Línguas Estranhas?

O "Dicionário Vine"1, editado pela Casa Publicadora das Assembleias de Deus, define o "dom de línguas" como: "o dom sobrenatural de falar em outro idioma sem tê-lo aprendido." E, de acordo com os diversos dicionários linguísticos, idioma é definido como: língua própria de um povo; linguagem de uma nação. Então, o que seria as "línguas estranhas" praticadas nos movimentos pentecostais e neo-pentecostais, visto que elas não fazem parte de nenhum idioma ou dialeto? Somado a este estranho fenômeno, tem-se o terrível ensino de que somente após o falar em "línguas estranhas", o cristão evidenciaria o seu batismo no Espírito Santo.

Tanto a glossolalia observada nas diversas igrejas pentecostais da atualidade, quanto a ideia desta pratica "linguística" como sendo a confirmação de batismo pelo Santo Espírito não possuem amparo escriturístico. Apesar disso, tais coisas estão fortemente enraizadas nos seguimentos religiosos citados. Assista o vídeo abaixo e descubra mais sobre essas questões:



1. VINE, W. E.; UNGER, F. M.; WHITE-Jr, W. (2002). Dicionário Vine: o significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento, 1.ª ed., Rio de Janeio: CPAD, p. 754; (verbete: "língua").

Ċ
IASD On-line,
1 de mar de 2014 08:31