NOTÍCIAS

Confira abaixo as noticias sobre Escotismo e sobre o Grupo Escoteiro Olavo Bilac 1MS.

MENINO DE 13 ANOS SALVA VIDA DO PAI APÓS ACIDENTE EM ACAMPAMENTO

postado em 14 de set de 2015 17:57 por Engles Finotti

Um menino de 13 anos ajudou seu pai a sobreviver após um grave acidente durante um acampamento, em Ship Island Lake, em Idaho. Com graves ferimentos, David Finlayson garante que só não morreu graças aos cuidados de Charlie, que durante dois dias e meio cuidou dele, até que ambos fossem resgatados.


O acidente aconteceu no último dia 17, no meio de uma viagem programada para durar dez dias, quando uma pedra “do tamanho de uma geladeira” derrubou Finlayson, de 52 anos, e fez com que ele rolasse uma altura de quase dez metros. A queda o deixou inconsciente e com fraturas nas costas, no braço e no calcanhar esquerdos, além de uma fratura exposta na perna esquerda.


O posto da guarda florestal mais próximo ficava a cerca de 10 quilômetros do local, e ninguém sabia o ponto exato onde eles estariam acampando. A calma do menino, que imediatamente voltou à barraca para buscar o kit de primeiros socorros, foi essencial para manter o pai vivo, segundo o próprio Finlayson.


Durante mais de dois dias, enquanto aguardava que alguém os encontrasse, Charlie usou seus conhecimentos de escoteiro, garantindo que o pai ficasse hidratado e o ajudando a se alimentar com a comida que haviam levado para o acampamento. Ele também fez alguns curativos e acalmou o homem, tentando fazer com que ele não se concentrasse nas dores que sentia.


Ao final desse período, temendo que não houvesse um resgate, o pai pediu que o filho o deixasse e fosse buscar ajuda, levando um bilhete com sua localização. Em uma entrevista à rede ABC, Charlie disse que essa foi a parte mais difícil de toda a situação. “Fiquei com medo de não encontrar ninguém. Rezei muito”, contou.


Depois de caminhar por quase cinco quilômetros, o garoto encontrou um homem, que acionou uma equipe de resgate. Finlayson foi retirado do local por um helicóptero e levado a um hospital, onde se recupera dos ferimentos.



Fonte: www.g1.globo.com/

GRUPO ESCOTEIRO GUARAVITA (145/SP) RECEBE MOÇÃO DE APLAUSOS E RECONHECIMENTOS

postado em 14 de set de 2015 17:55 por Engles Finotti

No último dia 21, o vereador paulista Jair Pires (PSDB-SP) entregou a Moção de Aplausos e Reconhecimentos ao Grupo Escoteiro Guaravita (145°/SP), aos escotistas Moisés Figueiredo Da Silva, Daniella Aparecida Matos Chaves, Mônico Santos Silva, Kaique Galony Duarte, Paulo Cilas Lomeu Dos Santos, Felipe Eduardo Portela De Paulo e Paula Rosa Do Prado; a Antonio Livio Abraços Jorge, diretor presidente da Região Escoteira de São Paulo; e aos diretores dos Cursos de Formação: Vlamir Pereira, Paulo Hiroshi Kishi, Carlos Eugênio Bakos, Amandio Mendonça Mendes e Marco Rogério Da Silva Richetto pelos relevantes serviços prestados em prol da juventude no município de São Sebastião.


Na ocasião, o vereador ainda realizou sua Promessa Escoteira, destacando a alegria de juntar-se a grande fraternidade mundial que é o Movimento Escoteiro, e demonstrando grande entusiasmo em incentivar o crescimento do Escotismo na região por acreditar fortemente em seu poder de transformação.


Além disso, a solenidade foi também uma oportunidade de consagrar a data que celebra o Dia do Escoteiro do Mar na cidade. Projeto de lei de autoria do vereador Jair Pires, e instituído pelo prefeito Ernane Primazzi (PSC-SP), o dia 11 de junho agora consta no Calendário Oficial de Eventos do Município.

A UNIÃO DE FORÇAS QUE FOI CAPAZ DE DESPOLUIR UM RIO DE CURITIBA

postado em 14 de set de 2015 17:53 por Engles Finotti

rupo de escoteiros conseguiu, com a ajuda de órgãos públicos e da comunidade local, reduzir em 90% os coliformes do Rio Tarumã

O Rio Tarumã, no encontro do Jardim Social com o Bacacheri, não é o mais o mesmo. Mas ao contrário da maioria dos outros córregos e cursos d’água de Curitiba, o Tarumã está mudado para melhor. Nos últimos nove anos, a quantidade de tipos de coliformes – grupos de bactérias que indicam presença de esgoto – caiu em até 90%. A despoluição é resultado do trabalho do Grupo Escoteiro São Luiz de Gonzaga, que decidiu “adotar” o rio que passa perto da sede, no Bosque de Portugal.



