Dicionário de Informática


 Excertos do livro intitulado "Dicionário de Infomática

Transcrito por Tiago Matias e Joel Rodrigues 

Account policy – Em redes e sistemas operativos multi-utilizador, constitui o conjunto de regras que mantêm a ordem na rede e determinam os privilégios de acesso dos utilizadores. A política de acesso pode determinar se uma pessoa tem direito de acesso ao sistema e se podem ser atribuídos mais direitos a um utilizador autorizado. Também pode listar os utilizadores que devem fazer prova de autorização para continuar a usar o sistema.

 

Acesso – Obter um canal de comunicação através de um programa de software ou componente do computador, para que o utilizador o possa usar. Por exemplo, o computador deve aceder a um modem, que está ligado, antes de este poder ser utilizado.

 

Acesso em concorrência – A utilização de um sistema de computador, programa, base de dados ou outro recurso por mais de uma pessoa simultaneamente.

 

Acesso paralelo – Gravação ou carregamento de todos os bits de uma unidade de informação realizada simultaneamente (e não sequencialmente).

 

Acesso remoto – Conexão remota de um computador ou de outro tipo de dispositivo.

 

Acesso sequencial – Método de recuperação de dados segundo o qual computador deve ler um dispositivo de armazenamento desde o princípio ate chegar à informação necessária.

 

Acknowledgment (ACK) – Sinal trocado entre computadores numa rede ou entre componentes pertencentes a um único computador indicando que a transmissão de dados foi executada com sucesso ou que computador ou componente está pronto para receber uma transmissão. Em ASCII, este sinal está incluído nos primeiros 32 códigos, os quais estão reservados para comunicar e imprimir informação.

 

ADA – Linguagem de programação de alto nível desenvolvida no final da década de 70 e no inicio dos anos 80, pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos da América. A linguagem ADA pode lidar com qualquer tipo de tarefa, desde uma simples aplicação contabilística até sistemas complexos de telecomando de mísseis. Desde a sua criação, tornou-se a linguagem mais utilizada pelo Departamento de Defesa norte-americano. ADA deriva do nome da condessa de Lovelace, Augusta Ada Byron (1815-1852). Augusta Byron foi assistente de Charles Babbage na concepção da sua máquina analítica, um equipamento que teria executado operações lógicas e matemáticas e armazenado informação.

 

Alocação dinâmica – É o processo de reservar memória destinada a certas operações durante a operação de um programa.

 

Alternância de tarefas – Passagem de uma tarefa activa para outra sem perder o posicionamento na primeira tarefa. A alternância de tarefas difere da multitarefa porque os programas passados para segundo plano não continuam a processar as informações, embora possam ser trazidos para o primeiro plano sempre que necessário. Por exemplo, quando mandar imprimir numa base de dados, pode passar para o processador de texto sem interromper a impressão.

 

ALU (Arithmetic Logic Unit) – Parte do CPU do computador que executa operações matemáticas, lógicas e comparativas. Os números são enviados para a ALU, as funções pedidas são executadas e os resultados enviados para a memória.

 

Ambiente de trabalho – É uma interface de utilização gráfica, que possui um sistema de organização de ícones semelhantes à organização de uma secretária. Os itens de um ambiente de trabalho (desktop) podem ser organizados e modificados de uma forma muito simples. O ambiente de trabalho do Windows possui sempre pelo menos 4 itens – ícone “O meu computador”, “Reciclagem”, “Botão Iniciar” e a “Barra de Tarefas”.

 

Ambiente operativo - O ambiente em que os programas são executados. Diferente de sistema operativo (SO) que é em si um programa. Por exemplo, o Windows 3.X é um ambiente operativo, e funciona sobre o Microsoft DOS (MS-DOS), enquanto o Windows XP tem o seu próprio SO e não precisa do DOS.

Aplicação - Software concebido para desempenhar um determinado tipo de acção ou actividade, tal como digitalizar imagens, fazer processamento de texto, gerir imagens vectoriais, correio electrónico, ou inserir dados numa folha de cálculo. Muitas vezes, é designada por "programa".

Armazenamento - Retenção de informação para uso posterior. Um computador tem dois tipos básicos de armazenamento: interno ou externo. O armazenamento interno refere-se a informação acessível e carregada em memória quando o sistema é iniciado. O armazenamento externo refere-se ao disco rígido, unidades de disquete e unidades de fita de cópia de segurança de um computador.

Arquitectura de Von Neumann - Abordagem à concepção de computadores baseada no conceito de programas armazenados, que são armazenados no PC e manipulados por instruções. Esta arquitectura usa o conceito de processamento sequencial em que as operações são executadas uma de cada vez. Esta arquitectura foi concebida pelo matemático húngaro John von Neumann, que a divulgou nos anos 40.

