home


Seja Bem Vindo ao Nosso Site!   




O Grupo MUTUM de Radio Expedição foi criado em 05 de novembro de 2007.
 
FUNDADORES : PT2AZ Jáffer, PT2MA Max, PT2ECM Coelho, PT2ZM Leonardo, PT2IW Fernandes
 


Participe do nosso grupo de discussão:

 
Basta entrar no link abaixo e clikar no botão azul  Entrar neste Grupo e seguir as instruções:   
 


ESTAÇÃO ESPACIAL INTERNACIONAL COLOCA EM ÓRBITA NANO SATÉLITE NACIONAL


O satélite nacional de pequeno porte Serpens – sigla para Sistema Espacial para Realização de Pesquisa e Experimentos com Nano satélites – está programado para ser injetado em órbita na manhã desta quinta-feira (17) a partir da Estação Espacial Internacional (ISS na sigla em inglês).

De acordo com a Agência Espacial do Japão (Jaxa) o lançamento deve ocorrer entre 8h e 11h30 no horário de Brasília. A colocação do Serpens em órbita será feita pelo Japanese CubeSat Deployer (JSSOD), dispositivo de lançamento do modulo de pesquisa  ”Kibo”.

O Serpens, desenvolvido por um consórcio acadêmico coordenado pela Agência Espacial Brasileira (AEB), chegou a ISS no último dia 24 de agosto transportado pelo veículo japonês de abastecimento HTV5. Em órbita ele receberá uma série de dados que serão enviados por diversas plataformas de coleta de dados instaladas em diversos pontos do território. Essas informações estarão disponíveis para retransmissão para estações receptoras no Brasil e em outros países.

O principal objetivo do projeto Serpens é a capacitação de recursos humanos e a consolidação dos novos cursos de engenharia espacial brasileiros. Além da Universidade de Brasília (UnB), participam também do projeto as universidades federais do ABC (Ufabc), de Santa Catarina (UFSC), de Minas Gerais (UFMG) e o Instituto Federal Fluminense (IFF).

Do exterior, fazem parte a Universidade de Vigo, da Espanha, a Sapienza Università di Roma (Itália) e as norte-americanas Morehead State University e California State Polytechnic University.

Atividades – A integração do satélite e os testes adicionais, etapas desenvolvidas a partir de fevereiro último, foram realizados no Laboratório de Integração e Testes (LIT) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São José dos Campos (SP).

O Serpens é o terceiro CubSat nacional a ser colocado no espaço, sendo o segundo a ser lançado do laboratório espacial. O primeiro foi o Aesp-14, desenvolvido em parceria entre o ITA e o Inpe.

Essa primeira missão do projeto Serpens é coordenada pela UnB, mas a proposta é que as instituições que formam o consórcio se revezem na liderança. Pelo cronograma aprovado, a UFSC será responsável por encabeçar o desenvolvimento do Serpens 2.

Coordenação de Comunicação Social-AEB








C V A 2015 - 22 e 23 de agosto 2015
Z Y 2 M - Grupo Mutum
                  PT2AZ                      PT2AP                    PT2AZ

                                              Operação Multi - Operador / duas Estações
                                                
                                                    Contatos Realizados
                                                  Estados    23 UF    385
                                                 DX                    131
                                                 FD                       4
                                                 HQ                      31
                                                 MIL                     35
                                                 QRP                      7
                                                  YL                       7
                                                  TOTAL................ 600

  





VEJA O LINK ABAIXO O REGULAMENTO DO CONCURSO 
 DIAS 26 E 27 DE SETEMBRO DE 2015
UMA BOA OPORTUNIDADE PARA OS CAÇADORES DE PLANTÃO. 








Como chamar uma Expedição DX

 

Ao contrario do que muitos pensam, as expedições DX são organizadas com a finalidade de proporcionar aos DX-men a oportunidade de incluírem em seus créditos países raras.

Em geral, essas expedições transmitem de ilhas desabitadas, tais como as de São Pedro, São Paulo etc., o que desperta o interesse dos “caçadores de figurinhas difíceis” já que essas expedições só se realizam com intervalos de anos, em razão de seu alto custo.

Justamente por isso, é feita com bastante antecedência uma ampla divulgação através dos QTC’s de boletins remetidos para as diretorias seccionais e mesmo pela faixa, a fim de que todos tomem conhecimento delas, em todo o mundo. Essa divulgação menciona as freqüências a serem usadas horários, datas, modalidades de operação etc.

Cada operação do equipamento geralmente dura apenas algumas horas, já que este é alimentado por pequenos geradores ou por baterias. Os operadores são radioamadores altamente treinados e ótimos telegrafistas, dotados de espírito de aventura, uma vez que permanecerão por algum tempo em uma região desabitada e as vezes inóspita.

