O Selo de Deus

"Eu sou o Senhor, vosso Deus; andai nos Meus estatutos, e guardai os Meus juízos, e praticai-os; santificai os Meus sábados, pois servirão de sinal entre Mim e vós, para que saibais que Eu sou o Senhor, vosso Deus." (Ezequiel 20:19-20 RA).

Durante sua permanência no Egito, o povo de Israel por tanto tempo vira e ouvira a idolatria sendo praticada, que em grande medida perdeu seu conhecimento de Deus e de Sua lei, bem como o senso da importância e santidade do sábado. Então a lei foi dada uma segunda vez para trazer-lhes essas coisas à lembrança. Deus tirou os hebreus da servidão egípcia e ordenou que observassem o Seu sábado e guardassem a lei dada no Éden(a). Cada semana Ele operava um milagre para fixar-lhes na mente o fato de que instituíra o sábado no começo do mundo.

Há os que afirmam que o sábado foi entregue apenas para os judeus; mas Deus nunca disse isso.1 Israel foi escolhido e concordou em aprender, vivenciar e ensinar os caminhos de Deus à outras nações (Êxodo 19:1-8 cf. Gênesis 18:19, Gênesis 26:4-5). Deus nunca limitou Suas leis e juízos aos israelitas:

"Agora, se Me obedecerem fielmente e guardarem a Minha aliança, vocês serão o Meu tesouro pessoal dentre todas as nações. Embora toda a Terra seja Minha, vocês serão para Mim um reino de sacerdotes e uma nação santa. [...]" (Êxodo 19:5-6 NVI cf. Romanos 3:2).
"Vocês terão a mesma lei para o estrangeiro e para o natural da terra. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês. (Levítico 24:22 NVI).
"A assembleia deverá ter as mesmas leis, que valerão tanto para vocês como para o estrangeiro que vive entre vocês. [...]" (Números 15:15 NVI).
"Escute-Me, povo Meu; ouça-Me, nação Minha: a lei sairá de Mim; Minha justiça se tornará uma luz para as nações." (Isaías 51:4 NVI).
"E os estrangeiros que se unirem ao Senhor para servi-Lo, para amarem o nome do Senhor e prestar-Lhe culto, todos os que guardarem o sábado deixando de profaná-lo, e que se apegarem à Minha aliança, esses Eu trarei ao Meu santo monte e lhes darei alegria em Minha casa de oração. [...] pois a Minha casa será chamada casa de oração para todos os povos." (Isaías 56:6-7 NVI cf. Isaías 58:13-14).
"Deus é Deus apenas dos judeus? Ele não é também o Deus dos gentios? Sim, dos gentios também." (Romanos 3:29 NVI).
"Não há judeu nem grego [...]; pois todos são um em Cristo Jesus. E, se vocês são de Cristo, são descendência de Abraão e herdeiros segundo a promessa." (Gálatas 3:28-29 NVI cf. Gênesis 18:19, Romanos 2:27-29).

Logo, o sábado é importante tanto para os judeus quanto para outras nacionalidades. Deus tornou a observância do sábado obrigatória a todos os homens (Eclesiastes 12:13; Tiago 2:10-12). É afirmado claramente que "o sábado foi feito por causa do homem" (Marcos 2:27 NVI). E todos aqueles que se encontram em perigo de ser enganados neste ponto, devem atentar para a Palavra de Deus, e não aos argumentos humanos (Marcos 7:6-9; Colossenses 2:8).2

A abrangência do sábado

Assim como os demais preceitos do Decálogo (Êxodo 20:3-17), o sábado é de aplicabilidade moral, universal e eterna. Ele foi instituído para o benefício(b) de toda a humanidade:

"Santificai os Meus sábados, pois servirão de sinal entre Mim e vós, para que saibais que Eu sou o Senhor, vosso Deus. Mas também os filhos se rebelaram contra Mim e não andaram nos Meus estatutos, nem guardaram os Meus juízos, os quais, cumprindo-os o homem, viverá por eles; antes, profanaram os Meus sábados. [...]" (Ezequiel 20:20-21 RA).

"Bem-aventurado o homem que faz isto, e o filho do homem que nisto se firma, que se guarda de profanar o sábado e guarda a sua mão de cometer algum mal." (Isaías 56:2 RA). "O sábado foi estabelecido por causa do homem [...]" (Marcos 2:27 RA).

Esses textos revelam de forma inequívoca a universalidade do sábado. Os versos de Ezequiel 20:20-21, que são interpretados intencionalmente às avessas para indicar que o sábado foi destinado somente para os judeus, trazem a palavra "homem" proveniente do hebraico "'adam", que significa: indivíduo humano; espécie humana.

Em Isaías 56:2, a palavra "homem" e a expressão "filho de homem", que originam-se respectivamente do hebraico "'enowsh" e "ben 'adam", igualmente referem-se a: pessoa(s), ser humano, humanidade. E a mesma abrangência ocorre em Marcos 2:27, onde a palavra "homem" é traduzida do grego "anthropos", que significa: ser humano; indivíduo humano.

