, do Palestra ao Palmeiras, foi feita em meio a muitas dificuldades e lutas, mas rendeu momentos inesquecíveis. Uma das maiores paixões do torcedor palmeirense é a sua história. Quem a conhece sabe bem a razão e o motivo de tanto orgulho. Ela é rica, bela, cheia de lutas, glórias e conquistas. 

Conquista como a do campeonato organizado pela FIFA em 1951, no Brasil, quando o Palmeiras se consagra campeão mundial de futebol, com o título tendo imensa repercussão internacional, exatamente um ano depois de perdermos a Copa para o Uruguai. O palco era o mesmo. Só que dessa vez o dia seria de festa. O Maracanã assistia ao Palmeiras empatar em 2 a 2 com a Juventus de Turim. Era só o que precisávamos: um empate, já que havíamos vencido o primeiro jogo. Nessa partida, nossos jogadores traziam a bandeira de nosso país bordada em suas camisas. Mais de cem mil torcedores no estádio gritavam “Brasil” ao final da peleja. Sim, o Palmeiras era Brasil. 

De volta a São Paulo, de trem, nossos jogadores, ou heróis, chamados assim pelo povo, são recebidos por centenas de milhares de brasileiros de todas as torcidas, cores e raças. A nação estava redimida do fracasso da Copa. Jamais um time de futebol uniu em sua volta milhões de torcedores alviverdes, alvinegros, alvirrubros, tricolores... 

E quatorze anos depois, em 1965, quis o destino que fôssemos Brasil de novo. E de novo vencedores. O Palmeiras, convidado a inaugurar o Mineirão, veste a camisa da seleção contra o Uruguai, e vence o jogo por 3 a 0. Por essas e tantas outras passagens é que o palmeirense, dizem, “tem um caso de amor com sua história”. 

História que ainda nos reserva fatos como o emblemático ano de 1942, quando uma lei nos obriga a mudar de nome; o advento das duas Academias de Futebol nos anos 60 e 70; a grandeza de Ademir da Guia, um dos maiores jogadores de todos os tempos; e o Palmeiras da Era Parmalat, que nos presenteou com a Libertadores em 1999, entre tantos outros títulos, e nos fez reconhecidos em todo o mundo como exemplo de um futebol bem planejado. 

Esse é um breve resumo da nossa história, orgulho de uma nação formada por 15 milhões de apaixonados alviverdes imponentes. 




A HISTORIA DO PALESTRA
Fábio Menotti



A história do atual estádio Palestra Itália remonta à virada do século 19 para o século 20 e envolve uma das mais tradicionais empresas brasileiras da época, a Companhia Antarctica Paulista. Pensando no lazer de seus funcionários, a empresa criou o Parque da Antarctica, um espaço de 300 mil metros quadrados que abrangia uma vasta área verde, com lago, parque infantil, restaurantes, choperia, local para bailes, reuniões e áreas para a prática esportiva (incluindo pistas de atletismo, quadra de tênis e um dos primeiros campos de futebol da cidade). 

Em pouco tempo, o parque passou a ser uma referência não só para a prática do futebol, mas também para diversas atividades ao ar livre, como corridas de automóveis, lutas de boxe, etc. 

Com a crescente paixão pelo futebol, esporte que já tinha adeptos em grande número não só em São Paulo, mas também no Brasil, o espaço passou a ser muito requisitado para esta prática esportiva. A empresa, então, passou a alugar o campo de futebol lá existente para clubes nos primeiros anos do século 20. 

O Germânia, clube de origem alemã, passou então a ser o mandante do campo. Exatamente no dia 3 de maio de 1902, o Mackenzie College venceu o Germânia (atual Esporte Clube Pinheiros) no Parque Antarctica, por 2 a 1, dando início ao primeiro campeonato oficial de futebol do Brasil, o Paulista. 

Com o início da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), o Germânia diminui suas atividades sociais e repassou seu contrato de locação para o América F.C. (já extinto), clube este que foi fundado por Belfort Duarte. 

Por sua vez, com dificuldades econômicas, o América passou a sublocar o espaço para outras equipes. Foi assim que, exatamente no ano de 1917, o Palestra Itália passou a mandar seus jogos no Parque Antarctica. O contrato de então previa que o América utilizasse a estrutura nas terças, quintas, sábados e domingos, enquanto o Palestra Itália usaria o local nos mesmos dias, porém na parte da tarde, para treinos e partidas oficiais. 

Em 1920, contanto com o apoio da Companhia Matarazzo, o Palestra Itália efetuou a compra do campo de futebol e de grande parte do terreno do Parque Antarctica pelo valor total de 500 contos de réis, uma verdadeira fortuna à época. As condições de pagamento também não eram muito favoráveis: metade a vista, outra metade em duas prestações anuais de 125 contos de réis. Era uma aposta ousada, mas que foi aceita de pronto pelo presidente Menotti Falchi. Exatamente no dia 27 de abril de 1920, o contrato entre as partes foi firmado. 

Na escritura de compra as condições de favorecimento aos empregados e ao comércio dos produtos Antarctica eram explícitas. A exclusividade duraria 99 anos: desde a fundação do Parque, 1904, até 2003, só produtos daquela fábrica poderiam ser vendidos. 

Na primeira partida como legítimo proprietário do estádio, no dia 16 de maio de 1920, o Palestra Itália aplicou uma sonora goleada sobre o Mackenzie, por 7 a 0, gols de Caetano (3), Heitor (2), Fabbi e Imparato. 

O Palestra Itália conseguiu, com dificuldades, pagar as duas primeiras parcelas do pagamento, porém não conseguiu arcar com a última delas. A solução foi vender uma parte do terreno para o conde Francisco Matarazzo, que pagou a soma de 187 contos de réis. 

Aos poucos, o clube passou a investir em grandes reformas no local, incluindo a construção da arquibancada geral, ainda de madeira, e da tribuna social (reservada aos associados do clube). Em 13 de agosto de 1933, o Palestra Itália vencia o Bangu, por 6 a 0, pelo Torneio Rio-São Paulo, marcando a inauguração do “Stadium Palestra Itália”. Já com arquibancadas de concreto, tratava-se do maior, mais moderno e imponente estádio do país na época. Neste mesmo período, a sede social do clube foi transferida do centro da cidade para o entorno do estádio. 

