salvação

Natal: A Prova Conclusiva...


INÍCIO          SALVAÇÃO

Natal: A Prova Conclusiva...

 

Estamos em mais uma época de Natal, com toda a alegria, azáfama, cordialidade e solidariedade que ela traz.

 

Na correria para ter prontas todas as tarefas inerentes à época (presentes, refeições tradicionais, doces apropriados, preparação de viagens, família reunida) podemos esquecer a razão fundamental do Natal. Aquela que lhe deu origem e sentido: Jesus Cristo!

 

Sem esquecer aquelas coisas tão boas e importantes (os presentes, o bacalhau, a família reunida, os sorrisos e abraços), não podemos desprezar o mais importante.

 

 

 

Jesus Cristo vem provar que Deus existe.

Tantas pessoas dizem “se Deus existe, venha cá abaixo e prove-nos”. Mas foi exactamente o que Deus fez quando Jesus nasceu.

 

Jesus Cristo veio revelar como Deus é.

Saber que Deus existe é bom. Mas como é que Deus é? Tirano ou bondoso? Fraco ou Poderoso? Apático ou Amigo? Jesus deixou claro que Deus é Humilde, a ponto de entrar no mundo por uma mangedoura. Deus é Acessível, a ponto de receber todas as pessoas independentemente do estatuto social, raça, idade, ou género. Deus é Todo-Poderoso; a ponto de acalmar a fúria de ventos e tempestades, de multiplicar poucos alimentos, tornando-os abundantes; a ponto de curar doenças incuráveis como lepra e cegueira. A ponto até mesmo de ressuscitar pessoas que já estavam mortas, como Lázaro, por exemplo.

 

Jesus Cristo veio revelar como o homem é.

Revelou de uma forma clara como o homem é frágil, dependente e como está necessitado.

O facto de Jesus se propor ajudar as pessoas, demonstra como elas estão necessitadas. O facto de Jesus ensinar as pessoas, revela como elas estão perdidas, sem perceberem exactamente como podem viver bem e ser felizes. O facto de Jesus ter comunhão com as pessoas, deixa claro a carência afectiva que as pessoas experimentam, a sua falta de amor profundo, de relacionamentos satisfatórios.

 

Mas a maior revelação que Jesus veio trazer foi a verdade simples mas poderosíssima e transformadora: DEUS AMA-TE!

Jesus demonstrou conclusivamente que Deus não se esqueceu nem abandonou o homem; que Deus não está indiferente ao sofrimento e necessidade do homem. Que Deus interessa-se; identifica-se; envolve-se; ama com um amor incondicional, incomensurável e extravagante.

Por isso Jesus tão depressa ministrava a multidões, como dava tamanha atenção a uma só pessoa, em particular. Por isso Jesus aproximava-se dos rejeitados da sociedade e tinha comunhão com eles, sem deixar de dar oportunidade aos poderosos. Por isso Jesus preocupava-se tanto com as necessidades e problemas das pessoas.

Se Jesus provou que Deus nos ama pela forma como viveu, revelou o quanto nos ama com a forma como morreu. Um Deus pronto a ser ridicularizado, desprezado, torturado e sacrificado por aqueles que criou. Um Deus pronto a ser perfurado, pregado, levantado na maior humilhação e tortura alguma vez conhecida: a morte de cruz. E tudo isso por mim… e por ti. Tudo isso porque DEUS AMA-TE!

 

Tão grande amor não pode passar despercebido nem ser esquecido.

Por isso, neste Natal aceita este amor; experimenta este amor; celebra este amor. E vive… vive o amor que preenche o vazio; que traz significado e satisfação; consola na dor e na dificuldade; transforma o mal, tornando-o em bem; que traz esperança…

 

A pessoa mais importante do mundo e “arredores” está interessada em ti… DEUS AMA-TE!

 

 

Hugo Pinto, 17.12.2008

Colocado em 21.12.2008