A luta para manter vivo o rio começou quando o grupo buscou evitar a canalização total. O rio tem três quilômetros, sendo dois quilômetros aparentes. Depois da primeira vitória, os escoteiros resolveram que precisavam cuidar do Tarumã. Foi aí que surgiu em 2006 o projeto Ekopuku, que significa vida longa em Guarani.


A primeira etapa foi iniciar um programa de monitoramento da qualidade do rio, que indicaram péssimas condições da água. Enrico Miguel Nichetti, presidente do grupo, conta que foram instalados painéis no bosque para informar aos moradores e visitantes sobre os resultados das amostras. De lá para cá, três ou quatro análises foram feitas por ano.


Em paralelo, começou o trabalho de conscientização com a comunidade local. Com a ajuda da associação de moradores do Jardim Social e com o apoio da Sanepar, foram realizados testes para verificar se estava adequada a ligação de esgoto das casas. Quem era “aprovado” ganhava um adesivo para ostentar na fachada. O grupo também fez atividades de limpeza no rio e distribuiu informações alertando sobre a necessidade de manter o Tarumã longe de todo tipo de dejeto.


Em uma parceria com a Itaipu, foram criados módulos de educação para a sustentabilidade. Só em 2015, 120 alunos receberam informações repassadas pelos escoteiros. “São adolescentes ensinando crianças”, comenta Nichetti. Ao todo, nos nove anos de projeto, cerca de mil jovens participaram do Ekopuku. O presidente do grupo acredita que o modelo pode ser reproduzido em outras regiões da cidade, ajudando a diminuir a poluição dos rios.


Fonte: Gazeta do Povo

ESCOTEIROS DO BRASIL REALIZAM 1˚ CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO ESCOTEIRA

postado em 14 de set de 2015 17:50 por Engles Finotti

Entre os dias 5 e 7 de setembro de 2015, os Escoteiros do Brasil realizaram, em São Paulo, o 1˚ Congresso Brasileiro de Educação Escoteira: um evento científico que buscou debater e refletir sobre a proposta educativa do Escotismo como instrumento para o autodesenvolvimento de crianças, adolescentes e jovens. O tema deste evento foi “Escotismo – Educação para a vida”.


O presidente do Comitê Mundial do Movimento Escoteiro, João Armando Gonçalves, participou do evento, palestrando sobre o ambiente de aprendizagem do universo escoteiro  e acompanhando as demais discussões. Além dele, estudiosos, estudantes, interessados no aspecto educacional do Movimento Escoteiro participaram do Congresso que contou com a presença de Eduard Vallory, doutor em Ciências Políticas com estudos sobre o Escotismo como ferramenta educacional e presidente do Centro Unesco da Catalunha, Hector Carrer, especialista em Educação Sociocomunitária e assessor educativo do projeto Experiência Escoteira, da Associação Escoteira do Equador em parceria com o Ministério de Educação do país, e Fabiana Pioker, professora doutora da Universidade de São Paulo - grandes nomes do Escotismo mundial e do cenário educacional que apresentaram suas pesquisas.


A União dos Escoteiros do Brasil foi a primeira associação escoteira do mundo a realizar um Congresso de Educação. Cerca de 200 pessoas participaram do evento, que abordou temas como o papel do Escotismo e sua função na educação formal, a interdisciplinaridade na escola, a educação não formal, entre outros. Foram realizados seminários, expostos trabalhos e compartilhadas experiências e estudos.


O Boletim de Resumos dos trabalhos apresentados no 1˚ Congresso Brasileiro de Educação Escoteira pode ser conferido no site www.escoteiros.org.br/congressodeeducacao