No final da década de 1950, foi iniciada uma nova e profunda reforma, onde a arquibancada foi totalmente reconstruída e passou a ter mais do que o dobro da capacidade anterior. O campo foi suspenso – daí surge o nome de “Jardim Suspenso” – e foram construídos vestiários no sub-solo. A reinauguração aconteceu no dia 7 de setembro de 1964, com o jogo Palmeiras x Guaratinguetá, pelo Campeonato Paulista. 

A partir da década de 1990, o Palmeiras fez diversas obras de melhorias, para aumentar o conforto dos torcedores e começar a formalizar, aos poucos, o grande sonho de gerações de palestrinos e palmeirenses: a construção de uma nova Arena, que será em breve um dos estádios mais modernos das Américas. 

No velho, e sempre novo, Palestra Itália foram decididos Campeonatos Paulistas, Brasileiro de Seleções, Mercosul e a Libertadores de 1999. Foi no local também que a seleção brasileira exibiu-se pela primeira vez na cidade de São Paulo e obteve sua primeira conquista da Copa Rocca, em cima da Argentina. Além disso, as velhas chaminés que ainda existem no outro lado da avenida Francisco Matarazzo já presenciaram outros feitos memoráveis, como o Palestra vencer o Corinthians por 8x0 e o Palmeiras golear o Boca Juniors por 6x1, entre tantos outros. 

DADOS DO ESTÁDIO 

 
  • Estádio Palestra Itália (São Paulo – Brasil) 
  • Capacidade atual: 27.650 lugares 
  • Dimensões do campo: 110 metros por 75 metros 

    CURIOSIDADES HISTÓRICAS 

  • Recorde Mundial de Invencibilidade: 
    68 jogos atuando no Estádio Palestra Itália, de 1986 a 1990 

  • 1º jogo: 
    Palestra Itália 5 x 1 Internacional 
    21 de abril de 1917 
    Árbitro: Nestor Pedroso de Carvalho 
    Palestra Itália: Flosi, Bianco, Grimaldi, Bertolini, Picagli, Fabbi, Caetano, Ministro, Heitor, Severino, Martinelli. 
    Gols: Ministro (2), Heitor, primeiro tempo; Caetano (2), Severino, segundo tempo. 

  • 1º jogo como proprietário: 
    Palestra Itália 7 x 0 Mackenzie 
    16 de maio de 1920 
    Árbitro: Manuel Domingues Corrêa 
    Palestra Itália: Primo, Bianco, Grimaldi, Bertolini, Picagli, Fabbi, Caetano, Ministro, Heitor, Ernesto Imparato, Imparato II. 
    Gols: Caetano (3), Heitor (2), Fabbi e Imparato. 

  • Maior Goleada em Campeonatos Paulista e Jogador com maior número de gols: 
    Palestra Itália 11 x 0 Internacional 
    8 de agosto de 1920 
    Árbitro: Odilon Penteado do Amaral 
    Palestra Itália: Flosi, Bianco, Pedretti, Bertolini, Picagli, Fabbi, Caetano, Ministro, Heitor, Ernesto Imparato, Martinelli. 
    Gols: Ministro (2), Imparato, Caetano, Martinelli e Heitor Marcelino - 6 gols (recorde) 

  • Primeiro Jogo Noturno: Palestra Itália 3 x 3 Juventus 
    24 de maio de 1930 
    Árbitro: Thomaz Cicarelli 
    Palestra Itália: Nascimento, Loschiavo, Nigro, Gino, Goliardo, Serafini, Ministrinho, Carrone, Heitor, Lara, Osses. - Técnico: Eugenio Medgyesy "Marinetti" 
    Gols: Lara, Carrrone e Heitor 

  • Inauguração Oficial: 
    Palestra Itália 6 x 0 Bangu 
    13 de agosto de 1933 
    Árbitro: Haroldo Dias da Mota 
    Palestra Itália: Nascimento, Carnera, Junqueira, Tunga, Dula (Zico), Tuffy, Avelino, Gabardo, Romeu Pellicciari, Lara, Armandinho - Técnico: Humberto Cabelli 
    Gols: Gabardo, Avelino, primeiro tempo; Avelino, Romeu Pellicciari, Gabardo, Romeu Pellicciari, segundo tempo. 

  • Último Jogo com Alambrados: (Fecha para reformas) 
    Palmeiras 7 x 0 Internacional de Limeira 
    21 de abril de 1962 
    Árbitro: João Etzel 
    Palmeiras: Rosan, Jorje, Sebastião, Mané, Flávio (Giovani), Jurandir, Gildo, Américo, Zeola (Goiano), Ademir da Guia, Américo II. 
    Gols: Américo, primeiro tempo; Américo (2), Gildo (3), Giovani. 

  • Jardim Suspenso 1º jogo: (pós-reformas) 
    Palmeiras 2 x 0 Esportiva de Guaratinguetá 
    7 de setembro de 1964 
    Árbitro: Teodoro Niti 
    Público: 31.899 
    Palmeiras: Valdir, Caetano, Djalma Dias, Valdemar Carabina, Ferrari, Dudu, Tupãzinho, Gildo, Ademar, Picolé, Rinaldo. 
    Gols: Ademar, Rinaldo, primeiro tempo. 

  • Recorde de Público: 
    40.283 pagantes 
    Palmeiras 1 x 0 XV de Piracicaba 
    18 de agosto de 1976 - a partida decidiu o Campeonato Paulista 
    Árbitro: Romualdo Arppi Filho 
    Palmeiras: Leão, Valdir, Samuel, Arouca, Ricardo, Pires, Ademir da Guia, Edu, Jorge Mendonça, Toninho, Nei. 
    Gol: Jorge Mendonça, primeiro tempo. 