Assembler - Programa que traduz a linguagem Assembly (compilação), compreendida pelo homem, em linguagem de máquina, compreendida pelos processadores.

Backup - Copiar um ficheiro ou ficheiros para um local alternativo para garantir uma cópia de segurança para o caso do original ser destruído. É possível fazer uma cópia de segurança de um disco completo ou apenas de alguns ficheiros se dispuser de um meio com capacidade suficiente. Devido à sua grande capacidade, as drives de fita magnética são muito utilizadas em cópias de segurança. Muitos programas de backup guardam os ficheiros num formato comprimido, ocupando menos espaço. Isto significa que, para repor os ficheiros que foram guardados no backup, deve ser utilizado o mesmo programa que executou o backup.

BIOS - Sistema básico de entrada e saída de dados (em inglês: Basic Input/ Output System), é a parte do sistema operativo do computador que comunica com o ecrã, o teclado, as impressoras ou quaisquer outros periféricos.

Bit - Acrónimo de binary digit, a mais pequena unidade de memória de um computador, ou seja zero ou um. Para se representarem estados mais complexos de informação, torna-se necessário utilizar um conjunto de vários bits, por exemplo, um conjunto de 8 bits. Este conjunto recebe o nome de byte. O byte é a verdadeira unidade elementar de armazenamento na memória. Com oito bits, cada um dos quais pode estar no estado um ou zero, podem obter-se 2^8=256 combinações diferentes. Cada uma delas pode ser utilizada para representar um símbolo diferente.

Boot - Ligar o computador e provocar o seu arranque executando o software básico existente no BIOS. Iniciar o computador é o primeiro passo a realizar, visto que o computador deve carregar alguma informação na memória antes de correr programas mais complexos. A palavra deriva de "bootstrap", as presilhas das botas que auxiliam as pessoas a calçá-las.

Browser - Programa que permite navegar na Web e em sites FTP (File Transfer Protocol). São exemplos o Netscape Navigator, Mozilla Firefox e o Internet Explorer.

Cache – Área de um computador ou secção especial da memoria de acesso aleatório (RAM) que é continuamente actualizada, de forma a conter a informação usada recentemente, reduzindo assim o tempo de acesso enquanto um programa é utilizado.

 

Ciclo – Rotina de um programa que repete um número específico de vezes. Uma variável contadora é incrementada de cada vezes que a rotina é executada. Quando a variável atinge um determinado valor, a rotina termina.

 

Configuração – A forma como o sistema é definida, ao nível do hardware e software. Inclui o equipamento, sistema operativo e quantidade de memória de outros.

 

Corrupção – Danificação ou alteração de dados ou programas devido a falha de hardware, software, falha de energia, vírus, etc.

 

Erro crítico – Erro tão grave que é impossível ao programa em curso continuar a sua execução. No MS-DOS, um erro crítico causa geralmente um aparecimento da mensagem “abortar, repetir, falhar”.

 

Erro fatal – Um erro que causa o bloqueio do sistema operativo.

 

Erro não recuperável – Erro que ocorre durante a operação de um PC que não pode ser corrigido, independentemente do número de tentativas.

 

Ficheiro batch – Ficheiro DOS que contem vários comandos executados quando o nome do ficheiro batch é escrito a seguir ao prompt do DOS. Todos os ficheiros batch têm a extensão .BAT. São utilizados quando se necessita de escrever uma série de comandos do DOS repetidas vezes.

 

Ficheiro executável – Ficheiros que podem ser executados, em oposição aos ficheiros que dados que são uma simples colecção de dados utilizados pelos ficheiros executáveis. Os ficheiros executáveis podem ser identificados pelas extensões .EXE ou .COM. Também podem designar-se por ficheiros de programa.

 

Formatar – Processo de preparação de uma disquete para que o sistema operativo possa localizar os sectores em cada pista do disco. A formatação também estabelece a tabela de alocação de ficheiros (FAT- file allocation table). As disquetes não podem ser usadas se não estiverem formatadas. Os discos rígidos têm de ser inicializados, ao passar por uma formatação de baixo nível antes de serem formatados. A formatação de baixo nível define os sectores num disco rígido e identifica as áreas em mau estado para que o sistema operativo as evite. Este processo de formatação de baixo nível também é conhecido “inicialização”, formatação física ou formatação absoluta.

 

FreewareSoftware de utilização livre e gratuita.

 

FTP (File Transfer Protocol) – Protocolo de transferência de ficheiros. Método normalizado de enviar e receber ficheiros de computadores na Internet.