O radioamador interessado em contatar com tais expedições deve fazer vigília com escuta apurada, e talvez tenha de esperar alguns dias alem da datada marcada para conseguir o contato. Ocorre que nem sempre expedição pode chegar na data certa ao local da operação. Quando finalmente conseguir ouvir o CQ esperado, deve ter calma. Possivelmente centenas de outros radioamadores de todo o mundo, que também estavam na escuta o ouviram. A tentação natural é começar a chamar a expedição, pedindo oportunidade, e isso talvez provoque a perda do contato. Alem de tumultuar a faixa, concorrerá para que outros sejam prejudicados.

Eis algumas regras que achamos válidas:

  1. Descubra primeiro a freqüência exata em que ouviu a expedição chamando. Essas estações só respondem aos chamados de estações que estejam “bite-zero” com elas, desprezando as demais que se anunciaram nas laterais. Não condene o operador por isso. Esse procedimento é valido, por causa do QRM existente nos locais destas operações, e mesmo porque o operador não pode sair da freqüência anunciada previamente, para não prejudicar os demais;
  1. Preste bem atenção para certificar-se de que expedição não esta fazendo um CQ dirigindo a outra área que não seja a sua, pois essa expedições usam antenas direcionais. Se isso estiver ocorrendo, não adiantará você pedir oportunidade porque não será atendido. Se tentar, mesmo assim, nada lucrará e irá interferir na comunicação dos outros que estão localizados na área chamada;
  1. Se você chamar em fonia, faça-o apenas uma vez, frisando bem o indicativo da estação-expedição e,logo a seguir, mencione seu próprio indicativo de maneira clara, pausada, sem gritar, usando o código internacional, repetindo duas ou três vezes o seu indicativo e o nome de sua cidade, usando o mesmo código. Não diga mais nada, alem do QTH, a não ser se lhe for solicitado pelo operador da estação de expedição. Limita-se então, a ouvir o que o operador tem para dizer a você, como por exemplo: para onde enviar o seu QSL etc. só diga seu nome se lhe for solicitado. Nesse tipo de QSO não se bate papo perguntando como é o local etc. ainda uma observação: para melhor rendimento de sua estação não aumente o nível de transmissão, pensando que será melhor copiando. Use o nível exigido pelo transmissor pelo transmissor com o qual você opera costumeiramente. O aumento provocará distorção em sua modulação e esta não será bem copiada;
  1. Se você for operar em CW, são validas as mesmas instruções dadas acima para a fonia, com exceção do nível de áudio. Procure chamar a expedição na mesma velocidade utilizada pelo operador. Seja breve e respeite o QTR do colega, limitando para muitos QSOs, propósito que motivou sua ida naquele local. Envie a reportagem numérica como o recebe em CW e só passe o seu QRA se for solicitado por ele. Terminando, deixe a freqüência e não volte chamá-lo uma segunda vez na mesma faixa e na mesma modalidade. Não é demais lembrar a obrigatoriedade moral de enviar o seu QSL para o local indicado por ele; afinal de contas, ele bem o merece.


Como Realizar um QSO-DX em Português, Espanhol e Inglês



O radioamador que não domina o idioma espanhol ou o inglês ou qualquer outro em geral alega pela faixa que “não gosta” de fazer DX, preferindo “bater papo” com os colegas brasileiros. As vezes, mas que, no fundo, gostaria de também fazer os seus DXs.

Procurando colaborar com todos, organizamos este QSO padrão em português, espanhol e inglês, com a grafia correta e as respectivas anunciar corretamente as palavras, para se fazer entendido.

