HISTÓRIA 5ª SÉRIE


PROFESSOR: CARLOS BITENCOURT  -  PÁGINA PRINCIPAL

PATROCINADOR:

Elaboramos serviços na área de fotografia digital e gráfica rápida Visite-nos

*****************************

CURSO HISTÓRIA 5ª SÉRIE  

PLANO DE CURSO

● Aula01-

● Aula02-

● Aula03-

● Aula04-

● Aula05-

● Aula06-

● Aula07-

● Aula08-

● Aula09-

● Aula10-

● Aula11-

● Aula12-

● Aula13-

● Aula14-

● Aula15-

● Aula16-

● Aula17-

● Aula18-

● Aula19-

● Aula20-

● Aula21-

● Aula22-

● Aula23-

Aula24- O PLANETA TERRA POR DENTRO E POR FORA

O Servo Medieval e seus Instrumentos de Trabalho
.

Foices

A foice era uma das principais ferramentas utilizadas pelos servos medievais para realizar o corte dos cereais produzidos. Possuía uma lâmina de ferro formatada como a metade de um semi-circulo e que era de fácil manuseio para realizar um movimento de corte sem muito esforço (os camponeses trabalhavam durante muitas horas e, para realizar o corte andavam agachados ou arrastando-se pelo chão, o que lhes causava enorme desgaste físico, por isso, a lâmina da foice era bem afiada e produzida para causar menor esforço a ser feito pelos punhos do trabalhador). A lâmina poderia ser lisa ou apresentar serras.

Havia uma outra variedade de foice, dotada de cabo longo, que permitia ao servo realizar seu trabalho de pé (o que era, evidentemente, muito menos desgastante). Manuseada com as duas mãos para dar a necessária firmeza, a foice era utilizada de forma a realizar cortes na altura da base do produto que estava sendo colhido. Era mais comum a utilização desse tipo de foice na colheita de cevada e aveia.

Pá e Machado

A pá era utilizada para preparar o solo a ser trabalhado na área por ele arrendada. Antes do plantio das sementes era necessário que a terra fosse amaciada, o que exigia uma ferramenta muito resistente e afiada em suas extremidades. Uma de suas outras funções era a escavação de valas quando a área em questão era encharcada. Servos que não podiam comprar, emprestar ou que não sabiam produzir uma pá eram obrigados a utilizar espadas ou instrumentos cortantes para realizar esse trabalho. As pás eram feitas de madeira (para a composição dos cabos) com suas extremidades contendo lâminas de ferro.

O machado era peça essencial para qualquer servo, uma vez que a madeira era essencial para as construções e para o acendimento do fogo que mantinha as casas aquecidas e permitia o cozimento dos alimentos. Também era utilizado para matar animais, como por exemplo, no sacrifício dos porcos, antes de seu sangramento, quanto à retaguarda da cabeça do machado era batida com força no crânio do suíno.

Arados

Os arados eram utilizados para revolver a terra, fazendo perfurações e amaciando o terreno para o posterior plantio das sementes. Os arados que possuíam rodas eram mais fáceis de controlar e mais ágeis e, conseqüentemente, produtivos. Em terrenos alagadiços ou submetidos a chuvas (que produziam muito barro), tornavam-se mais difíceis de utilizar. Eram utilizados mais regularmente em áreas mais secas, menos propensas a problemas de inundações.

Existiam e eram muito comuns os arados sem rodas, mais comuns e utilizados com regularidade especialmente em áreas encharcadas ou úmidas. Tinha a mesma função de escavar buracos onde seriam colocadas as sementes. Ao ser utilizado, além de cortar a terra, tinha que retirá-la do caminho para facilitar o trabalho dos camponeses.


Ancinhos

Os ancinhos, que possuíam na Idade Média uma "cabeça" dentada maior, além de um cabo de madeira longo, eram usados para juntar mato, grama, folhas ou arbustivas cortadas durante o período de produção de feno. Também era usados para a limpeza das áreas onde era realizada a produção.

Um outro tipo mais elaborado de instrumento que tinha uma função semelhante a dos ancinhos era uma grade dentada (seus dentes eram de ferro), que atrelada a um animal (boi ou cavalo) era arrastada sobre as áreas onde se fazia necessária uma limpeza do terreno antes de se escavarem os buracos com os arados e do, posterior, plantio das sementes.

Outras Ferramentas

Havia um instrumento que consistia em duas peças de madeira reunidas, no formato aproximado de uma vassoura (só que não tinha cerdas). Tinha como utilidade à separação de grãos depois que as colheitas já haviam sido feitas.

Depois da separação dos grãos, o resultado final da colheita era colocado em peneiras onde se fazia uma nova limpeza da produção auferida. Eliminavam-se com a peneiração resíduos de tamanho reduzido e, eventualmente, até mesmo insetos e pragas.

A produção de feno, essencial para a alimentação dos animais durante o inverno, era facilitada pela utilização de uma ferramenta feita de madeira com duas ou três pontas afiadas (como os dentes de um garfo). Esse instrumento era usado para recolher o feno e acomodá-lo em montes de tamanho e quantidade aproximada.