  • Milésima Vitória: 
    Palmeiras 2 x 0 Grêmio 
    6 de outubro de 2007 
    Árbitro: Heber Roberto Lopes 
    22.667 pagantes 
    Renda: R$ 428.170,00 
    Palmeiras: Diego Cavalieri; Paulo Sérgio, David, Dininho (Gustavo) e Valmir; Wendel, Makelele, Valdívia e Caio; Luiz Henrique (Deyvid) e Rodrigão (William) - Técnico: Caio Júnior 
    Gols: Caio e Rodrigão, 12min e 22min do primeiro tempo
  •          


             






    PRESIDENTES
    PALESTRA ITÁLIA – PALMEIRAS (1914 a 2009) 


    1914 

    Presidentes 

     
    Ezequiel Simoni (26/08/1914 a 25/10/1914) 

     
    Augusto Vaccari (25/10/1914) 

    Fundação e organização dos primeiros estatutos do Palestra Itália 


    1915 

    Presidentes 

     
    Augusto Vaccari (até 16/06/1915) 

    Leonardo Pareto (16/06/1915 a 16/12/1915) 

     
    Francesco De Vivo (16/12/1915) 

    Fabio Ferré (1915) 

    Conquista do primeiro troféu, a Taça Savoia; 
    Início das atividades esportivas 


    1916 

    Presidentes 

     
    Francesco De Vivo (até 25/01/1916) 

     
    Ludovico Bacchiani (25/01/1916 a 17/11/1916) 

    Frederico Sutti (17/11/1916) 

    Taça Cruz Vermelha Italiana, 
    Taça Pró-Ospedale, 
    Torneio Festival Estadual de Taubaté, 
    Torneio Festival Ludovico Bacchiani; 
    Ingresso na Associação Paulista de Esportes Atléticos - APEA 


    1917 

    Presidentes 

    Frederico Sutti (até 05/01/1917) 

     
    Guido Sarti (05/01/1917 a 26/12/1917) 

     
    Ludovico Bacchiani (26/12/1917) 

    Campeão Paulista de Segundos Quadros (17), Vice-Campeão Paulista; 
    Inauguração de uma suntuosa sede social na rua Líbero Badaró 


    1918 

    Presidentes 

     
    Ludovico Bacchiani (até 11/04/1918) 

     
    Duilio Frugoli (11/04/1918 a 05/07/1918) 

     
    Valentino Sola (05/07/1918) 

    Taça Jornal do Comércio, Troféu da Associação dos Chronistas Sportivos; 
    O Palestra Itália ofereceu a sua sede social, situada na rua Líbero Badaró, para ser transformada num hospital para as vítimas da gripe espanhola, cedendo também 30 leitos, além de um donativo mensal de 500$000 (quinhentos mil réis), enquanto o surto durasse 


    1919 

    Presidentes 

     
    Valentino Sola (até 21/02/1919) 

     
    Duilio Frugoli (21/02/1919 a 27/05/1919) 

     
    Menotti Falchi (27/05/1919) 

    Campeão Paulista de Segundos Quadros, Vice-Campeão Paulista; 
    Iniciada as negociações com a Companhia Antarctica Paulista, o Palestra Itália concretizou o arrendamento exclusivo do estádio para a disputa dos seus jogos 


    1920 

    Presidentes 

     
    Menotti Falchi (até 23/04/1920) 

    Alberto Sironi (assumiu interinamente a presidência em 23/04/1920 até 10/11/1920) 

     
    Davide Picchetti (10/11/1920) 

    Campeão Paulista, Campeão Paulista de Segundos Quadros, Campeão Estadual; 
    Compra do Parque da Antarctica, modificando o nome para Stadium Palestra Itália 


    1921/1922 

    Presidente 

     
    Davide Pichetti 

    Vice-Campeão Paulista (21/22), Campeão Paulista de Segundos Quadros, Taça Guarani; 
    Criação da Comissão Pró-Estádio para construção das arquibancadas do Palestra Itália 


    1923 

    Presidente 

     
    Davide Picchetti (até 16/04/1923) 

     
    Francesco De Vivo (16/04/1923) 

    Taça Atillio Narâncio, Campeão Paulista de Segundos Quadros; 
    Fundação do Departamento de Basquete, primeiro projeto arquitetônico para o estádio Palestra Itália, desenvolvido pelo arquiteto Ettore Battisti 


    1924 

    Presidente 

     
    Francesco De Vivo 

    Taça Cavalheiro De Vivo, Taça Elpídio de Paiva Azevedo; 
    Concurso para o projeto do estádio Palestra Itália 


    1925 

    Presidentes 

     
    Francesco De Vivo (até 05/05/1925) 

     
    Giuseppe Perrone (05/05/1925 a 28/11/1925) 

     
    Francesco De Vivo (28/11/1925) 

    Torneio Eliminatório da APEA, Taça Prefeitura de São Paulo; 
    Primeira Excursão do Palestra Itália pela América do Sul – Argentina e Uruguai 


    1926 

    Presidentes 

     
    Francesco De Vivo (até 16/04/1926) 

     
    Giuseppe Perrone (16/04/1926 até 26/08/1926) 

     
    Francesco De Vivo (26/08/1926) 

    Campeão Paulista, Campeão Paulista Extra, Campeão Estadual, Campeão Paulista Extra de Segundos Quadros, Torneio de Campeões SP-RJ; 
    Aquisição da nova sede social, localizada na Praça da República 


    1927 

    Presidentes 

     
    Giuseppe Perrone (até 04/03/1927) 

     
    Francesco De Vivo (04/03/197 a 09/09/1927) 

     
    Giuseppe Perrone (09/09/1927) 

    Campeão Paulista, Campeão do Torneio Início do Campeonato Paulista, Campeão Estadual, Campeão Paulista de Segundos Quadros; 
    Iluminação da quadra de basquete aberta 


    1928 

    Presidentes 

     
    Giuseppe Perrone (até 23/11/1928) 

     
    Conde Eduardo Matarazzo (23/11/1928) 

    Campeão Paulista de Segundos Quadros; 
    Construção da Arquibancada Social do Estádio Palestra Itália 


    1929/1930/1931 

    Presidente 

     
    Conde Eduardo Matarazzo 

    Taça Estevão Ronai (29), Taça Fanfulla (29), Campeão Paulista de Segundos Quadros (29,30,31), Torneio Início do Campeonato Paulista (30); 
    Lançamento da pedra fundamental do estádio Palestra Itália 


    1932 

    Presidentes 

     
    Conde Eduardo Matarazzo (até 08/01/1932) 

     
    Dante Delmanto (08/01/1932) 

    Campeão Paulista, Campeão Estadual, Campeão Paulista de Segundos Quadros; 
    Construção das arquibancadas populares e reforma do gramado do estádio Palestra Itália 


