Página inicial

Nome: Hélio Costa
Partido: PMDB
Número: 15
Governo de Minas Gerais


Site: http://www.heliocosta.com/



O Senador Hélio Costa entra pela terceira vez na disputa a governo do estado de Minas Gerais com duas diferenças primordiais:  a primeira é que, até o momento, lidera as pesquisas de intenção de votos no estado, ao contrário dos pleitos de 1990 e 1994. A segunda, com maior peso, foi como candidato pelo PMDB, com apoio do PT e de outros partidos da base aliada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2010.

Nas duas primeiras vezes que se candidatou, Costa representava o PRN (1990), recém-criado pelo presidente Fernando Collor de Mello, e o PP (1994), legenda que chegou a presidir em Minas. Em ambos os casos, participou dos pleitos sem se coligar com partidos mais expressivos. E nas duas ocasiões chegou ao segundo turno com uma votações extraordinárias, mas foi vencido na primeira vez por Hélio Garcia, então candidato peemedebista, e na segunda pelo tucano Eduardo Azeredo.

Mas a carreira do mineiro, nascido em 1938 em Barbacena e pai de seis filhos homens de dois casamentos, teve início bem antes.  Ainda garoto no município  de Barbacena, do Campo das Vertentes, onde começou a trabalhar no rádio e, aos dezenove, seguia com a carreira de noticiarista na rádio Itatiaia, em Belo Horizonte. Passou também pelos jornais Estado de Minas e Diário da Tarde e pela TV Itacolomi, todos do grupo Diários Associados, antes de passar em um concurso e se mudar para Washington, onde atuou como redator, jornalista, locutor e tradutor da Voz da América.

Fez os cursos de “Arts and Sciences” na Universidade de Maryland, Humanidades na Universidade do Reino Unido e Produção de Televisão e Correspondente Internacional na Catholic University of America, em Washington. Em 1972 foi contratado pela Rede Globo e, como correspondente internacional, fez coberturas em 72 países e ajudou a criar as sucursais de Nova Iorque, Washington, Londres e Paris.

Em 1986, Hélio Costa largou a vitoriosa carreia de gestor internacional de jornalismo para ser eleito deputado constituinte, quando atuou como vice-presidente da Comissão da Ordem Social.  Em 1999, voltou à Brasília após ser eleito deputado federal no ano anterior, pelo PMDB, partido pelo qual conseguiu também uma vaga no Senado com mais de 3 milhões de votos nas eleições de 2002.

Em 2003 foi designado vice-líder do governo no Senado e, em 2005,  diante de crises sucessivas enfrentadas pelo do governo do presidente Lula, ele foi nomeado para a pasta do Ministério das Comunicações, onde foi responsável pelo maior projeto de inclusão digital da américa latina, levando acesso  de banda larga para todo o Brasil.  Também foi também responsável pela  trabalhos de implantação do sistema brasileiro de TV digital (SBTVD), baseado no sistema digital japonês  mas incorporando tecnologia científica brasileira. 

Gestão eficiente: um salto tecnológico nas telecomunicações.

Nos primeiros meses do ano de 2010 se desincompatibilizou para disputar as eleições de outubro. Desde então, vinha travando uma batalha com o PT para encabeçar a chapa ao governo mineiro.

Ele venceu a queda de braço no início de junho, depois de a direção nacional petista impor a candidatura ao Senado ao ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, obrigado a ceder a chance de disputar o governo peemedebista em nome da aliança em torno da candidatura presidencial da ex-ministra Dilma Rousseff. Logo depois ficou acertado que  o Professor Patrus Ananias seria o vice-governador na chapa encabeçada por Hélio Costa.

Ao final da apuração, na disputa ao Governo de Minas Gerais de 2010, no dia 3 de outubro de 2010, o senador Hélio Costa fez a seguinte declaração pública:

Com o resultado das eleições definido, quero me dirigir agora aos eleitores que depositaram sua confiança em mim e no meu companheiro Patrus Ananias. E também dizer algumas palavras aos valentes apoiadores da coligação ‘Todos Juntos por Minas’, que ousaram lutar pelo projeto de uma Minas mais justa e fraterna.

Em primeiro lugar, meu muito obrigado aos cerca de 3,5 milhões de eleitores que confiaram na proposta de um governo voltado para os mais pobres. São homens e mulheres que, inspirados por nosso presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sonharam com a construção de um novo pacto em nosso Estado, colocando Minas no rumo do Brasil. A eles, dedico os meus esforços.

Aos apoiadores que levaram adiante nossa candidatura, agradeço do fundo do meu coração. E peço que não se dispersem. Que continuem empunhando a bandeira do desenvolvimento com justiça social.

Por fim, presto uma homenagem especial ao meu amigo Patrus Ananias. Foi um privilégio tê-lo lado a lado, mais uma vez. Que sua boa governança e liderança política continuem a nos iluminar.

Como dissemos, Patrus e eu, na Carta ao Povo de Minas, o documento em que firmamos nosso compromisso de um governo verdadeiramente popular para Minas Gerais, “em Minas, liberdade não pode mais ser um simples slogan publicitário. Tem de ser um desafio de construção diária, um norte perpétuo, um compromisso”. Não desistiremos desse ideal.

Um abraço a todos os mineiros.

Senador Hélio Costa.”


Comments