Página Principal‎ > ‎Alma Finita‎ > ‎

Fôlego de Vida

"Quem sabe se o fôlego de vida dos filhos dos homens se dirige para cima e o dos animais para baixo, para a terra?" (Eclesiastes 3:21 RA).
Seria o "fôlego de vida" uma figura de linguagem para referir-se a parte racional humana? Ou seria uma entidade independente do corpo que sobe ao Céu após a morte?

Em Gênesis 2:7 são revelados os dois elementos usados na formação do homem: "pó da terra" e "fôlego de vida". A expressão "fôlego de vida" presente neste verso origina-se do substantivo hebraico "nshamah"(a), que significa: respiração; espírito (impulso, estímulo de vida); inspiração (iluminação, esclarecimento divino).

Adão ao ser formado tinha todos os tecidos e órgãos estruturados, porém, destituídos de ação; eram inertes devido a ausência de vitalidade. Então, Deus concedeu àquele corpo inanimado proveniente do "pó da terra" ("és pó", Gênesis 3:19), a força vital necessária para que as suas funções orgânicas passassem a atuar; e essa força é chamada de "fôlego de vida".

Posteriormente, a perfeição física de Adão foi prejudicada quando ele se envolveu com o pecado, e desde então diversas mazelas passaram a ser realidade neste mundo. Quando o corpo perde definitivamente a sua capacidade homeostática(b), o "fôlego" (princípio vitalizador do corpo) não tem como agir e a vida cessa. Isso pode ser comparado a uma lâmpada que, ao perder a sua integridade física, impede que a energia elétrica atue proporcionando luz. Adiante alguns textos que auxiliam nesta questão:
"Algum tempo depois o filho da mulher, dona da casa, ficou doente, foi piorando e finalmente parou de respirar [nshamah]." (I Reis 17:17 NVI).
"Enquanto eu tiver vida em mim, o sopro [nshamah] de Deus em minhas narinas." (Jó 27:3 NVI).
"O Espírito de Deus me fez, e o sopro [nshamah] do Todo-Poderoso me dá vida." (Jó 33:4 RA).
"Parem de confiar no homem, cuja vida não passa de um sopro [nshamah] em suas narinas. Que valor ele tem?" (Isaías 2:22 NVI).
"Se Deus pensasse apenas em Si mesmo e para Si recolhesse o Seu Espírito e o Seu sopro [nshamah], toda a carne juntamente expiraria, e o homem voltaria para o pó." (Jó 34:14-15 RA).
Outros termos utilizados para especificar o "fôlego"(c) (sopro ou alento) de vida concedido por Deus às Suas criaturas são "ruwach"(d) e "pneuma"(e):
"De toda carne, em que havia fôlego [ruwach] de vida, entraram de dois em dois para Noé na arca." (Gênesis 7:15 RA).
"Em Sua mão está a vida de cada criatura e o fôlego [ruwach] de toda a humanidade." (Jó 12:10 NVI).
(...) quando lhes retiras o fôlego [ruwach], morrem e voltam ao pó." (Salmos 104:29 NVI).
"Quem sabe se o alento [ruwach] do homem sobe para o alto e se o alento [ruwach] do animal desce para baixo, para a terra?" (Eclesiastes 3:21 BJ).
"Com efeito, como o corpo sem o sopro [pneuma] da vida é morto, assim também é morta a fé sem obras." (Tiago 2:26 BJ).
"Contudo, depois dos três dias e meio, um sopro [pneuma] de vida, vindo de Deus, penetrou-os, e eles se puseram em pé. (...)" (Apocalipse 11:11 BJ).
Em posse dessas informações que esclarecem o que é "fôlego de vida" e sua finalidade, a própria Bíblia apresenta as respostas para as questões levantadas no início deste estudo ao declarar que o "fôlego" concedido ao ser humano é idêntico ao dos outros seres vivos:
"Morreu tudo o que tinha um sopro [nshamah] de vida nas narinas. Isto é, tudo o que estava em terra firme." (Gênesis 7:22 BJ).
"Porque o que sucede aos filhos dos homens sucede aos animais; o mesmo lhes sucede: como morre um, assim morre o outro, todos têm o mesmo fôlego [ruwach] de vida, e nenhuma vantagem tem o homem sobre os animais; porque tudo é vaidade." (Eclesiastes 3:19 RA cf. Isaías 42:5).
A pergunta de Salomão em Eclesiastes 3:21, não foi realizada por desconhecimento do assunto, visto que ele já havia apresentado o devido esclarecimento em Eclesiastes 3:19. O motivo da pergunta de Salomão era eliminar as superstições sobre o tema e desafiar alguém a provar que seus ensinos eram falsos.

