Sobre Mim

Blog Filosofando na Penumbra
Meu nome é Gilberto Miranda Júnior, sou economista e estudante de filosofia. Conheci a Filosofia com 16 anos e nunca mais parei de ler até que resolvi graduar-me. Vivi a efervecência dos anos 80 em Guarulhos, estudei no Colégio Claretiano e no Colégio Comercial Presidente Kennedy onde fiz o Técnico em Administração de Empresas. Fui Clarinetista no Conservatório de Música Marcelo Tupinambá em SP e sempre tive meu pensamento ligado á esquerda libertária.
 
Antes de ir para a faculdade, passei no concurso para a ESA (Escola de Sargento das Armas em Três Corações - MG) e desisti antes de me formar. Cursei Ciências Econômicas na Universidade de Guarulhos, Administração de Empresas com ênfase em Análise de Sistemas na Faculdade Maria Augusta. Nunca desisti da música e da arte e continuo arranhando um violão. Casei-me em 1990 e tenho um filho de 4 anos maravilhoso. Segui carreira e trabalho com Custos, Gestão, Controladoria e Administração e Controle e tenho tido relativo sucesso em meu campo de ação, sempre me atualizando e trazendo, na medida do possível, uma reflexão filosófica à área empresarial.
 
A intenção desse Blog é servir como parteiro de idéias, um berçário cognitivo de conceitos e investigações das coisas que me cercam. Esse Blog existe desde 2007 e na medida do possível, a partir da repercussão do que é dito, será a base de trabalhos mais profundos em nível acadêmico. Espero contar com a ajuda dos amigos no burilar desse vasto parto contínuo...

Para qualquer blogueiro ou alguém que se dedique a escrever, receber comentários e pareceres sobre seus escritos é de fundamental importânca. Isso nos ajuda muito a nos aperfeiçoar e sabermos o alcance daquilo que repercutimos. Por favor, comente, exponha sua opinião. Agradeço.

Por que Filosofando na Penumbra?

Porque a busca pelo esclarecimento é sempre perspectiva e nunca absoluta. A Verdade e a Realidade são interpretações dentro de um contexto coletivo, pleno de alteridade, que se forma a partir da imanência das coisas percebidas. Aquele fundo, o SER, do qual em nossa carnalidade co-participamos e co-pertencemos com as coisas, só é tocado metaforicamente, intuitivamente. Quanto mais luzes tentamos lançar em nossas percepções mais sombras fazemos, mais contrastes que nos afastam do conhecimento se formam. Filosofar na Penumbra é ter a consciência de que, se optamos sair das trevas da ignorância, uma suposta luz total também nos cegaria. Tatear a penumbra com rigor, entrega, compromisso é o ato filosófico per excellence.

A Filosofia enquanto atividade que constrói conceitos, só pode construí-los a partir da diferença e da singularidade. Não é uma atividade de "revelação" de conceitos prontos em algum lugar acima da percepção, em um hiperurânio qualquer. O hiperurânio é a somatória dos discursos, o Logos, pelo qual o Filósofo perscruta hermeneuticamente.
 
 
Gilberto Miranda Júnior
 
 
Comments