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA

postado em 12 de set de 2015 16:24 por Engles Finotti

A Diretoria do GRUPO ESCOTEIRO OLAVO  BILAC 1MS SESI, inscrito no CNPJ sob o número 
13.050.733/0001-82,  no  uso  das  atribuições  que  lhe  confere  o  Estatuto  da  União  dos  Escoteiros  do 
Brasil  (UEB)  e  o  Regulamento  do  Grupo  Escoteiro  Olavo  Bilac  1MS  SESI,  vem  pelo  presente 
CONVOCAR  os membros da Assembleia de Grupo para Reunião ORDINÁRIA a realizar-se na sede 
do Grupo, endereço rua Alberto Lamego, nº 130, bairro José Abrão, Campo Grande-MS, no dia 26  de 
setembro  de  2015  às  16:00h  com  qualquer  número  de  presentes,  para  tratar  da  seguinte  ORDEMDO-DIA: 
1) Eleição, dentre seus membros, e posse do Presidente e Secretário para composição da mesa diretora 
dos trabalhos; 
2) Deliberar sobre as contas e o balanço anual do Grupo, 2014-2015, mediant e parecer da Comissão 
Fiscal do Grupo; 
3)  Eleger  por  votação  unitária,  o(s)  representante(s)  do  Grupo  junto  à  Assembléia  Regional  gestão 
2015-2016; 
4) Assuntos gerais; 
A  Assembléia  do  Grupo  Escoteiro  é  composta:  a)  de  três  membros  eleitos  da  Diretoria  de  Grupo, 
sendo eles o Diretor Presidente, o Diretor Técnico e o Diretor Financeiro;  b)  dos Escotistas;  c)  dos 
Pioneiros;  d)  dos associados contribuintes da UEB vinculados ao Grupo e em pleno exercício de sua 
condição como tal; e;  e) de 1 (um) delegado por Patrulha existente nos ramos escoteiro e sênior, eleito 
dentre os membros juvenis de cada uma das Tropas. Os membros da  Assembléia  de Grupo, conforme 
prevê  o  artigo  33  do  Estatuto  da  UEB,  deverão  estar  devidamente  registrados  na  Instituição  para 
gozarem  do  direito  a  voto,  no  caso  específico  dos  pais  dos  jovens,  o  jovem  é  que  deverá  estar 
devidamente regularizado perante a UEB, conforme especifica a condição de sócio “contribuinte” no 
artigo 42, parágrafos 4º e 9º. 
Campo Grande-MS, 11 de setembro de 2015.
Rosemeire Valdez Cheverria
Diretora Presidente

Escoteiros do Brasil participam de quadro solidário do Caldeirão do Huck

postado em 5 de dez de 2014 04:25 por Engles Finotti


O programa vai ao ar no dia 20 de dezembro de 2014, na Rede Globo.

Em sincronia com nosso ideal de sempre fazer o bem e ajudar o próximo, como sugere nossa Promessa Escoteira, fomos convidados a participar do quadro “Um por todos e todos por um”, do Caldeirão do Huck, que tinha como objetivo reformar a sede de onde funciona o projeto “Um chute para o futuro”, em Foz do Iguaçu.


Durante as gravações, no último domingo, pudemos contribuir com a arrecadação e doação de livros para a biblioteca do projeto, que realiza atividades de lazer e ensino para manter crianças e adolescentes longe das drogas, na região norte de Foz.


Para auxiliar nessa empreitada, de oferecer o melhor possível para um projeto que, assim como o Escotismo, quer desenvolver a potencialidade máxima de crianças, adolescentes e jovens, convidamos também escoteiros da Argentina e Paraguai.


Aproximadamente 80 escoteiros dos três países, entre jovens, escotistas e dirigentes, participaram do mutirão de coleta de livros. Os Grupos Escoteiros Guairacá (33°/PR), Cataratas (79°/PR), Scout San Jose, do Paraguai, e Scout Yguazu, da Argentina, foram auxiliados pelo escotista Pedro Pavão, coordenador do Distrito Três Fronteiras.


Dois dias depois, durante a entrega do quadro ao idealizador do projeto “Um chute para o futuro”, Pedro teve a oportunidade de presentear o apresentador Luciano Huck com um lenço dos Escoteiros do Brasil e o livro “As características essenciais do Movimento Escoteiro”.


Agradecemos a todos os brasileiros envolvidos na atividade, em especial ao Pedro, por coordenar a ação, e aos comissários da Argentina e Paraguai por aceitar nosso convite e compartilhar conosco mais esse momento.


O programa vai ao ar no dia 20 de dezembro, na Rede Globo.


Missão espacial europeia teve escoteiro do Brasil envolvido

postado em 24 de nov de 2014 04:58 por Engles Finotti

Você já deve ter ouvido falar na missão Rosetta, que enviou uma sonda ao espaço, ou no pouso do robô Philae em um cometa, certo? Desde o lançamento da sonda, já são dez anos de pesquisas, estudos e muita gente envolvida para tentar descobrir a origem da vida humana na Terra.


Um desses envolvidos é o brasileiro Lucas Fonseca, que acompanhou de perto toda essa história: por três anos, ele foi engenheiro de dinâmica de voo do Philae, o robozinho que está preso ao cometa. Junto a uma equipe, ele fazia simulações de diversas situações que o módulo poderia enfrentar durante o pouso, para que tudo acontecesse da melhor maneira mesmo nos piores cenários possíveis.