Portanto, o "fôlego" não é a parte racional (os pensamentos - um "sopro cognitivo"), e tampouco seria uma entidade consciente e independente que desloca-se rumo ao Céu após a morte do corpo. Pois, se assim fosse, todas as criaturas possuiriam raciocínio semelhante ao homem, ou, teriam a fictícia entidade sobrenatural(f) (a popular "alma") alojada no corpo. Além disso, o que difere a racionalidade humana dos demais seres vivos é a estrutura cerebral, cuja as funcionalidades são ativadas pelo "fôlego de vida", a vitalidade proveniente do Criador e Mantenedor de todas as coisas (Isaías 44:24; Isaías 45:18).


a. O substantivo "nshamah" deriva do verbo "nasham", que significa: respirar de forma audível; ofegar.
b. Processos físico-químicos que mantém o organismo em constante equilíbrio; harmonia das diversas funções do corpo, seja ela física ou química, por exemplo: glicemia, pressão arterial, temperatura, respiração, imunidade, e etc.
c. Para um maior entendimento da aplicabilidade da palavra "fôlego" (ruwach ou nshamah), deve haver a distinção de quando ela é usada para denotar o processo de respirar (obter oxigênio): "Algum tempo depois o filho da mulher, dona da casa, ficou doente, foi piorando e finalmente parou de respirar [nshamah]." (I Reis 17:17 NVI); "Não me permite respirar [ruwach]; antes, me farta de amarguras." (Jó 9:18 RA). E, para referir-se à vitalidade, a força vital originada de Deus que proporciona a vida: "Em Sua mão está a vida de cada criatura e o fôlego [ruwach] de toda a humanidade." (Jó 12:10 NVI); "O Espírito de Deus me fez, e o sopro [nshamah] do Todo-Poderoso me dá vida." (Jó 33:4 RA).
d. "Ruwach", substantivo hebraico que significa: vento; direção (sentido, rumo); mente (intelecto, inteligência); espírito (vivacidade; disposição; respiração; temperamento; personalidade; sentimento). O termo "ruwach" ocorre 377 vezes no Antigo Testamento, e as traduções mais usadas para ele são: "espírito", "vento" e "fôlego". No Novo Testamento a palavra correspondente à "ruwach" é o substantivo grego "pneuma". Acesse: Espírito.
e. Pneuma, substantivo grego que significa: respiração (princípio vital que anima o corpo, fôlego de vida); vento; espírito (pensamento, entendimento, sentimento); espírito malignos (anjos demoníacos); anjo. Utilizado também para indicar: Espírito Santo (abrangendo Sua personalidade e ações); espírito de Cristo. Pneuma origina-se do verbo "pneo", que significa: respirar; soprar. No Novo Testamento, "pneo" ocorre em duas ocasiões: "(...) Ele mesmo dá a todos a vida, o fôlego [pneo] e as demais coisas." (Atos 17:25 NVI); "De repente, veio do céu um som, como de um vento [pneo] impetuoso (...)" (Atos 2:2 RA).
f. Acesse: Alma Vivente

Outros estudos:
Ċ
IASD On-line,
3 de set de 2013 06:34