Poema do Mes


Temos o privilêgio de publicar os poemas da irmã Cremilda Simões, que foi ter com o seu Senhor em Agosto de 2009.

Passar!...

Passa meu amigo...

Não podes parar mesmo que queiras.

Passa.

Vem comigo...

Passa ao Outro Lado

Depois de teres pisado os cardos da incompreensão que te rodeia.

 

Passa no Vale das Dores

Por Montanhas de Dificuldades

Cordilheiras de Sofrimento!

És humano.

Não podes planar...

Tens que passar.

Passa...

Anda pelos monturos que a cidade vomita e na qual transitas.

 

Passa as fronteiras do medo e do ódio

Que fizeram meninos órfãos, de olhos tristes.

Não te pertutbes!

Passa através das convenções sociais que te acusam

Porque não tentes agradar a este, ou àquele.

Passa por entre a caridade ostensiva que se pavoneia nos jornais.

 

Passa.

Passa pela política, como bom cidadão sem partidarismo doentio.

 

Não pares!

Porquê parar?...

Outrus irão passando também!

Passa na incerteza do bem que fazes ser aceite

E reconhecido entre os que não têm paz, pão e carinho.

Passa por dunas de materialismo sem que se abatam sob ti.

 

Vês as sepulturas dos que tombaram, não indo mais além?...

Não te detenhas.

Passa, mesmo se acaso a dúvida do que te espera se levanta ardente.

Esmaga-a com a planta do teu pé, ainda que queime.

 

Passa sempre

Junto do elogio fácil e que te parece justo.

(Há monumentos que os homens levantam e eles mesmo destroiem)

 

Passa apesar de cansado.

É preciso subir e passar ao Monte que já foi envolto

Em eclipse de Pecado.

Passa mesmo que ninguém te siga

Dessedente-te no Outro Lado

No Rio Puro da Água da Vida.

 

Vim para te dizer isto:

Passa e estarás no caminho aberto, pelos passos de Jesus Cristo.

 

Passa...

E chamar-te-ei: - Meu irmão.

Não serás um Super-HOmem.

Serás simplesmente:

Um cristão.