Quer saber o que é ainda mais legal do que ter um brasileiro em um projeto que vai ficar para a história? É ter um brasileiro que foi escoteiro em um projeto que vai ficar para a história.


Lucas foi escoteiro por 13 anos - entrou ainda Lobinho, no Grupo Escoteiro Morvan Dias Figueiredo (55°/SP), e ficou até pouco depois de sua passagem para o Ramo Pioneiro. Na época, ele se mudou para o interior de São Paulo para cursar engenharia, o que fez com que ele deixasse de frequentar o Movimento Escoteiro.


Mesmo assim, Lucas garante que esse tempo foi suficiente para que as influências ficassem em sua vida: “O Escotismo desenvolve diversas virtudes e habilidades, desde conceitos de cidadania até aptidão para lidar com o inesperado. Desde cedo me acostumei com a sensação de aventura proporcionada por diversas atividades dentro do Movimento Escoteiro. Essa vontade de me aventurar, com a disciplina necessária para o êxito, me levou onde cheguei”.


“Ainda hoje sou grande entusiasta com aventuras em meio à natureza, principalmente nas montanhas, e que envolvam o mínimo de conforto possível. No fim das contas, acredito que há uma similaridade muito grande com a exploração espacial”.


Lucas se formou em engenharia pela USP e, algum tempo depois, foi para a França fazer mestrado em Engenharia Espacial. Para desenvolver o trabalho de conclusão – e pela falta de profissionais com esse tipo de formação -, ele entrou no projeto Rosetta, na Agência Espacial Alemã (DLR).


Há algumas semanas, quando o módulo Philae pousou no cometa, o brasileiro já não trabalhava mais na Agência Espacial, e acompanhou tudo como um espectador remoto. Nem todas as experiências e habilidades desenvolvidas ajudaram a acalmar o nervosismo de Lucas, que veria o resultado de um trabalho de três anos em poucas horas. “Foi um bom teste cardíaco. O interessante é consolidar três anos de trabalho num resultado de poucas horas, realmente muito emocionante”.


Exemplo de que perseguir os sonhos com determinação, ter coragem e disciplina podem levar os jovens a qualquer lugar, Lucas é motivo de orgulho para os Escoteiros do Brasil, que compartilham o sucesso de um escoteiro mundo afora.


“O mesmo orgulho que tenho de ter feito parte de uma missão tão relevante, compartilho com a oportunidade de ter crescido como um escoteiro. Sempre Alerta!”


O mundo do Escotismo para “não-escoteiros”

postado em 24 de nov de 2014 04:57 por Engles Finotti

O Movimento Escoteiro é centenário e existe em quase todos os países do mundo, mas muitas pessoas que não têm contato com o Escotismo se surpreendem com o quanto o Movimento está - e sempre esteve - ao seu redor sem que elas se dessem conta.



Conhecer as atividades e os benefícios que o Movimento Escoteiro proporciona aos jovens é outro motivo de surpresa para os “não-escoteiros”: não se trata apenas de acampamentos e diversão - a proposta educativa motiva e instiga os jovens a se autodesenvolverem, sempre pensando no mundo a sua volta.


O Jornal da Band apostou nesse tema e produziu uma reportagem muito bacana que apresenta o Movimento Escoteiro na atualidade, na preferência dos jovens mesmo com tanta tecnologia disponível.


A matéria ainda não foi ao ar, mas a repórter Marina Machado publicou em seu canal do Youtube uma edição de “O que eu aprendi” sobre o Escotismo. Ela reúne uma série de vídeos sobre coisas que conheceu ou aprendeu durante suas reportagens para a Band e, dessa vez, rolou um especial sobre a gravação com os escoteiros.


http://www.escoteiros.org.br/noticias/noticia_detalhe.php?id=806


Escoteiros ajudam na doação de água potável, no interior de São Paulo

postado em 24 de nov de 2014 04:56 por Engles Finotti

Em Itu, interior de São Paulo, a falta de água tem sensibilizado moradores de cidades vizinhas. Para ajudar as famílias em situação mais precária, grupos escoteiros se envolveram na campanha de arrecadação e doação de água potável. Confira essa iniciativa:


Fonte: http://noticias.band.uol.com.br/

Benefícios do Escotismo ganham destaque na mídia paranaense

postado em 24 de nov de 2014 04:55 por Engles Finotti

A Gazeta do Povo, o maior jornal do Paraná, publicou uma matéria sobre os benefícios que o Escotismo traz para a vida das crianças, jovens e adolescentes. Confira:


É tarde de sábado. No Bosque do Papa João Paulo II, o menino Leandro Lopes dos Santos, de 9 anos, corre e ri com outras crianças de sua idade. De boné azul na cabeça e lenço no pescoço, ele aproveita para brincar nos minutos que antecedem o início da atividade do Grupo Escoteiro Marechal Rondon.