 

Gestão de memória – Processo de monitorização dos vários métodos utilizados para armazenar informação na memória de um computador. Os programas de gestão de memória reclamam espaços de memória quando já não estão a ser utilizados pelas aplicações a que foram atribuídos.

 

GUI (Graphical User Interface) – Interface gráfica do utilizador é qualquer computador que comunique com o seu utilizador usando imagens além de texto. O computador mais antigo a incorporar estas interfaces foi o Macintosh da Apple, que surgiu em 1984.

 

Hack – Um programa concebido para resolver ou contornar um problema específico.

 

Hacker – Utilizador que tenta aceder clandestinamente a computadores e redes, mas que, ao contrário dos crackers, não tem a intenção de causar danos em sistemas alheios.

 

Lag – Diferença em tempo entre o momento em que um utilizador executa uma tarefa e o resultado dessa mesma tarefa.

 

Layering – Em gráficos de computador, o layering dos gráficos implica trabalhar ao mesmo tempo numa ou varias camadas (layers) de um documento e combiná-las depois para se criar um produto final.

 

Leitura – O termo refere-se à leitura de dados de uma unidade de disco, embora a fonte também possa ser o teclado. É o contrário de escrita, que consiste em transferir informação para armazenamento ou para a impressora ou para o ecrã.

 

Login – Identificação de um utilizador que dá acesso a um computador remoto. Também designado por logon.

 

Loop – Processo pelo qual um programa repete as mesmas instruções várias vezes até receber ordem para parar.

 

Mainframe – Computador de grande porte; macro computador. Um computador central de grande porte com uma quantidade de memória, espaço em disco e microprocessadores rápidos responsáveis por todo o processamento e armazenamentos de um grupo de terminais estúpidos.

 

Macro – Uma lista armazenada de dois ou mais comando de aplicações que, quando accionada por um programa, reproduz os comandos que foram programados.

 

Máquina virtualSoftware que imita um dispositivo físico, como o programa Softwindows que permite aos utilizadores dos computadores Macintosh correrem programas Windows.

 

Matriz – Disposição bidimensional de linhas e colunas usada na organização e comparação de dados. Por exemplo, uma folha de cálculo usa uma matriz.

 

Memória – Local onde os dados e os programas são armazenados num computador. A memória existe em duas formas básicas: a memória principal, que está colocada dentro da máquina e contem dados em chips de memória semi-condutores, e a memória secundária, que inclui discos, fitas e outros meios mais permanentes. Há muitos tipos de memórias de semi-condutores, como: memória de leitura-gravação, chamada abreviadamente RAM (Random Access Memory), em que, em qualquer posição, se pode ler, apagar e gravar quantas vezes se desejar; memória fixa, abreviadamente chamada ROM (Read Only Memory), cujos dados são gravados de forma fixa pelo fabricante a pedido do cliente (com este modelo, armazenam-se informações sempre necessárias, como os programas de uma calculadora de bolso); memória fixa programável, a PROM (Programmable ROM), uma memória ROM que pode ser gravada uma só vez com um dispositivo de programação especial, de forma que o utilizador pode armazenar permanentemente os dados de que necessita para o seu trabalho, sem ter de dar a outros a sua informação; PROM apagáveis, abreviadamente EPROM ou REPROM (Erasable PROM, PROM apagavél ou Reprogrammable ROM, ROM reprogramável), que se apagam com a ajuda de luz ultravioleta ou sinais eléctricos e podem ser gravadas várias vezes com um dispositivo especial. As memórias dos semicondutores construídas como RAM, ROM, PROM ou EPROM têm acesso directo.

 

Megahertz (MHz) – Unidade usada para medir velocidade do CPU, um megahertz é equivalente a 1 milhão de ciclos por segundo.

 

Memória Virtual – Uma técnica para permitir a um computador trabalhar como se tivesse mais DRAM do que aquela que de facto instalada na máquina. Parte da memória passa para o disco rígido. Frequentemente, a memória virtual é gerida organizando a memória em porção da dimensão padronizada, chamadas páginas. A troca de páginas de dentro para fora da memória é designada por paging.

 

Merge – Juntar dois conjuntos de informação, mantendo-se intacta a integridade de cada um deles.

 

Microsoft – Fundada em 1976 por Bill Gates, tornou-se a empresa mais poderosa do mundo informático. Deve a sua força ao seu domínio no campo dos sistemas operativos para computadores pessoais.

 

Minicomputador – Computador de médio porte entre os microcomputadores e os computadores de grande porte em termos de potência, dimensões e preço.

