Sangue e Fogo‎ > ‎

Terras de um Silêncio Furioso

O Vento sopra um frio melancólico pelos quatro cantos do país.

        O pedido é ouvido e sentido por vários, mesmo aqueles que deixaram de prestar homenagens à Mãe, mesmo quem se esqueceu de como falar com os que estão do outro lado do véu. Os espíritos ficam melancólicos e temerosos com o que o vento carrega. Seja a visão de uma tempestade, ou de inverno, não importa. A sensação é de súplica…

        Para aqueles que defendem a Mãe, para os campeões de Gaia, para os que pulsam em ardor, a súplica é quase palpável. Aqueles que conseguem olhar o outro lado percebem que não se trata do vento, mas sim de incontáveis pássaros azuis de asas multicoloridas cortando o ar. Olhando atentamente, percebem que são feitos de pássaros ainda menores, como um enxame formando criaturas únicas. Tais espíritos procuravam por você, sua voz vêm de centenas de milhares pequenos espíritos falando quase ao mesmo tempo, um enxame de uma única consciência. Sua voz carrega a tristeza de quem mandou a mensagem:

Mandaram Encontrar, do Oiapoque ao Chuí, todos os Guerreiros de Gaia. Pedindo ajuda para salvar o Caern. Lá tem batalhas que não se pode vencer, pois o Inimigo Não Vai Guerrear. Lá há batalhas que não se podem vencer, por que na Dor Não Se Bate. Lá muitos perderam sua família contra algo que Não Podem Lutar. Lá nossos irmãos se vão porque a Tristeza Macula Suas Almas. Nós pedimos Ajuda! Venha lutar em Serra Negra a guerra que não se batalha! Venha Lutar por Carumaru, Boitata, Fátuo!

Nós te aguardamos, no Caern da Moréia de Fogo

. . .

        Frustração. 
        Um guerra em que não se consegue guerrear. 
        O silêncio traz uma batalha em que não se pode uivar ou rasgar, mas mesmo assim é carregada de Fúria.

        Sangue e Fogo trás um cenário que caminha para o fim. O Caern da Moréia de Fogo vem sendo atacada por diversas frentes, frentes essas em que a habilidade de Crinos não é a mais eficaz. Mineradoras tentam desapropriar suas áreas dando entrada nos papéis para conseguir o direito de explorar as terras que ficam próximas ao Caern. Loobystas tentam convencer políticos para votar para a cidade sair do "Circuito das Águas" e se agregar ao RMC, para que a cidade deixe de ser Estância Hidro-Mineral e passar a ser Pólo-Industrial - pois dá mais dinheiro e ninguém se importa com o meio ambiente. Até o Exército quer usar a propriedade em que se encontra o Caern como base operacional.

        Parentes são assassinados por servos da Devoradora e não há retaliação. Nossos irmãos são sequestrados torturados e maculados com feridas que só irão cicatrizar no Rito do Inverno.

        Destruímos uma Colmeia inteira, para descobrir que aquilo que não sangrava era o mais perigoso. Precisamos de ajuda ou o Caern cairá!

Comments