    1933 

    Presidente 

     
    Dante Delmanto 

    Campeão Paulista, Campeão do Torneio Rio-São Paulo, Taça dos Invictos, Torneio de Campeões SP-RJ. Em 05/11/33, Palestra Itália 8 x 0 Corinthians; 
    Inauguração do Novo Estádio Palestra Itália, introdução do profissionalismo, transferência da sede social para o estádio Palestra Itália 


    1934 

    Presidentes 

     
    Dante Delmanto (até 17/11/1934) 

     
    Raphael Parisi (17/11/1934) 

    Campeão Paulista, Campeão Paulista de Segundos Quadros; 
    Ampliação da praça esportiva, adaptando o clube para a prática de diversos outros esportes, entre eles: atletismo, natação, tênis, tiro ao alvo. Inicia-se a construção de quadras de tênis, parque infantil e arborização do clube, publicação da primeira Revista Oficial do clube 


    1935/1936/1937 

    Presidente 

     
    Raphael Parisi 

    Campeão do Torneio Início do Campeonato Paulista (35), Campeão Paulista (36); 
    Construção da Tribuna de Honra, Fundação do Departamento de Tênis, Fundação do Departamento Social 


    1938 

    Presidentes 

     
    Raphael Parisi (até 27/12/1938) 

     
    Italo Adami (27/12/1938) 

    Campeão Paulista Extra, Campeão Paulista Extra de Segundos Quadros; 
    Iluminação das quadras de tênis, primeira do gênero no país 


    1939 

    Presidentes 

     
    Italo Adami (até 05/01/1939) 

     
    João Minervino (05/01/1939 a 29/05/1939) 

    Enrico De Martino (29/05/1939 a 16/07/1939) 

     
    Italo Adami (16/07/1939) 

    Campeão do Torneio Início do Campeonato Paulista; 
    Inauguração da primeira quadra de basquete coberta 


    1940 

    Presidentes 

     
    Italo Adami (licenciado em 30/04/1940) 

     
    João Minervino (assume em 06/05/1940) 

    Campeão Paulista, Torneio de Inauguração do Pacaembu 


    1941 

    Presidente 

     
    Italo Adami 

    Taça Cavalheiro Ernesto Giuliano, Taça Pinto de Castro 


    1942 

    Presidentes 

     
    Italo Adami (até 27/10/1942) 

     
    Hygino Pellegrini (27/10/1942) 

    Campeão Paulista, Troféu Campeoníssimo, Torneio Início do Campeonato Paulista, Torneio de Campeões SP-RJ (42); 
    Em setembro de 1942 acontece a mudança do nome de Palestra de S.Paulo, nome adotado meses antes em substituição a Palestra Itália, para Sociedade Esportiva Palmeiras. No dia 20 de setembro, o Palmeiras sagra-se Campeão Paulista, vencendo o São Paulo Futebol Clube por 3 a 1, no Pacaembu. Após o jogo, o treinador Armando Del Debbio profere a famosa frase, que entrou para os anais da história do clube: “O Palestra morre líder, e o Palmeiras nasce campeão.” 


    1943/1944 

    Presidente 

     
    Hygino Pellegrini 

    Campeão Paulista (44), Torneio de Campeões SP-RJ (44); 
    Inauguração dos jardins do clube social 


    1945 

    Presidentes 

     
    Hygino Pellegrini (até março/1945) 

     
    Estevam Margutti 

     
    e Mário Frugiuele (de março/1945 a 26/06/1945) 

     
    Francisco Patti (26/06/1945) 

    Campeão da Taça Cidade de São Paulo; 
    Criação do Conselho de Orientação Fiscal, popularização do “Periquito” como mascote oficial do clube 


    1946 

    Presidente 

     
    Francisco Patti 

    Taça Cidade de São Paulo, Torneio Início do Campeonato Paulista; 
    Inauguração das novas instalações da concentração dos jogadores, localizada no Bairro do Tremembé 


    1947 

    Presidentes 

     
    Francisco Patti (até 28/02/1947) 

     
    Hygino Pellegrini (28/02/1947) 

    Campeão Paulista, Torneio de Campeões (SP-RJ); 
    Lança-se a pedra fundamental da construção do Ginásio Palestra Itália; a equipe de futebol faz excursão pela América do Sul 


    1948 

    Presidente 

     
    Hygino Pellegrini 

    Vice Campeão Paulista, Taça Otto Barcelos; 
    Inauguração da nova quadra de basquete 


    1949 

    Presidentes 

     
    Hygino Pellegrini (até 11/02/1949) 

     
    Ferruccio Sandoli (11/02/1949) 

    Troféu Malmoe; 
    Início das obras da construção do conjunto aquático. Pela primeira vez a equipe de futebol realiza excursão à Europa 


    1950 

    Presidente 

     
    Ferruccio Sandoli 

    Campeão da Taça Cidade de São Paulo, Campeão Paulista; 
    Projeto do arquiteto Carlos Frederico Ferreira para construção do conjunto aquático é aprovado; lançamento da pedra fundamental do conjunto aquático do Palestra Itália. 


    1951 

    Presidentes 

     
    Ferruccio Sandoli (até 27/02/1951) 

     
    Mário Frugiuele (27/02/1951) 

    Campeão Mundial Interclubes, Campeão da Taça Cidade de São Paulo, Campeão do Torneio Rio-São Paulo, Campeão das Cinco Coroas; 
    Inauguração do novo pavilhão palmeirense 


    1952 

    Presidente 

     
    Mário Frugiuele 

    Torneio Quadrangular São Paulo-RJ; 
    Criação do departamento médico; construção do ginásio de bochas 


    1953/1954 

    Presidente 

     
    Pascoal Walter Byron Giuliano 

    Vice Campeão Paulista (53 e 54); 
    Conclusão das obras do conjunto aquático, vestiários, departamento médico e casa de máquinas 


    1955/1956/1957/1958 

    Presidente 

     
    Mário Beni 

    Torneio Quadrangular do Recife (55), Torneio Início do Campeonato Paulista (58); 
    Construção do bar-restaurante central do clube social, construção do ginásio Palestra Itália, inauguração das obras do conjunto aquático, vestiários, departamento médico, visita do presidente da República da Itália Giovanni Gronchi 


