Este é o Dia...

"A Pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a principal Pedra, angular; isto procede do Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos. Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele." (Salmos 118:22-24 RA).
Apoiados no trecho do verso 24, "este é o dia que o Senhor fez", os opositores do quarto mandamento criaram a infantil afirmativa de que isso seria uma referência ao "primeiro dia da semana" e, estaria relacionado com a ressurreição de Jesus. Esta insinuação forçada, tão somente comprova o irrisório e frágil conhecimento sobre o tema por parte de seus elaboradores e a ingenuidade daqueles que aceitam-na. O objetivo dessa errônea interpretação é justificar o desprezo premeditado da observância do sábado. Os versos de Salmos 118:22-24 referem-se a um incidente ocorrido durante a construção do templo de Salomão, e estão intimamente associados a rejeição de Jesus como o Messias prometido por Deus.
"[...] Ao ser erigido o templo de Salomão, as imensas pedras para as paredes e os fundamentos foram inteiramente preparadas na pedreira; depois de serem levadas para o local da construção, nenhum instrumento devia ser nelas utilizado; os obreiros só tinham que as colocar em posição. Fora trazida para ser empregada nos fundamentos uma pedra de dimensões extraordinárias, e de singular feitio; mas os construtores não conseguiam achar lugar para ela e não a queriam aceitar. Era-lhes um estorvo, jazendo para ali, sem utilidade. Por muito tempo assim ficou como pedra rejeitada.

Mas, ao chegar a ocasião de colocar a pedra angular, procuraram por muito tempo uma de tamanho e resistência suficientes e do devido formato, para ocupar aquele lugar e suportar o grande peso que sobre ela repousaria. Fizessem uma imprudente escolha para esse importante lugar, colocariam em risco a segurança de todo o edifício. Deveriam encontrar uma pedra capaz de resistir à influência do Sol, da geada e da tempestade. Várias pedras foram escolhidas, diversas vezes, mas, sob a pressão de imensos pesos despedaçaram-se. Outras não puderam suportar a prova das súbitas mudanças atmosféricas. Afinal, a atenção dos construtores foi atraída para a pedra por tanto tempo rejeitada.

Ficara exposta ao ar, ao Sol e à tempestade, sem apresentar a mais leve fenda. Os edificadores examinaram essa pedra; tinha suportado todas as provas, menos uma. Se pudesse resistir ao teste de vigorosa pressão, decidiriam aceitá-la como a pedra angular. Foi feita a prova, a pedra foi aceita e levada para o lugar designado; no local verificaram que ela ajustava-se perfeitamente. Em profética visão, foi mostrado a Isaías que essa pedra era um símbolo de Cristo."1, 2
Assim como a "pedra angular" descrita por Davi suportou o grande peso submetido sobre ela, Cristo levou consigo o peso (a culpa e a punição) pelos pecados da humanidade (Isaías 53:3-4). O rei Davi e o profeta Isaías descreveram o dia (o tempo) em que a Pedra angular (Jesus Cristo), embora rejeitada pelo homem, seria enaltecida por Deus e estabelecida como a única base de sustentação para o pecador arrependido. Em Sua humilhação, Cristo foi desprezado e recusado, mas ao ser glorificado transformou-Se no centro de todas as coisas, tanto no Céu como na Terra (Efésios 1:22-23). A exaltação de Cristo não é obra humana, mas provém de Deus, que "O exaltou à mais alta posição" (Filipenses 2:5-11 NVI).

Paulo vivendo em uma época em que essa profecia já havia se cumprido, recordou as palavras de Deus: "No tempo favorável, Eu te ouvi. E no dia da salvação vim em teu auxílio." (cf. Isaías 49:8). E em seguida declarou: "Eis agora o tempo favorável por excelência. Eis agora o dia da salvação." (II Coríntios 6:2 BJ). O patriarca Abraão, assim como Davi, contemplou o dia que Deus concretizaria a Sua ajuda em favor da humanidade:
"Abraão, vosso pai, alegrou-se por ver o Meu dia, viu-o e regozijou-se." (João 8:56 RA).
"Este é o dia que o Senhor fez; regozijemo-nos e alegremo-nos nele." (Salmos 118:24 RA).
Estes versos referem-se ao mesmo acontecimento profético. Deus concedeu a Abraão e a Davi a oportunidade de contemplarem o dia (a época, o tempo) tão aguardado em que a salvação se consolidaria na vida daqueles que sustentaram a fé no sacrifício de Cristo. E esse dia (período, momento) estava preparado "desde a fundação do mundo" (Apocalipse 13:8).

O contexto e a inter-relação dos versos bíblicos que tratam deste assunto não proporcionam nenhuma base para se considerar que Salmos 118:24 esteja referindo-se ao "primeiro dia da semana" ou, faça alguma alusão a um dia de descanso. A Bíblia também não atribui a característica de "pedra angular" a Jesus por causa de Sua ressurreição. John Wesley (pioneiro do movimento metodista) e os comentaristas bíblicos Jamieson (presbiteriano), Fausset (presbiteriano) e Brown (anglicano), fazem as seguintes avaliações sobre os versos de Salmos 118:22-24:
"A comunidade de Israel e a igreja de Deus são aqui e em outros lugares comparadas a um edifício, onde, as pessoas são as pedras, e os príncipes e governantes são os construtores. E assim como esses mestres-construtores rejeitaram a Davi, igualmente os seus sucessores rejeitaram a Cristo, a Pedra angular de todo o edifício, pela qual as demais partes são sustentadas e firmemente unidas. Assim como Davi uniu todas as tribos e as famílias de Israel, Cristo uniu judeus e gentios. Portanto, Cristo é justamente esse lugar descrito em Marcos 12:10; Atos 4:11; Romanos 9:32 e Efésios 2:20. [...] Consagrado para uma época que jamais será esquecida."3

"Estas palavras são aplicadas por Cristo (Mateus 21:42) a Si mesmo, como o alicerce da igreja (compare Atos 4:11; Efésios 2:20; I Pedro 2:4-7). Pode-se aqui representar a exaltação maravilhosa de Deus através do poder e influência dAquele a quem os governantes da nação desprezaram. [...] há aqui simbolicamente os surpreendentes feitos de Deus em exaltar a Cristo, crucificado como um impostor, para ser o Príncipe, Salvador e Cabeça de Sua igreja. Este é o dia - ou período expressivo da graça de Deus por todos."4
Outros estudiosos da Bíblia como Agostinho, Lutero e Calvino também negam que os versos de Salmos 118:22-24 refiram-se ao "primeiro dia da semana", ou que tratem de um dia de guarda semanal. Para eles, estes versos discorrem sobre a celebração da festa dos Tabernáculos, e que o trecho, "este é o dia", esta relacionado a esse dia festivo ou a qualquer outro dia de celebração vinculado às festividades de Israel.


1. WHITE, E. G. Desejado de Todas as Nações, O; São Paulo: CPB, sec. VII, cap. 65, p. 597-598.
2. Isaías 8:13-15; Isaías 28:16; Mateus 21:42; I Pedro 2:6-7.
3. John Wesley, Wesley's Notes on the Bible, Psalms 118:22-24.
4. Robert Jamieson, Andrew Robert Fausset, David Brown, Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible, Psalms 118:22-24.

Outros estudos:
Ċ
IASD On-line,
13 de dez de 2013 07:43