Antes, porem, gostaríamos que tomassem nota destas regras, que achamos muito importantes:
a) em DX  não se efetuam rodadas. Fala-se menos possível, só o estritamente necessário, como: reportagem dos sinais recebidos, seu QRA, seu QTh (caixa postal) e sua cidade, porque a propagação pode fechar e você não completar o comunicado;
b)não de todo o nome, muito menos o seu sobrenome. Basta o QRA de rádio e, sempre que possível, abreviado, p. ex: José Maria, pode ser Zemaria; Alberto, pode ser, Al, Francisco pode ser Fran etc;
c) em Dx não se fornece nem se pede QTH completo, em geral, dá-se apenas a caixa postal (P.O Box ou Apartado Postal) da Diretoria Soccional da LABRE da cidade ou da sua própria;
d) é uma regra geral fornecer de imediato a intensidade dos sinais recebidos;
e) observa-se sempre a regra internacional de mencionar em primeiro lugar o indicativo de chamada do colega e por ultimo o seu próprio indicativo.
f) evita-se sempre que possível, a mudança da freqüência; corre-se o risco de perder a “figurinha” já pescada, pois, em outra freqüência, talvez você não possa localizar ou ele não queira se ausentar do local onde se encontra. Muitas vezes aquela figurinha já tem um QSL de sua cidade e não se interessa muito por outro, o seu. Como você é que esta interessado,controle o canal e termine o QSO na mesma freqüência em que o iniciou;
g) a palavra “breique” (break) faça-o apenas 3 vezes seguidas, mencionando logo seu indicativo e sua cidade e pais;
i) não já necessidade de você passar e pedir o QTR; basta você anotar no seu livro de registro para depois transcrever no QSL; não use hora PY, adote sempre GMT para facilitar e conferencia;
j) nunca use palavra de gíria; adote somente vocabulário vernáculo empregado no radioamadorismo;
k) muitas vezes você terá que enviar junto com seu cartão de QSL , o IRC, isso é “Cupom Internacional de Resposta”. Muitas “figurinhas difíceis”  só enviam o QSL se receberem o  IRC, que pagará a remessa do cartão dele para você. Se estiver interessado em receber aquela “preciosidade”, é só agir. O IRC será encontrado em qualquer agencia de correio de sua cidade. Para os colegas das Américas manda-se 2 IRC; para os da Europa e África, 3 IRC, para os da Ásia e Oceania, 4 IRC e,para as estações DX-Pedition (Estações Expedição), envia-se o dobro, de acordo com o pais onde ele se localiza. Geralmente as estações especializadas em DX possuem o seu manager “administrador” encarregando de receber e enviar o QSL’s. Mesmo que o manager de alguma “figurinha difícil” more junto ao seu QTH, você terá de enviar os IRC’s de praxe.



Padrão de QSO-DX em Português, Espanhol e Inglês


CHAMANDO: Em Português: CQ DX, CQ DX, CQ DX. Estação brasileira, PY... (indicativo e cidade) chamou CQ DX e passa a escuta.
Em Espanhol: CQ DX, CQ DX, CQ DX. Una estación brasileña, PY... llamando CQ DXm atento em La Frecuencia.
(Pronuncia figurada: CÊ KU DI EX, CÊ KU DI EX, CÊ KU DI EX. UMA ESTACIÓN BRACILHENHA, PÊ IGREGA... LHAMANDO A CÊ KU DI EQUICE, ATENTO EM LA FRECUENCIA.)
Em Inglês: CQ DX, CQ DX, CQ DX. This is brazilian station PY... calling CQ DX. Over.
(Pronúncia figurada CI KIU DI EKS, CI KIU DI EKS, CI KIU DI EKS. DIS IS BRASILIÃN STEICHAM, PI UAI... COLIN CI KIU DI. OVER)
Contestando: em Português WB4-ABC  -  WB4-ABC  -  WB4-ABC . Esta é PY... do Brasil, contestando. Adiante.
Em Espanhol: WB4-ABC  -  WB4-ABC  -  WB4-ABC. ESTA ES PY... contestando. Adelante.
(Pronuncia figurada: DABLIU BÊ CUATRO ABC - DABLIU BÊ CUATRO ABC - DABLIU BÊ CUATRO ABC. ÉSTA ÉS PY... CONTESTANDO. ADELANTE.)

Em Inglês: WB4-ABC  -  WB4-ABC  -  WB4-ABC . This is PY... calling. Go ahead.
(Pronuncia  figurada: DABLIU BI FOUR EI BI CI - DABLIU BI FOUR EI BI CI - DABLIU BI FOUR EI BI CI. DIS IS PI UAI... COLIN. GOL ARRED.)
QUANDO TIVER DÚVIDA NA RECEPÇÃO: (Nota: quando você não compreender bem o indicativo do colega com quem deseja falar, ou ao ouvir bem seus sinais, não insista. Peça desculpas e volte a chamar geral.)
REGRA Nº 1 – (Quando não compreender seu indicativo):
Em português: QRZ? QRZ? QRZ? PY... Pergunta QRZ?
Em espanhol: QRZ? QRZ? QRZ? PY... Pergunta QRZ?
Pronuncia figurada: KIU EER ZETA? KIU ERR ZETA? KIU ERR ZETA? PÊ IGREGA... PREGUNTA KIU ERR ZETA?)
Em inglês. QRZ? QRZ? QRZ? PY... calling QRZ?
Pronuncia figurada KIU AR ZED? KIU AR ZED? KIU AR ZED? PI UAI... COLIN KIU AR ZED?)
REGRA nº 2 – (Quando não se copia bem o colega, mas se deseja firmemente um QSO com ele):

Em português: sinto muito. Mas não posso copiá-lo. Por favor QSY uns 5 kHz (ou MHz) acima (abaixo). Cambio.

