Império dos Condenados

Descrição do clima de Paranóia da House de Império das Cinzas
A Mídia turva a verdade sobre o Império das Cinzas. Monstros ocultos das lembranças comandam o que o Império saberá, não importa se for rico ou pobre, não importa sua família, muito menos de que lado está, de suas palavras saem uma verdade turva e corrupta do que aconteceu na noite anterior, ninguém contestará o que não pode ver. Toda sombra tem seus ouvidos. Um Império de Mentiras.

A Religião reina no Império, Mosteiro de Bispos, Santuário de Nossa Senhora Desatadora dos Nós, Mesas-Brancas e Centro Espíritas gigantescos se ergue dia após dia. Romarias são feitas sem multa, quanto menor a cidade, mais a procissão é carregada de fé, aqueles que caçam por consolo começam aqui. Templos para todos os Deuses estão presentes aonde menos se imagina. Não importa a dificuldade que passe irmão, haverá uma Capela aqui, mesmo que todo o Império caia ela se manterá de pé, está é a mais sólida das verdades. As maiores Catedrais do Brasil ficam no Império das Cinzas, com sua Arquidiocese, Dioceses e dezenas de Foranias. Um Império de Fé.

Todos os caminhos levam a uma Terra, não importa de onde venha - principalmente se tem passe livre por andar pelas cidades que mais parecem feudos - de certo, pode haver contra tempos na calada da noite com selvagens, sejam eles territoriais ou que ainda ousam sonhar. O que importa é que o Império das Cinzas não é uma ilha, sempre haverá um deles por ai, com um dos mais importantes aeroportos do país, com as principais rodovias cruzando suas terras, com a sua proximidade da maior metrópole do país, tudo isso torna todo seu território singular perante aos demais, com caminhos valiosos de mais para serem ignorados, mesmo para forasteiros que apenas gostam de viajar. Um Império de Gananciosos.

Ruas sem nomes lotam o Império, mais e mais pessoas surgem sem moradias, sem histórias, sem nomes. Desorientados por entorpecentes poderosos e barateados por seres que querem comida em abundancia sem se preocupar em manter uma mascara de mentiras, como se ousassem encarar alguém da realeza. Mas graças a benevolência de alguns reis eles fazem parte de algo maior, são jogados como lixo em vários pontos da cidade, seja para higienizar uma região, e para usar seus olhos e ouvidos numa teia de sussurros carregada de poder político. Um Império de Esquecidos.
A Justiça dos fortes é a única justiça que pode se encontrar, e para os mundanos, há fortes de mais. Exércitos sem pátria lutam as ordens daqueles que comando seus corações e almas, grupos acuados pelo medo se armam esperando cada vez mais uma tensão acender um curto pavio. Comunidades inteiras vivem a sombra de seres que inspiram terror mas que lhe dão segurança em troca de alguns... sacrifícios. Aos mundanos espectadores, só resta contemplar seu julgamento - justo ou não - mas o que importa é que sua vida não está sendo manipulada em vão, sua vida está fazendo parte de uma coisa maior, uma causa, e causas jamais serão ignoradas, rebele-se contra os ditadores. Um Império de Oprimidos

Pragas se alastram através de doces beijos que carregam uma sede bestial. Cada vez mais mundanos relatam saúdes precárias culpando a vida noturna sem perceber suas marcas de rebanho. A morte vem singular, tudo faz parte de um grande plano para desenhar o que o aquele espelho quebrado mostrou para nós, então que venham mortes e mais mortes para o bem de todos, que elas sejam escondidas por médicos corruptos, ou corrompidos por crianças descuidadas que não temem o pesadelo de uma nova era de Inquisição ou Fogo. Um Império de Doentes.

Uma nova Gomorra nasce das cinzas, um novo artista se levanta para governar regiões lascivas, com vielas carregadas de luxuria, escravos sexuais portando sorrisos enigmáticos e casas noturnas de luzes psicodélicas dançando e rodopiando em padrões hipnóticos e instáveis. Não importa se você é um espinho, o maior prostíbulo a céu aberto das Américas fica no Império - e lá é prometido muito mais que prazerosos pecados, basta dançar. E muito mais pode-se conseguir com uma rede cada vez mais e mais espiralada, enraizada e decadente. Um Império de Devassos.

Comments