    1959/1960/1961/1962/1963/1964/1965/1966/1967/1968/1969/1970 

    Presidente 

     
    Delfino Facchina 

    Campeão Paulista (59, 63 e 66), Campeão do Torneio Início do Campeonato Paulista (69), Torneio Roberto Ugolini (59 e 60), Taça Brasil (60 e 67), Torneio de Lima (62), Torneio de Manizales (62), Taça Piratininga (63, 65 e 66), Torneio de Guadalajara (63), Torneio de Firenze (63), Torneio Rio-São Paulo (65), Taça Independência (65), Torneio IV Centenário do Rio de Janeiro (65), Torneio Quadrangular de São Paulo João Havelange (66), Copa Brasil-Japão (67), Torneio Roberto Gomes Pedroza (67 e 69), Troféu Ramon de Carranza (69); 

    Transformação do estádio Palestra Itália em Jardim Suspenso, compra e construção do clube de campo, excursão à América Central, inauguração da arquibancada da entrada a av. Francisco Matarazzo, inauguração do ginásio Palestra Itália, construção de novas piscinas no conjunto aquático, iluminação do estádio Palestra Itália, construção do Palácio de Tênis, construção de poços artesianos, construção da nova concentração para o futebol do Palmeiras, construção de inúmeras quadras poliesportivas, urbanização do clube social, construção do play-ground, criação do Grupo Escolar de Alfabetização 


    1971/1972/1973/1974/1975/1976/1977 

    Presidentes 

     
    Delfino Facchina (até 28/02/1971) 

     
    Paschoal Walter Byron Giuliano (01/03/1971) 

    Campeão Brasileiro (72 e 73), Campeão Paulista (72,74 e 76), Torneio Laudo Natel (72), Torneio Sul Americano Mar Del Plata (72), Troféu Ramon de Carranza (74 e 75); 
    Instalação do placar eletrônico do estádio Palestra Itália, inauguração do Palácio de Festas, construção da sala de reuniões da Diretoria, inauguração das piscinas do clube de campo 


    1977/1978 

    Presidentes 

     
    Jordão Bruno Sacomani (substituído no cargo) 

     
    Brício Pompeu de Toledo (concluiu o mandato) 

    Vice-Campeão Brasileiro (78), Copa Kirin (78); 
    Ampliação das atividades culturais e religiosa, com a ativação da missa, teatro, cinema, grupo escoteiro, alfabetização, artes, literatura, música e espetáculos 


    1979/1980/1981/1982 

    Presidentes 

     
    Delfino Facchina (falecido durante o mandato em junho/80) 

     
    Brício Pompeu de Toledo (concluiu o mandato) 

    Troféu A Gazeta Esportiva (79), Troféu Ademir da Guia (82); 
    Construção do novo prédio Administrativo 


    1983/1984 

    Presidente 

     
    Pascoal Walter Byron Giuliano 

    Torneio do Café (84;) 
    Reformas e manutenção da estrutura do clube social, estádio Palestra Itália e clube de campo 


    1985/1986/1987/1988 

    Presidente 

     
    Nelson Tadini Duque 

    Vice-Campeão Paulista (86); 
    Construção do ginásio General Adalberto Mendes, início das obras da Academia de Futebol 


    1989/1990/1991/1992 

    Presidente 

     
    Carlos Bernardo Facchina Nunes 

    Vice-Campeão Paulista (92), Taça dos Invictos (89), Torneio Euro-América (91); 
    Inauguração da Academia de Futebol da Barra Funda, assinatura do primeiro contrato de co-gestão do futebol brasileiro (Palmeiras-Parmalat) 


    1993/1994/1995/1996/1997/1998/1999/2000/2001/2002/2003/2004 

    Presidente 

     
    Mustafá Contursi Goffar Majzoub 

    Campeão Paulista (93), Torneio Rio São Paulo (93), Campeão Brasileiro (93), Campeão Brasileiro (94), Campeão Paulista (94), Campeão Paulista (96), Copa Sul-Americana Mercosul (98), Copa do Brasil (98), Copa Libertadores da América (99), Torneio Rio São Paulo (00), Copa dos Campeões (00), Campeão Brasileiro-B (03); 
    Construção das piscinas aquecidas, reformas na Academia de Futebol da Barra Funda, aquisição da Academia de Futebol de Guarulhos, aquisição do terreno da Companhia Antártica Paulista, anexo ao clube social 


    2005/2006/2007/2008 

    Presidente 

     
    Affonso Della Monica Netto 

    Campeão Paulista (08) 
    Aprovação do projeto da Arena Palestra Itália, modernização do clube social, Academia de Futebol e do estádio Palestra Itália, reforma e ampliação do gramado do estádio Palestra Itália, inauguração do novo Salão de Troféus, reforma do Palácio do Tênis, criação do Espaço Visa no setor de arquibancadas, nova iluminação do Palestra Itália, instituição de urnas eletrônicas nas eleições oficiais, reformas gerais no clube de campo, reformas gerais na Academia 2, novas salas de imprensa na Academia e estádio Palestra Itália 


    2009/2010 

    Presidente atual 

     
    Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo 


    Presidentes Honorários do Palestra Itália – Palmeiras 

    Presidente Honorário Perpétuo: Comendador Pietro Baroli 
    Presidente Honorário: Ermelino Matarazzo 
    Presidente Honorário: Conde Francesco Matarazzo 
    Presidente Honorário: Francesco Matarazzo Jr. 
    Presidente Honorário: Serafino Mazzolini 


    Fundadores do Palestra Itália 

  • Por excelência: 

    Luigi Cervo, Luigi Emanuele Marzo, Antonio Aulicino, Francesco De Vivo Nipote, Adolfo Izzo, Genaro Romano Filho, Luigi Izzo, Giorgio Giannetti, Clementino Del Ciello, Michelle Archanjo Ciello, Alfonso Mosca, Ezequiel Simoni, Oreste Romano, Armando Rebucci, Giulio Giannetti, Vincenzo Ragognetti, Alvaro F. Silva, Francesco Morelli, Luigi Medici fu Rosario, Michelle Tavolaro, Guido Giannetti, Amadeo Bucciarelli, Luigi Medici, Francesco Camargo, Onofrio Lilla, Giovanni Lamacchia, Delfo Betti, Eugenio Gallo, Alfredo Izzo, Alfredo Migliore, Vincenzo Rizzo, Giuseppe Nigro, Antonio Gallucci, Alfonso de Azevedo, Giuseppe Prince, Giovanni Rossi, Ercole Russo, D. Carlo Magno,Vincenzo Cillento, Battista Nanini, Felice Fincato, Silvio Guida, Benedetto Rizzo, Dante Cocozza, Giovanni Principato, Mario Cilento, Oberdan Zamboni 