Em espanhol: sinto mucho. Yo no lo copio. Por favor QSY 5 arriba (abajo). Adelante.
(Pronuncia figurada: SINTO MUCHO. IO NO LO COPIO, POR FAVOR KU ESS IGREGA CINCO ARRIBA (ABARRO). ADELANTE.)
Em inglês. Sorry. I can’t copy. Please QSY abou Five kHz (MHz higher (lower). Over, please.
(Pronuncia figurada) SORI. AI KENT COPI. PLIS KIUS ESS UAI FAIV QUILOHERT (MEGAHERT) ABAUT (LOUER). OVER PLIS.
REGRA n. 3 (Quando a propagação não está boa)
Em Português: Sinto muito. Mas não posso copiá-lo. As condições de propagação não estão boas.
Em espanhol: Sinto mucho. Yo no lo puedo copiar. Lãs condições de propagación estão muy males.
Em ingles: Sorry very much. But i can’t copy you at all. The conditions of propagation are too bad.

AGRADECENDO UMA CONTESTAÇÃO:
Em português: YV5-VI  -  PY ... Agradeço-lhe muito por haver contestado meu chamado.
Em espanhol: YV5-VI  -  PY ...Muchas gracias por haberme contestado.
Em Inglês: YV5-VI  -  PY ... Thank’s a lot for calling me.

PEDINDO UM BREIQUE:
Em português: Breique! Você me copia bem?
Em espanhol: Break! Me copia usted bien?
Em inglês: Break! Are you copying me ok?

CONVERSAÇÃO EM GERAL, AGRADECENDO CONTESTAÇÃO:
Em português: obrigado por haver retornado para mim.
Em espanhol: Gracias por retornar para mi.
Em inglês: Thank you very much for coming back for me.

FORNECENDO NOME E ENDEREÇO
Em português: Meu nome é... meu sobrenome é... Meu QRA e QTH estão completos em qualquer (no ultimo) Call Book. Minha caixa postal é ... Minha é ...
Em espanhol: Mi nombre es... Mi apelido es. Mi QRA y mi QTH estão correctos em cualquier (em El último) Call Book. Mi apartado postal es... mi ciudad é...
Em inglês: My name is... My surmane is ... My QRa and QTH are correct is the (last) Call Book. My P.O Box is … my city…


PEDINDO CONFIRMAÇÃO DO NOME E ENDEREÇO:
Em português: Diga-me por favor se o seu nome e endereço (QRA e QTH) estão corretos no (ultimo) call book.
Em espanhol: Dígame por favor si su QRA y su QTH están correctos en El (ultimo) Call Book.
Em inglês: Please tell me If your QRA and QTH are correct in the (last) Call Book.
DANDO REPORTAGEM DE SINAIS:Em português: Estou recebendo-o com R (um, dois, três, quatro, cinco)e S (um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove.), com (dez, quinze, vinte) decibéis acima.
Em espanhol: Lo estoy recibiendo con R (um, dos, três, cuatro, cinco) y S (um, dos, três, cuatro, cinco, seis, siete, ocho, nueve) con (diez, quince, veinte) decibeles arriba.
Em inglês: I AM receiving you with R (one, two, three, four, Five) and S (one, two, three, four, Five, six, seven, eight, nine) with (tem, fifteen, twenty) D. C. About.

PEDINDO CARTAO DE QSL:
Em português: Por favor mande-me seu cartão de QSL diretamente
Em espanhol: Por favor envie su trajeta QSL directamente.
Em inglês: Please send your QSL card directly.

AGRADECENDO UM QSO:
Em português: Agradecido por este magnífico. Boa sorte: e 73.
Em espanhol: Gracias por este magnífico QSO. Buena suerte y 73.
Em inglês: Thank you very much for this fine QSO. Good luck and 73.
 


Leia mais: http://pu5bng.webnode.com.br/como-chamar-uma-expedi%C3%A7%C3%A3o-dx/
Crie seu site grátis: http://www.webnode.com.br 








PLANO DE BANDAS
 
Repetidoras 
 

 
"Estamos no AR" 
 
  
 
 
 
146.610 Mhz Digital - com o indicativo de PT2MTD
 
 
configure seu radio IC 2200, veja a pagina modos digitais.
 
 
Aguardamos você.
 
 
OUTRAS REPETIDORAS  ADMINISTRADAS PELO GRUPO MUTUM
 
 



Repetidora localizada na Região Administrativa de Brazlândia, Brasília - DF
40 Km do centro de Brasília.  
 



 
 
VENHA FALAR COM A GENTE !
 
 
 


 
 
  

O que é RINDAT ?

A Rede Integrada Nacional de Detecção de Descargas Atmosféricas (RINDAT) é uma rede de sensores e centrais que permitem detectar em tempo real as descargas atmosféricas nuvem-solo, isto é, a maior parte das descargas que atingem o solo, em parte do território brasileiro.  

  

 
 
 
O símbolo internacional de radioamador, incluídos os logotipos das sociedades membros da IARU. O diamante possui um diagrama de circuito com componentes comuns a cada rádio:

uma antena, indutor e terra.



 
 

 



free counter
visitantes