vida

Mundo: Campo de ferias ou Campo de batalha?


INÍCIO          VIDA

Mundo: Campo de férias

ou Campo de batalha?

 

 

 

QUAL A NOSSA VISÃO DO MUNDO?

 

A visão que temos do mundo influenciará determinantemente a nossa forma de ser e estar na vida. Ou seja, a forma como vemos a mundo e a vida determinará aquilo que fazemos e aquilo que fazemos determina aquilo que recebemos («tudo o que o homem semear, isso também ceifará» Gl 6:7).

 

Assim sendo, é fundamental termos uma visão correcta da vida e do mundo que nos rodeia, transformarmo-nos pela renovação da nossa mente, aceitando e vivendo a verdade da Palavra de Deus; vendo e medindo as situações como Deus vê. Como realmente são, afinal. Isto guardar-nos-á de muitos perigos desnecessários e de não desperdiçarmos grandes oportunidades.

 

A Bíblia afirma claramente que o cristão, o Filho de Deus, não está aqui no mundo para passar férias, para fazer turismo, ou apenas para o seu bel-prazer. Jesus contrariou claramente este tipo de atitude quando disse: «Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.» (Lc 9:23).

 

Podíamos desfrutar de muito maior prazer no céu. Se este fosse o propósito, então iríamos logo para o céu porque lá o prazer é maior e não há dor, nem aflições, nem tristeza.

 

ESTAMOS EM GUERRA!

 

O que estamos aqui a fazer afinal? Porque não vamos já para o céu, experimentar a completa e plena felicidade?

Porque estamos em guerra! E existem conquistas e vitórias que Deus tem para nós alcançarmos antes de irmos para o céu. Alguns compreendem mal as Palavras de Jesus quando disse: «No mundo tereis aflições» (Jo 16:33). Jesus não quer deixar-nos tristes e amargurados. Logo a seguir Ele disse: «tende bom ânimo». Jesus não estava apenas a prometer dificuldades, Ele estava a prometer vitórias. Ele quer levar-nos a entender que estas dependem daquelas.

 

A Bíblia afirma: «Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.» Ef 6:12.

Não temos que lutar contra a carne e o sangue (contra as pessoas), mas temos que lutar. O cristão está no meio duma guerra espiritual, muito feroz, onde não pode haver lugar para desatenção, despreparação, falta de equipamento ou de submissão. Não há nada a temer, pois Jesus prometeu a vitória, mas é fundamental vestir toda a armadura de Deus (Ef 6:11) e lutar, orando e vigiando em todo o tempo (Ef 6:18). Só desta forma poderemos cantar e saborear a vitória.

 

Infelizmente, muitos cristãos desconhecem o facto que o cristão está no meio duma guerra espiritual, muito feroz, onde não pode haver lugar para desatenção, falta de preparação, falta de equipamento ou de submissão, nem de neutralidade.

 

ALGUÉM NO MEIO DA GUERRA E NÃO SABE 

 

Pensemos em alguém que está no meio de uma guerra, mas não sabe. Ou então alguém que foi recrutado e enviado para o furor de uma batalha, mas que se recusa a aceitar e acreditar. Pensa que está tudo muito bem, que tudo é normal e que precisa é relaxar um pouco. Enquanto os tiros e as bombas são atirados à volta da sua casa, ele não se apercebe. Está ocupado demais a pensar em como utilizar o seu tempo em descansar e não fazer nada.

 

Quando finalmente decide sair de casa, não leva nenhuma arma nem equipamento. Decidiu ir para a praia, bronzear-se e dar uns bons mergulhos. Há que aproveitar, afinal o tempo está óptimo. É assim que ele sai para o campo de batalha de chinelos e toalha de praia na mão...

O que será que lhe vai acontecer?...

 

Creio que todos nós poderíamos facilmente responder a esta pergunta sem nos enganarmos. Estamos diante de um acto da mais perfeita loucura com consequências inevitavelmente trágicas.

 

No entanto há uma situação que é ainda mais trágica: cristãos que estão no meio de uma guerra mais decisiva e feroz que qualquer guerra física, mas não o sabem (ou teimam em não acreditar). Que loucura! Viver no meio da guerra desarmado, despreparado e desapercebido. A morte é certa, não importa quantos cânticos de vitória o cristão entoe, ou quantos cultos frequente.

 

TEMPO DE LUTAR COM DETERMINAÇÃO E CORAGEM

 

Em Ef 6:12 a Bíblia diz: “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.”

Não temos que lutar contra a carne e o sangue (contra as pessoas). Chega de lutarmos uns contra os outros! Lutas entre famílias; lutas entre gerações; lutas entre igrejas; lutas entre denominações (há quem diga que a Igreja é o único exército que luta contra si próprio); ou mesmo luta contra os pecadores. Isso tem que acabar!

 

No entanto, é necessário lutar. Não há nada a temer, pois Jesus prometeu a vitória, mas é fundamental vestir toda a armadura de Deus (Ef 6:11) e lutar, orando e vigiando em todo o tempo (Ef 6:18). Só desta forma poderemos cantar e saborear a vitória.

 

Temos que sujeitar-nos a Deus e resistir ao diabo para que ele possa fugir (Tg 4:7). Não podemos conformar-nos com este mundo (Rm 12:2), mas vencê-lo pela nossa fé (1Jo 5:4), derrubando todas as muralhas (2Co 10:4) da religião, do cepticismo, do comodismo, do materialismo e consumismo, dos prazeres sensuais e imediatos e de tudo o que se levante contra o conhecimento de Deus (2Co 10:5). Precisamos vencer a nossa carne, alimentando o nosso espírito (Gl 5:16,17) e sendo continuamente cheios do Espírito de Deus (Ef 5:18).

 

Este é o tempo de despertarmos para esta realidade e lutarmos com determinação e coragem. Se, como bons soldados de Cristo, não nos embaraçarmos com os negócios desta vida (2Tm 2:4), mas estivermos prontos a tudo o que o Supremo Capitão ordenar, experimentaremos uma grande vitória e construiremos uma igreja poderosa, avivada, sempre crescente, que conquistará esta geração e esta terra para Deus.

Assim seja!

 

Hugo Pinto, 22/01/2002

Colocado em 13.07.2007