Leandro se tornou lobinho, como são chamados os membros do escotismo de sete a 10 anos, durante uma fase difícil de sua vida. Há um ano, ele se tornou órfão de pai. O menino, que sempre foi agitado, reagiu à perda precoce com indisciplina – tanto em casa quanto na escola. “As notas caíram, ele estava muito rebelde e dengoso”, conta sua mãe, a dona de casa Maria Cristina Padilha Lopes, de 35 anos.


Em meio a esses problemas, resolveram conhecer o movimento escoteiro por sugestão de uma amiga de infância de Maria Cristina, a administradora Suzana D’Ávila, que é chefe dos lobinhos do grupo Marechal Rondon. Leandro começou a participar das atividades, gostou e decidiu entrar no grupo.


Hoje, quase um ano depois, a mãe avalia que os jogos, canções e passeios contribuíram para o desenvolvimento do filho. Além do progresso no boletim, Leandro está mais maduro e consciente. “Ele procura fazer boas ações e se vira sozinho, mostra iniciativa e independência”, compara Maria Cristina.


Cidadania e Autonomia


“Temos vários casos de melhoria no meio familiar e escolar”, conta a presidente do grupo Marechal Rondon, a advogada Valéria Reginatto. Segundo ela, o escotismo é um movimento educacional não-formal que desenvolve em seus membros o conceito de cidadania. “Incentivamos eles a ver que a vida vai além do umbigo deles”, explica.


Com atividades que estimulam o respeito ao próximo, ao meio ambiente e à comunidade, crianças e jovens são instigados a deixar o mundo melhor do que o encontraram. “Em contato com um conjunto de valores que envolve lealdade, cortesia e educação, eles vão naturalmente desenvolvendo senso político, de justiça e de respeito às regras da vida em sociedade”, diz a presidente.


A orientadora disciplinar e coordenadora pedagógica Dora Lúcia Cotrin Alcântara afirma que o escotismo traz inegáveis benefícios à educação dos participantes. “O aspecto cognitivo é estimulado com tarefas de concentração e desafios, como aprender a fazer nós. E há um crescimento global, com o desenvolvimento da autonomia e da integração social”, observa a pedagoga, que tem uma filha escoteira.


Durante as atividades, os membros são colocados em situações em que lideram e são liderados. Isso os prepara para a vida, inclusive para o mercado de trabalho, ressalta Dora: “O contato pessoal com o próximo, que tem se perdido com tanta tecnologia, é resgatado. A vivência em grupo, o trabalho em equipe, a troca, a conversa, tudo isso é muito valorizado”.


De acordo com a pedagoga, é notável o progresso que o escotismo gera em crianças tímidas, medrosas, inseguras ou com déficit de atenção. “As práticas escoteiras mexem nos mecanismos emocional e mental, a criança vê que pode enfrentar desafios e fica mais autoconfiante. Sou apaixonada pela educação e me tornei apaixonada pelo movimento escoteiro”, declara.


Serviço


Podem praticar o escotismo crianças e jovens de 7 a 21 anos. Em Curitiba, há 35 grupos escoteiros. Para saber qual se reúne mais próximo à sua casa, consulte o site www.escoteiros.org. As mensalidades variam de R$ 10 a R$ 75, dependendo do grupo e de descontos e isenções para participantes carentes.


Adaptação


Criado no início do século 20, o método escoteiro é constantemente atualizado


O método escoteiro é direcionado por um programa educativo, semelhante ao currículo de um colégio, explica a presidente do grupo Marechal Rondon, Valéria Reginatto. Como o escotismo nasceu no início do século 20, o programa passa por constante atualização. “Fazemos renovações periódicas com o apoio de educadores e psicólogos. Há um acompanhamento permanente para que as práticas estejam adequadas ao momento em que se está vivendo”, salienta.


Nas conversas e atividades, por exemplo, foram incluídos os temas bullying e exposição na internet, tópicos de que não se cogitava falar há alguns anos. As redes sociais e as novas tecnologias também foram incluídas no cotidiano escoteiro. “A gente não pode se amarrar a métodos do passado, hoje o jovem passa a maior parte do dia com o celular na mão, nas redes sociais. Usamos Twitter, Facebook e Instagram para compartilhar experiências entre os membros e também para levar o escotismo a outras pessoas”, afirma a presidente.


Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/


1-10 of 23