A Vida 

henrique de brion

tel-00351-966260999  - debrion@gmail.com

 

Nasceu em Lisboa no dia 1 de Maio do ano de 1952.

    A vida do aquanauta / artista Henrique de Brion é caracterizada por uma sucessão de aventuras e novos desafios.  Aos 12 anos inicia-se nas técnicas de pintura ao restaurar os frescos da sua quinta de família em Sintra; aos 16 anos embarca a bordo de um iate de 76m, o "Southern Breeze", como assistente de cozinheiro conhecendo assim muitos dos cantos do mundo; e aos 23 baseado no Rio de Janeiro, parte para explorar as profundezas dos mares.

     Henrique dedicou a sua vida ao mergulho profundo.

    Ensinou e trabalhou em explorações de petróleo off-shore em locais tão exóticos como o Brasil, a Tunísia e a India, atingindo o cargo de superintendente da COMEX (Compagnie Maritime de Expertises) e por fim o cargo de gerente de operações da empresa norte-americana, Solus Ocean Systems Inc. (Ensearch Corp.).

    Mais tarde começa a interessar-se pela pesquisa de barcos afundados, especializando-se como Técnico de Arqueologia Náutica e Subaquática o que lhe valeu o convite para ingressar em 1996, como director operacional no Projecto de Arqueologia Náutica do Pavilhão de Portugal para a Expo98.  Este projecto consistiu na exploração dos vestígios da Nau Nossa Senhora dos Mártires afundada em 1606 na costa do Forte de São Julião da Barra do Tejo em Carcavelos.

Experiência na área das artes:

1990

Curso de Aguarela com o Mestre Vieira de Melo no Rio de Janeiro.

 

1999

Exposição na Quinta da Rosa, em Lisboa.

 

2001

1º Curso de Desenho Científico Submarino em Portugal com o Prof. Pedro Salgado no CPAS.

 

2001

Exposição na Quinta Patino no Estoril.

 

2007

Exposição com a sobrinha Sofia na York House em Lisboa. 

______

    A pintura para Henrique de Brion foi sempre uma aventura, um campo imenso de criatividade que queria descobrir e dominar.  Iniciou-se muito cedo na pintura, e como autodidacta foi descobrindo ao longo dos tempos como aperfeiçoar a sua técnica, que não é mais do que um reflexo da sua vivência profissional.  Experimentou vários materiais, varias técnicas mas sempre com a mesma fonte de inspiração: o mar.

    A partir de 1998 dedica-se totalmente à pintura, encontramos assim as Marinhas, Paisagens, e reproduções. Agora, deseja dedicar-se principalmente à pintura de retratos de família, uma área que o fascina e faz com mestria e originalidade.

    Os seus retratos são caracterizados pelo seu ambiente calmo e relaxante mas também pela sua técnica pormenorizada e perfeccionista.  Predominam as cores veraneias e as imensas tonalidades azuis que aludem sempre à relação intima do artista com o mar.  Como mergulhador profundo cada movimento tem de ser estudado ao mais ínfimo pormenor, não pode haver a mínima margem de erro, o mais pequeno movimento em falso pode ser fatal.  Esta precisão de movimentos caracteriza a sua técnica que se reflecte numa pintura harmoniosa mas bastante alegre.