  • Nomeados por atos de benemerência: 

    Conde Rodolfo Crespi, Michele Doganiero, Antonio de Gouveia G., Ippolito R. da Costa, Vincenzo Latuchella, J. M. da Cunha Jr., Andrea Matarazzo, Menotti Falchi, Alessandro Marcondes Filho, Arturo Spengler, Filippo Tommaselli, Federico Tommaselli, Rodolfo Kesselring, Alario Biagio, Giuseppe Tommaselli, Giulio Pignatari, Guilherme Kawall, Biagio Altieri, Conde Adriano Crespi, Nicola Sericchio, Alessandro Siciliano, Paolo Siciliano, Eduardo Matarazzo. 

  • GALERIA DE TÍTULOS
    Taça do Mundial Interclubes 1951

    Nenhum clube brasileiro colecionou tantas glórias quanto o Palmeiras, em todos os torneios e campeonatos que disputou. Estas conquistas nos campos de futebol colocaram o clube como o “Campeão do Século 20”, conforme o ranking de órgãos de imprensa e instituições de respeito – Federação Paulista de Futebol; O Estado de S.Paulo; Folha de S.Paulo; Revista Placar. 

    Internacionais 

    Mundial Interclubes: 1951 
    Copa Libertadores da América : 1999 
    Copa Sul-Americana Mercosul: 1998 

    Nacionais 

    Taça do Brasil: 1960, 1967 
    Robertão (Taça de Prata) : 1967, 1969, 
    Campeonato Brasileiro: 1972, 1973, 1993, 1994 
    Copa do Brasil: 1998 
    Copa dos Campeões: 2000 

    Títulos Honoríficos 
    Campeão das Cinco Coroas: 1950/51 
    Campeão do Século XX 

    Interestaduais 

    Torneio Rio-São Paulo: 1933, 1951, 1965, 1993, 2000 
    Taça dos Campeões Rio-São Paulo: 1926, 1934, 1942, 1947 

    Estaduais 

    Campeonato Paulista: 1920, 1926 (invicto), 1927, 1932 (invicto), 1933, 1934, 1936, 1940, 1942, 1944, 1947, 1950, 1959 (supercampeão), 1963, 1966, 1972 (invicto), 1974, 1976, 1993, 1994, 1996, 2008 
    Campeonato Paulista Extra: 1926 (invicto), 1938 
    Taça Competência: 1920, 1926, 1927 e 1932 
    Torneio Início do Campeonato Paulista: 1927, 1930, 1935, 1939, 1942, 1946, 1969 
    Taça Cidade de São Paulo: 1945, 1946, 1950, 1951 
    Taça Laudo Natel: 1972 

    2º Quadro 

    Campeonato Paulista: 1917, 1919, 1920, 1922, 1923, 1926 (extra), 1927, 1928, 1929, 1930, 1931, 1932, 1934, 1938 (extra) 

  • OUTROS TÍTULOS 

    1.) Internacionais 

    Taça Guarani: 1922 
    Copa Atilio Narâncio: 1923 
    Troféu Estevão Ronai: 1929 
    Taça Fanfulla: 1929 
    Taça C. Giusti: 1931 
    Torneio das Missões: 1947 
    Taça Peñarol: 1951 
    Troféu Cidade do México: 1952 
    Torneio do México: 1959, 1963 
    Torneio Quadrangular de Lima-Peru: 1962 
    Torneio Cidade de Manizales: 1962 
    Torneio de Florença-Itália: 1963 
    Copa IV Centenário do Rio de Janeiro: 1965 
    Taça Independência Brasil-Uruguai: 1965 
    Torneio Internacional João Havelange: 1966 
    Copa Brasil-Japão: 1967 
    Troféu Ramon de Carranza – Espanha: 1969, 1974, 1975 
    Troféu Cidade de Barcelona: 1969 
    Copa da Grécia: 1970 
    Copa do Atlântico: 1972 (invicto) 
    Copa Centenário da Imigração Italiana: 1975 
    Copa Kirin: 1978 
    Troféu Ademir da Guia: 1982 
    Torneio Euro-América: 1991, 1996 
    Copa Brasil-Itália: 1994 
    Torneio Lev Yashin-Russia: 1994 
    Copa da China: 1996 
    Torneio Naranja-Espanha: 1997 
    Troféu da Federação Internacional de Futebol-Alemanha: 1999 

    2.) Nacionais 

    Campeonato Brasileiro – Série B: 2003 

    3.) Interestaduais 

    Troféu Falchi: 1918 
    Troféu Rio de Janeiro: 1920 
    Taça Dr. Machado Lima: 1921 
    Taça Colônia Gaúcha: 1926 
    Taça ANEA: 1926 
    Taça A.A. das Palmeiras: 1930 
    Taça Porto Alegre: 1936 
    Torneio do Paraná: 1938, 1984 
    Torneio de Fortaleza: 1938 
    Torneio dos Campeões (Inauguração do Pacaembu): 1940 
    Troféu Rio Grande do Sul: 1946 
    Torneio Quadrangular São Paulo-Rio: 1952 
    Torneio Quadrangular do Recife: 1955 
    Torneio Maria Quitéria: 1997 
    Taça Governador de Góias: 1997 


    4.) Estaduais 

    Taça Pinoni: 1919 
    Taça Prefeitura de São Paulo: 1925 
    Torneio de Piracicaba: 1926 
    Taça Ballor: 1926, 1927 
    Torneio Estadual Pró-Estádio: 1931 
    Taça dos Invictos: 1933/1934, 1972, 1973, 1974, 1989 
    Troféu Campeoníssimo – Triangular dos Grandes Clubes: 1942 
    Torneio Roberto Ugolini: 1959, 1960 
    Troféu Piratininga – Quadrangular dos Grandes Clubes: 1963, 1965, 1966 
    Troféu A Gazeta Esportiva: 1979 
    Troféu José Maria Marin: 1987 
    Troféu Athiê Jorge Couri: 1993 