Portanto, nenhum dos textos analisados apresenta o sábado como sendo exclusivo para os judeus. Na realidade, nenhum trecho da Bíblia ensina tal coisa. Quando Deus ordenou aos israelitas: "Santificai os Meus sábados, pois servirão de sinal entre Mim e vós", Ele não estava dispensando outros povos deste preceito. Ele jamais restringiu Sua lei a Israel(c), ao contrário, se os israelitas tivessem obedecido fielmente a lei de Deus, eles teriam sido exemplos para o mundo (I Reis 8:41-43; Zacarias 8:20-23). Mas falharam em sua missão, deliberadamente desonraram a Deus quando optaram por transgredir a santificação do sábado e os demais mandamentos de Sua lei:

"Assim diz o Soberano, o Senhor: 'Esta é Jerusalém, que pus no meio dos povos, com nações ao seu redor. Contudo, em sua maldade, ela se revoltou contra as Minhas leis e contra os Meus decretos mais do que os povos e as nações ao seu redor. Ela rejeitou as Minhas leis e não agiu segundo os Meus decretos'.
Portanto assim diz o Soberano, o Senhor: 'Você tem sido mais rebelde do que as nações ao seu redor e não agiu segundo os Meus decretos nem obedeceu às Minhas leis. Você nem mesmo alcançou os padrões das nações ao seu redor'. Por isso diz o Soberano, o ­Senhor: 'Eu estou contra você, Jerusalém, e lhe infligirei castigo à vista das nações'." (Ezequiel 5:5-8 NVI).

"Contudo, os israelitas se rebelaram contra Mim no deserto. Não agiram segundo os Meus decretos, mas profanaram os Meus sábados e rejeitaram as Minhas leis, sendo que aquele que lhes obedecer por elas viverá. Por isso Eu disse que derramaria a Minha ira sobre eles e os destruiria no deserto. Mas, por amor do Meu nome, Eu agi, evitando que o Meu nome fosse profanado aos olhos das nações à vista das quais Eu os havia tirado do Egito." (Ezequiel 20:13-14 NVI).

"Seus sacerdotes cometem violência contra a Minha lei e profanam Minhas ofertas sagradas; não fazem distinção entre o sagrado e o comum; ensinam que não existe nenhuma diferença entre o puro e o impuro; e fecham os olhos quanto à guarda dos Meus sábados, de maneira que sou desonrado no meio deles." (Ezequiel 22:26 NVI cf. Isaías 52:5).

Como pode ser observado, a desobediência de Israel além de ter provocado malefícios para si mesmo e zombarias ao Criador, incentivou outras nações a permanecerem audaciosas contra Deus e Seus ensinos (Romanos 2:24). E nos dias atuais, não estão as várias igrejas cristãs seguindo a mesma conduta do antigo Israel ao renegarem a lei de Deus? (Mateus 5:17-20; I João 3:4). Que exemplo elas estão transmitindo para os não-cristãos?

Sábado: identificação de Deus

O sábado, além de ser uma instituição que relembra a criação (Gênesis 2:3; Êxodo 20:11; Hebreus 4:4), ele assume também a função de selo da lei de Deus.3 Unicamente o quarto mandamento, entre todos os dez, apresenta Deus como o autor da vida e legislador. É o único mandamento que revela quem é o Criador dos céus e da terra, assim como declara o Seu direito supremo à reverência e culto. Fora deste preceito, nada há no Decálogo que mostre por autoridade de quem foi dada a lei.4

Em geral, o selo contém três elementos básicos: o nome do proprietário do selo, seu título e a jurisdição de seus domínios. Comumente o selo oficial tem o objetivo de validar e conceder a autoridade de seu detentor ao documento que o recebe.

E no Decálogo, é justamente o mandamento do sábado que contém os elementos fundamentais de um selo. Pois é o único que identifica o Deus verdadeiro ao declarar o Seu nome: "Senhor, o teu Deus" ("Yhovah" - Jeová); o Seu título: "Criador" (Aquele que fez); e Seu território: "os céus, a terra e o mar" (Êxodo 20:10-11 cf. Apocalipse 14:7). Uma vez que apenas o quarto mandamento mostra sob a autoridade de quem foram concedidos os Dez Mandamentos, é ele que contém o "selo de Deus"; colocado sobre a Sua lei como garantia de sua autenticidade e vigência.5

Selados para a eternidade

"Então vi outro anjo subindo do Oriente, tendo o selo do Deus vivo. Ele bradou em alta voz aos quatro anjos a quem havia sido dado poder para danificar a terra e o mar: 'Não danifiquem, nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos as testas dos servos do nosso Deus'." (Apocalipse 7:2-3 NVI).