 

Multimédia – Combinação de meios diferentes; som, vídeo, animação e gráficos. O envio de multimeios exige um canal de banda larga, quer seja rede quer seja CD-ROM.

 

Multiprocessador - Computadores que partilham trabalho entre mais de um microprocessador. Um servidor ficheiro moderno pode usar até meia dúzia de microprocessadores.

 

Multitarefa – Processo de um computador executar diversos programas em simultâneo.

 

Net – Diminutivo para Internet, conjunto de redes ligadas de forma pouco rígida que usam o protocolo Transmission Control Protocol/Internet Protocol (TCP/IP).

 

Nome de ficheiro – O nome dado a um ficheiro de texto, gráficos ou folhas de cálculo, e que o programa usa para abrir e fechar esse documento. O formato do nome varia conforme o sistema operativo.

 

OSF (Open Software Foundation) – Grupo fundado com objectivo de criar um novo sistema operativo (SO) baseado em UNIX. O grupo foi fundado em 1988 pela Apollo, Bull, Digital Equipment, Hewlett-Peckard, IBM, Nixdorf e Siemens.

 

Pascal – A linguagem Pascal surgiu com a intenção de criar uma linguagem simples que permitisse a aprendizagem de bons hábitos de programação: para atingir esse objectivo, o cientista suíço Niklaus Wirth criou uma versão muito simplificada do Algol (em cuja escrita esteve envolvido). A primeira versão surgiu em 1968 e o primeiro compilador operativo da linguagem foi publicado em 1971. Pascal é uma linguagem muito bem estruturada e por esse motivo, uma ferramenta muito popular no ensino de novos programadores.

 

Patch – Correcção feita a um programa que é distribuída como um excerto de código, juntamente com instrução sobre como e onde o novo código deve ser inserido no programa.

 

Pentium – sucessor dos microprocessadores Intel 80486, lançado pela Intel em 1993. O Pentium é mais rápido e mais potente que os processadores Intel, com cerca de 3,1 milhões de transmissões. Possui a capacidade de endereçamento de 32bits, barramento de dados de 64bits e pode operar a velocidades entre 60MHz e os 200MHz. Intel possui ainda outra linha de processadores chamada Intel Pro.

 

Plug-in - Peça de software que se liga a um programa de maior dimensão para aumentar as suas capacidades. A utilização mais comum de plug-in acontece nos Web browsers.

 

Postscript – Linguagem de programação criada por John Warnock, fundador da Adobe Systems. É usada para descrever a uma impressora o aspecto que uma página deve ter. Devido à sua flexibilidade, quer um texto, quer em gráfico, o Postscript tornou-se o padrão em paginação electrónica.

 

Programa antivírusSoftware que verifica a existência de vírus no computador, analisando os ficheiros por comparação com uma base de dados de vírus. Os vírus que não estão incluídos na base de dados do programa não são detectados, por isso é importante actualizar periodicamente o programa antivírus com informação adquirida sobre novos vírus. Sempre que se introduz novo software no computador, deve usar-se um programa antivírus. 

 

Programação – Conceber e escrever um programa de computador. Durante este processo, um computador decide qual o problema a resolver, e escreve o código que instituirá o computador quanto à forma como aquela lógica deverá ser aplicada. Ao escrever esses códigos, o programador deve usar uma linguagem de programação que o computador possa converter numa linguagem máquina que ele é capaz de interpretar e executar.

 

Proxy – Aplicações que servem de ligação entre computadores remotos, possibilitando o aumento da velocidade de transferência de acesso.

 

Restaurar – Repor a configuração original de uma janela num interface gráfico. Restaurar (Restore) pode também significar a recuperação, a partir de cópias de segurança, de dados ou ficheiros apagados devido a erro do operador ou do sistema.

 

Router – Computador que encaminha os dados nas redes.

 

Sistema aberto – Em comunicação, em rede concebida para incorporar dispositivos de qualquer fabricante, bem como o dispositivo que pode usar os mesmos protocolos de comunicação e capacidades. Alternadamente, quando aplicado a hardware e software específico, sistema aberto é sistema que aceita elementos adicionais de fornecedores.

 

Sistema Multi-utilizador – Tradicionalmente, é um sistema de computador central que permite o acesso a mais do que um utilizador ao mesmo tempo, tal como um mainframe ou computador de grande porte. Termo usado também para descrever software a que várias pessoas podem aceder ao mesmo tempo.

 

Sistema operativo (SO) – Software que controla um computador e os seus periféricos. Sistema operativos anteriores, tal como o DOS e o Unix, deixaram muito do seu funcionamento nas mãos do utilizador, mas mais recentes, tal como OS X e o Windows XP, encarregam-se de muitas das funções básicas do computador.