  • CONQUISTAS ALVIVERDES 

    1.) Internacionais 

    Troféu Malmoe: 1949 
    Taça Ribeiro de Carvalho – Costa Rica: 1952 
    Taça Presidente da República – Costa Rica: 1952 
    Troféu Valentin Suarez: 1956 
    Taça Adhemar de Barros: 1960 
    Troféu João Mendonça Falcão: 1962 
    Taça Saprissa – Costa Rica: 1964 
    Taça Osaka: 1975 
    Troféu Cidade de Lima: 1985 
    Troféu Oviedo – Espanha: 1989 
    Troféu América – México: 1991 
    Taça Lazio: 1992 
    Taça Reggiana: 1993 
    Copa Nagoya: 1994 
    Taça Jihan – China: 1996 
    Taça Xangai – China: 1996 
    Copa Rebook: 1997 

    2.) Interestaduais 

    Taça Jornal do Comércio: 1918 
    Taça Montenegro: 1920 
    Taça City: 1922 
    Taça Orminda O’Valle: 1923 
    Taça King: 1924 
    Taça Palestra Italia: 1925 
    Taça Fiat: 1926 
    Taça Sul América: 1927 
    Troféu Palestra Italia: 1928 
    Taça Flamengo: 1929 
    Taça Conde Matarazzo: 1929 
    Troféu Lineu Prestes: 1930 
    Taça Revanche: 1934 
    Taça Dante Delmanto: 1934 
    Taça Prefeito Dr. Guilherme: 1934 
    Taça Fluminense: 1934 
    Taça Palestra Italia: 1937 
    Taça Aniversário: 1937 
    Taça de Campeões São Paulo-Bahia: 1937, 1948 
    Taça Conde Francisco Matarazzo: 1938 
    Taça Máquinas Tonnanin: 1939 
    Troféu Leader Sportivo: 1940 
    Taça Armando Albano: 1946 
    Taça 7 de Setembro: 1947 
    Taça Mito: 1948 
    Taça O Esporte: 1951 
    Troféu Jornal dos Sports: 1961 
    Taça Rio Grande do Sul: 1965 
    Taça Cidade de Curitiba: 1966 
    Taça Julio Botelho: 1967 
    Taça Apucarana: 1967 
    Taça Cidade de Goiânia: 1975 
    Taça River: 2002 
    Troféu Cem Anos de Paulo Coelho Neto: 2002 