Ao ser o povo de Deus selado na testa, não se trata de selo ou sinal que se possa ver, mas sim uma fixação na verdade, tanto intelectual como espiritual, que não há mais a possibilidade de haver mudanças.6 O selo de Deus será posto somente naqueles que têm a semelhança de Cristo em caráter (cf. João 15:10).7 É a obediência aos Seus mandamentos, em sua totalidade, que molda o caráter segundo a semelhança divina (Josué 22:5; Tiago 2:8-12).

Entretanto, o homem por si mesmo, pelas suas próprias forças, é incapaz de obedecer e agradar a Deus (João 15:5; Romanos 8:5-8). Ele necessita da atuação do Espírito Santo para alcançar tais propósitos:

"Quem tem os Meus mandamentos e lhes obedece, esse é o que Me ama. Aquele que Me ama será amado por Meu Pai, e Eu também o amarei e Me revelarei a ele. [...] Tudo isso lhes tenho dito enquanto ainda estou com vocês. Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em Meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que Eu lhes disse." (João 14:21-26 NVI cf. I João 2:1-7).
"O Espírito Santo também nos testifica a este respeito. Primeiro Ele diz: 'Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor. Porei as Minhas leis em seu coração e as escreverei em sua mente'." (Hebreus 10:15-16 NVI).

O Espírito Santo conduz o pecador a Cristo e o prepara para ser um cidadão no reino do Céu. Unicamente por intermédio dEle pode alguém compreender e por em prática os preceitos do Decálogo, e assim, ser selado: "E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção." (Efésios 4:30 RA). O Espírito Santo não é o selo, mas a maneira "pela qual", "com a qual" se recebe o selo. Referindo-se a atuação do Espírito, o profeta Isaías declara: "Quando te desviares para a direita e quando te desviares para esquerda, os teus ouvidos ouvirão atrás de ti uma palavra, dizendo: 'Este é o caminho, andai por ele'." (Isaías 30:21 RA).

Muitos não receberão o selo de Deus porque não guardam os Seus mandamentos, não produzem os frutos da justiça (Salmos 119:142; I João 5:1-3 cf. Mateus 19:16-19). A grande multidão dos professos cristãos deparará com amargo desapontamento no dia de Deus. Eles não possuem na "testa" o selo do Deus vivo. Sendo mornos e indiferentes, desonram muito mais a Deus do que o descrente confesso. Tateiam nas trevas, quando poderiam estar andando na luz meridiana da Palavra, sob a orientação de Alguém que nunca erra.

Não devemos imitar nenhum ser humano. Não há nenhum ser humano que seja suficientemente sábio para ser nosso critério. Devemos olhar para o homem Cristo Jesus, o qual é completo na perfeição da justiça e santidade. Ele é o Autor e Consumador de nossa fé. Ele é o Homem exemplar(d). Sua experiência é a medida da experiência que devemos obter. Seu caráter é nosso modelo. Tiremos, portanto, a mente das perplexidades e das dificuldades desta vida, e fixemo-la nEle, para que, contemplando-O, sejamos transformados à Sua semelhança (I Pedro 1:14-16 cf. Levítico 19:2). Ao olharmos para Ele e meditarmos a Seu respeito, Ele será formado em nós. Só os que receberem o selo do Deus vivo terão o passaporte para transpor os portais da cidade santa.8




1. Ellen Gould White, Review and Herald, 30 de agosto de 1898.
2. Ibidem.
3. SHULER, J. L. (1972). God's Everlasting Sign, Nashville, TN: Southern Publishing Association, p. 114-116; ANDREASEN, M. L. (1942). The Sabbath, Washington, DC., Review and Herald Publishing Association, p. 248; WALLEMKAMPF, "The Baptism, Seal and Fullness of the Holy Spirit", (manuscrito não-publicado), p. 48; WHITE, E. G. Patriarcas e Profetas, 16.ª ed., São Paulo, SP: CPB, sec. III, cap. 27, p. 307; WHITE, E. G. Grande Conflito, O; 41.ª ed., São Paulo, SP: CPB, sec. IV, cap. 40, p. 640.
4. WHITE, E. G. Grande Conflito, O; 41.ª ed., São Paulo, SP: CPB, sec. III, cap. 26, p. 452.
5. Nisto Cremos. (2003). 7.ª ed., São Paulo, SP: CPB, cap. 19 (2. o sábado e a lei); WHITE, E. G. Patriarcas e Profetas, 16.ª ed., São Paulo, SP: CPB, sec. III, cap. 27, p. 307.
6. SDA Bible Commentary, vol. 4, p. 1.168; (cf. Provérbios 3:1-4, Isaías 8:16, Hebreus 10:15-17).
7. SDA Bible Commentary, vol. 7, p. 970; (cf. João 15:10, João 10:32, Tiago 2:26).
8. Ibidem.

Outros estudos:
Ċ
IASD On-line,
2 de dez de 2014 09:26