 

Spam – Série de mensagens não solicitadas, enviadas por e-mail na Internet ou mensagens enviadas para uma grande quantidade de newsgroups.

 

Supercomputador – Grande computador capaz de processar enormes quantidades de dados a velocidade elevadas. Os supercomputadores são usados em tarefas complexas tais como pesquisa nuclear.

 

Teclado QWERTY – Inventado por Christopher Sholes (que inventou a máquina de escrever em 1868), este teclado deve o nome à disposição das primeiras seis letras. A norma QWERTY é, de longe, o teclado mais comum, embora a concepção do teclado Dvorak seja mais eficiente.

 

Terminal estúpido – Estação de trabalho que consiste num teclado e num monitor e não efectua qualquer processamento e é apenas usado para inserir dados para uma mainframe.

 

Terminal inteligente – Terminal equipado com o seu próprio processador, memória e software de forma a funcionar como uma máquina totalmente independente.

 

Terminal remoto – Terminal ligado a um computador central, mas num local diferente destes. Os terminais remotos comunicam com os computadores centrais através de diversos tipos de linhas de comunicação.

 

Unidade – Tipo de fita que passa pela cabeça de leitura/escrita de uma unidade de fita a uma velocidade comparável à capacidade de um CPU para escrever informação nela.

 

Unix – Poderoso sistema operativo desenvolvido pelos laboratórios Bell, da AT&T, no início da década de 70 e utilizado principalmente pelas Universidades e empresas de média dimensão. Escrito na linguagem de programação C (que é popular nos PC porque usa menos memória de utilização do que outras linguagens), este sistema operativo multi-utilizador e multitarefa, foi concebido tanto para computadores de grande porte como para minicomputadores. Pode ser utilizado em muitas plataformas e pode fazer funcionar uma maior variedade de hardware do que outros sistemas operativos. Este sistema operativo é mais popular nos computadores do género estações de trabalho do que para PC individuais.

 

URL (Universal Resource Locator) – Localizador de recurso universal. Sistema normalizado de atribuição de nome, ou de endereçamento, para documentos e média acessíveis através da Internet. Os sites FTP (File Transfer Protocol), grupos de discussão, páginas Gopher e outros sites podem receber nomes como URL.

 

UtilitárioSoftware concebido para desempenhar certas funções de gestão do sistema como a administração dos recursos do sistema (por exemplo, drives de disco e impressoras), e capacidade dos ficheiros (por exemplo, ordenar e copiar). Os utilitários podem ser também utilizados para diagnosticar problemas num PC. Os utilitários são normalmente instalados como programas residentes em memória e ali armazenados permanentemente.

 

Versão Alfa – No desenvolvimento de hardware e software, é o produto usado no primeiro estágio de teste do produto final. A versão alfa de um produto, na maioria das vezes, sofre alterações radicais antes do lançamento final.

 

Versão Beta – No desenvolvimento de hardware e software, é o lançamento de um produto destinado a um grupo de testes. O software beta encontra-se normalmente disponível na Internet, onde os utilizadores o podem obter sem custos. Os produtores do software pretendem que os utilizadores reportem todos os problemas para serem corrigidos antes do lançamento da versão final. O software beta possui a maioria das características da versão final, contrariamente à versão alfa, mas possui alguns bugs conhecidos que o tornam impróprio para utilização profissional.

 

Virtual – Usado geralmente para descrever qualquer coisa sem uma presença física, ou que não é o que parece. A realidade virtual, por exemplo, é constituída por imagens geradas e sons em vez de objectos reais. A memória virtual é um disco rígido que actua como se fosse uma memória – não sai chips físicos que se usam na verdadeira memória.

 

Windows – Ambiente operativo criado para a Microsof. A designação de Windows é muitas vezes usada como abreviatura para uma versão genérica. Depois de ser tornar uma SO independente, o Windows controla as principais funções do computador, para além de proporcionar uma interface consistente a qual permite aos utilizadores configurem o hardware para todos os programas no computador o que exige que as aplicações tenham a sua própria configuração. Sendo uma interface gráfica de utilizador (GUI), o Windows elimina a necessidade de digitar comandos a seguir a um prompt (como é o caso do MS-DOS).

 

Worm – Programa destrutivo que contem código e que se propaga até encher totalmente a drive ou network alvo, assim provocando o seu mau funcionamento. Os worms são enviados como brincadeira de mau gosto ou por razões de pura maldade. Ao contrário de um vírus, que se coloca secretamente dentro de outro programa, os worms tomam conta da sua própria reprodução, transferindo-se automaticamente para máquinas distantes.