    4.) Estaduais 

    Taça Savoia: 1915 
    Festival Estadual de Taubaté: 1916 
    Festival Ludovico Bacchiani: 1916 
    Taça Cruz Vermelha Italiana: 1916 
    Taça Pró-Ospedale: 1916 
    Taça Estrela: 1917 
    Festival Santos-Pró Pátria: 1917 
    Taça Amyris: 1917 
    Taça José Castelhano: 1917 
    Troféu Café Java: 1917 
    Taça Henrique Catalano: 1917 
    Taça Luciano: 1917 
    Torneio de Outono: 1918 
    Taça Caridade: 1918 
    Taça Nociti: 1918 
    Taça Campinas: 1918 
    Taça Diário Popular: 1918 
    Taça Touring: 1918 
    Taça Initium: 1918 
    Festival da Liga Nacionalista: 1918 
    Taça Stadium Paulista: 1918 
    Troféu América Paulista: 1918 
    Taça Sudan: 1918 
    Taça Colonia Italiana: 1918 
    Taça de Prata: 1918 
    Taça Cruz Vermelha: 1918 
    Taça Confraternização dos Povos: 1919 
    Taça Circolo Italiano Uniti: 1919 
    Taça Castelões: 1919 
    Taça Gennaro Falci: 1919 
    Taça Estádio Paulista: 1919 
    Taça Beirute: 1919 
    Taça Gabrielle D'Annunzio: 1919 
    Troféu Comércio de São Carlos: 1919 
    Taça Montenegro: 1919 
    Taça Henrique Mortari: 1919 
    Taça Cruz Vermelha Brasileira: 1919 
    Taça Matarazzo: 1920 
    Taça Pietro Ruggeri: 1920 
    Taça Holmberg Bech: 1920 
    Taça São Paulo Sportivo: 1920 
    Taça Unioni dei Viaggiatori Italiani: 1921 
    Taça Catalani: 1921 
    Taça Societa Italiana di Mutuo Soccorso: 1921 
    Taça Giuseppe Verdi: 1921 
    Taça Mogyana: 1921 
    Taça Casa Roque de Marco: 1921 
    Taça Societá Italiana di Beneficenza: 1922 
    Taça Picchetti: 1922 
    Taça Itapira: 1922 
    Taça Concórdia: 1922 
    Taça Botafogo: 1922 
    Taça General Caviglia: 1922 
    Taça Guaraná Espumante: 1922 
    Taça Carlos Gomes: 1922 
    Taça Piracicaba: 1922 
    Taça Zezé Leone: 1923 
    Taça Mariano Procópio: 1923 
    Taça Agnello Castellano: 1924 
    Taça Maternidade de São Carlos: 1924 
    Taça David Picchetti: 1924 
    Taça Cavalheiro De Vivo: 1924 
    Copa Itália: 1924 
    Taça Centenário de São João da Boa Vista: 1924 
    Taça Amilcar Barbuy: 1924 
    Taça Elpídio de Paiva Azevedo: 1924 
    Taça Palmeiras: 1924 
    Taça Guazzelli: 1924 
    Taça Altivez: 1924 
    Taça Conde Matarazzo: 1924 
    Taça São Bento: 1925 
    Taça Delphim Braga: 1925 
    Taça Automovel Clube: 1925 
    Taça Il Piccolo: 1925 
    Taça Kfouri: 1927 
    Taça Sociedade Italiana Cesare Baptisti: 1927 
    Taça Umberto Delboni: 1927 
    Taça A Preferida: 1927 
    Troféu Lúcio Veiga: 1927 
    Festival da APEA: 1927, 1932 
    Taça Nerone: 1927 
    Taça Municipalidade: 1927 
    Taça Marquez de Pinedo: 1928 
    Taça Luiz Paiva Azevedo: 1928 
    Taça Caridade: 1928 
    Taça Botucatu: 1928 
    Taça Prefeitura de Jaú: 1928 
    Taça Luso-Italiana: 1928 
    Taça Conde Francisco Matarazzo: 1928 
    Taça Rampla Juniors: 1929 
    Taça Ramos de Azevedo: 1929 
    Taça Amizade: 1930 
    Taça Presidente Hoover: 1930 
    Taça Dr. Júlio Prestes: 1930 
    Taça Humberto I: 1930 
    Taça Neon Brasil: 1930 
    Taça Luiz Astorri: 1931 
    Taça Pinon Hauzer: 1931 
    Taça 14 de Julho: 1931 
    Taça Diário Nacional: 1931 
    Taça Saponácio Radium: 1931 
    Festival de Aniversário do Syrio: 1931 
    Troféu A Bola: 1932 
    Taça Giuseppe Garibaldi: 1932 
    Taça O Dia: 1933 
    Taça Filizolla: 1934 
    Taça União: 1934 
    Taça de Campeões SP-Santos: 1935 
    Taça Prefeitura Municipal: 1937 
    Taça Francisco Matarazzo: 1938 
    Taça Cidade de Birigui: 1938 
    Troféu Getúlio Vargas: 1938 
    Torneio do Luzitano: 1939 
    Taça Cidade de Amparo: 1939 
    Taça Carlo Nicolino: 1939 
    Taça Anita Pastore D'Angela: 1940 
    Taça Sabato D'Angelo: 1940 
    Taça Sudan: 1940 
    Taça Lourenço Betti: 1941 
    Taça Alviverde: 1941 
    Taça Pinto de Castro: 1941 
    Taça Cavalheiro Ernesto Giuliano: 1941 
    Taça Valvula Hidra: 1942 
    Taça Vida Esportiva Paulista: 1942 
    Troféu Tuffy-Fried: 1942, 1945 
    Taça Taquaritinga: 1942 
    Taça Nossa Senhora das Dores: 1943 
    Taça Choque Rei: 1944 
    Taça Aniversário do Fortaleza de Sorocaba: 1945 
    Taça A Semana Inglesa: 1945 
    Troféu Antonio Feliciano: 1945 
    Taça A Favorita: 1945 
    Taça Nicola Avallone: 1946 
    Taça Nicola Mazziotti: 1946 
    Taça Alfaiataria De Callis: 1947 
    Taça Comércio de Batatais: 1947 
    Taça A Gazeta Esportiva: 1947 
    Taça Comercial: 1948 
    Troféu Bixio Ciocci: 1948 
    Troféu Centenário de Barretos: 1954 
    Troféu Carvalho Pinto: 1959 
    Taça Jubileu de Prata da TV Record: 1978 
    Troféu Paulo Machado de Carvalho: 1984 
    Troféu Diário Popular: 1985 
    Copa Jornal da Tarde: 1986 
    Copa Darcy Reis: 1989 
    Troféu Fair Play "Campeão Paulista da Disciplina" (F.P.F.): 1996, 2004, 2007 
    Taça Pedreira: 2002 
    Taça Cidade de Jacutinga: 2002 
    Taça 177º Aniversário de Rio Claro: 2002 
    Troféu 90 Anos – Taubaté/Palmeiras: 2004 
    Taça 125 Anos do Corpo de Bombeiros: 2005 
    Taça Oswaldo Brandão: 2009 

  • PALMEIRAS-B 

    Troféu Algisto Lourenzatto: 2000 
    Torneio Internacional da Índia: 2001 
    Torneio China-Brasil - Troféu Cristal: 2004 
    Troféu Centenário do Estudiantes de La Plata: 2005 
    Troféu Blumenau: 2005 
    Troféu Nereu Ramos: 2005 
    Torneio Internacional de Bellinzona-Suiça: 2007 

  • PALMEIRAS DO NORDESTE 

    Campeão do 2º Turno do Torneio Seletivo: 2000 
    Campeão Estadual da Bahia 2º Divisão: 2001 
    Campeão Estadual da Bahia 1º Divisão: 2002 
    Taça Estado da Bahia - Troféu Mario Sérgio Pontes de Paiva: 2003 

  • SUB-11 

    Campeão Paulista: 2008 (invicto) 

  • SUB-15 

    Campeão Paulista: 1957, 1959, 1960, 1965, 1985 

  • SUB-17 

    Campeão Paulista: 1937, 1941, 1944, 1952, 1955, 1960, 1961, 1966, 1972, 1976, 1977 
    Torneio Início do Campeonato Paulista: 1964 

  • SUB-20 

    Super Copa São Paulo de Futebol Juniores: 1995 
    Copa Belo Horizonte de Futebol Juniores: 1998, 2002 
    Campeão Paulista: 1992, 1998, 2002, 2004, 2009 

  • ASPIRANTES 

    Campeão Paulista: 1952, 1956, 1958, 1959, 1963 (invicto), 1989 

  • FEMININO 

    Campeão Paulista: 2001 
    Campeão dos Jogos Regionais: 2005, 2008 

  • AMADOR 

    Campeão da Divisão Extra da Federação Paulista de Futebol: 1943, 1944, 1945, 1947, 1948, 1959 
    Campeão Amador da Cidade de São Paulo: 1944, 1945, 1947 
    Campeão Amador do Estado de São Paulo: 1945, 1947 


                        HINO
    Letra de Gennaro Rodrigues 
    Música de Antônio Sergi
     

    Para ouvir o Hino do Verdão, Clique aqui! 

    Quando surge o alviverde imponente 
    No gramado em que a luta o aguarda 
    Sabe bem o que vem pela frente 
    Que a dureza do prélio não tarda 

    E o Palmeiras no ardor da partida 
    Transformando a lealdade em padrão 
    Sabe sempre levar de vencida 
    E mostrar que de fato é campeão 

    Defesa que ninguém passa 
    Linha atacante de raça 
    Torcida que canta e vibra 

    Por nosso alviverde inteiro 
    Que sabe ser brasileiro 
    Ostentando a sua fibra