vida

Ignorância e Apatia


INÍCIO          VIDA 

IGNORÂNCIA E INDIFERENÇA

 

 

 

 

 

 

 

Certa vez um pregador disse “os dois maiores problemas da igreja hoje são a ignorância e a indiferença”. Uma mulher perguntou logo de seguida ao seu marido: “o que é que o pregador quer dizer com isto?”. “Querida, não sei, nem quero saber!” foi a resposta do marido.

 

Sem dúvida, aquele pregador estava certo. Uma leitura rápida pelas cartas às sete igrejas no Apocalipse demonstra claramente que a sétima igreja, a de Laodicéia é a que estava pior. É a única que não tem nenhuma aprovação nem elogio. Outras igrejas tinham problema de falta de amor, doutrinas falsas, imoralidade, morte espiritual... o que poderia ser pior que estas coisas? Ignorância e Indiferença.

 

Estas características negativas são da pior coisa que poderemos ter precisamente pelo facto de não parecerem muito más. Mas é a sua subtileza que lhe dá a sua força. É a condição mais difícil de recuperar, pois alguém nesta situação raramente reconhece o facto. E se reconhece, acha sempre que não é um grave problema. “Há coisas bem piores!” justifica-se.

 

Este é sem dúvida um dos últimos ataques do diabo à igreja e está a provocar efeitos desastrosos. A perseguição não extinguiu nem travou os cristãos. As falsas doutrinas prejudicaram e enganaram a muitos, a imoralidade tem destruído como cancro, mas este ataque está a ser mais destrutivo para a igreja do que qualquer outro.

 

Indiferença: “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.” Ap 3:15, 16 (mornidão).

Ignorância: “Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu.” Ap 3:17.

 

Ignorância

 

“O meu povo é destruído porque lhe falta o conhecimento” (Os 4:6).

 

Ignorância é a falta de conhecimento. Conhecimento de quê?

Conhecimento do Senhor Jesus. (“Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo.” 2Pe 3:18).

Conhecimento das Escrituras (“Errais não conhecendo as Escrituras” Mt 22:29).

Conhecimento do poder de Deus (“... nem o poder de Deus” Mt 22:29).

Conhecimento do Espírito Santo (“a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós.” 2Co 13:13; “Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes.” 1Co 12:1).

Conhecimento da oração (“Nem uma hora pudestes vigiar comigo?” Mt 26:40).

Conhecimento do amor (“Fazei todas as vossas obras com amor” 1Co 16:14; V. 1Jo 3:16). Alguns em vez de serem guardadores dos seus irmãos são homicidas, à semelhança de Caim.

Conhecimento do louvor e adoração (“Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.” Jo 4:23).

Conhecimento da Igreja (“Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros.” Hb 10:25).Amá-la; envolver-se com ela.

Conhecimento da Fé (“o justo viverá da fé” Rm 1:17). Alguns só conhecem a incredulidade e o negativismo.

Conhecimento do serviço (“Agora que sabeis estas coisas bem-aventurados sois se as fizerdes” Jo 13:17 – palavras de Jesus depois de ter lavado os pés aos discípulos).

Conhecimento da evangelização (“para que anuncieis as grandezas daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” 1Pe 2:9; “o que ganha almas sábio é” Pv 11:30).

 

A Palavra de Deus diz que devemos ter conhecimento profundo, a ponto de sermos Mestres (Hb 5:11-14).

 

Indiferença

 

A ignorância torna-se indiferença quando temos a oportunidade de conhecer, de procurar, de aprender e não ligamos importância a esse facto; não queremos saber; não queremos pagar o preço pela aprendizagem, pelo discipulado. Não vimos a Jesus para aprender dEle, mas para pedir ou para receber dEle.

A indiferença instala-se quando estamos habituados a ouvir, mas não chegamos ao conhecimento experimental (“que aprendem sempre, mas nunca podem chegar ao conhecimento da verdade” 2Tm 3:7).

Quando ouvimos mas não abrimos o coração para o que ouvimos (“nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração para que estivesse atenta ao que Paulo dizia.” At 16:14).

Quando ouvimos, mas não praticamos (“Sede cumpridores da Palavra e não somente ouvintes” Tg 1:22).

Quando ouvimos, mas achamos sempre que é para o outro.

Quando acreditamos, mas não estamos prontos a viver (“A fé sem as obras é morta” Tg 2:26).

Indiferença é já não ligar muito a Jesus. “Ele sabe que o amo, mas não tenho tido tempo para Ele. É a vida...”

Indiferença é não ter tempo para se alimentar da Palavra de Deus, mas encontrar sempre tempo para encher a barriga.

Indiferença é não pensar nas coisas do alto, mas nas terrenas. (“Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra.” Cl 3:2).

Indiferença é o materialismo predominar sobre o espiritual.

Indiferença é o desinteresse; é a acomodação; é o conformismo; é viver superficialmente; normalmente; comodamente.

 

Indiferença não é odiar ou rejeitar. É não ser consumido por..., é não ser dedicado, consagrado, completamente rendido, viver e morrer por...

Martin Luther King disse “quem não tem uma causa pela qual morrer, não tem uma causa pela qual viver”.

 

De volta à comunhão

 

Como Jesus se apresenta à Igreja de Laodicéia:

“O Amén, a testemunha fiel e verdadeira” (Ap 3:14). É através de recebermos o seu testemunho que saimos da ignorância.

“O princípio da criação de Deus” (Ap 3:14). É quando deixamos de olhar para a criação e colocamos os olhos no Criador que passamos do materialismo para a adoração; da Apatia para a mais elevada expressão de amor, devoção e afeição.

 

Ele quer dar-nos o seu ouro, vestes brancas e colírio. Quer enriquecer-nos, quer vestir-nos e levar-nos a ver mais longe (Ap 3:18).

O que acontece com alguém ignorante e apático é que perde a comunhão com Deus. Mas Ele bate à porta e convida a restaurar a comunhão (“Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa” Ap 3:20). E vai haver festa! (“e com ele cearei, e ele comigo” Ap 3:20). E Ele promete partilhar o Seu trono (“Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono” Ap 3:21).

Partilha a tua mesa. Ele partilhará o Seu trono...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Hugo Pinto, 12.02.2006

Colocado em 23.11.2008