Citharexylum solanaceum - Tarumã-grande

Nomes populares

Tarumã-grande, tarumã, tarumã-branco, tarumã-branco, tucaneira

Nome científico

Citharexylum solanaceum Cham.

Voucher

16B Schwirkowski & Bianconcini (MBM391774)

Sinônimos

Citharexylum solanaceum var. insolitum Moldenke

Citharexylum solanaceum var. macrocalyx Moldenke

Família

Verbenaceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Árvore de 4-9 m, inerme, de copa rala e ramos terminais pubérulos, com tronco cilíndrico de 20-30 cm de diâmetro, revestido por casca cinza-escura, com fissuras longitudinais, descamando em placas finas e irregulares. Folhas com pecíolo glabrescente de 2-3 cm; lâmina elíptica a oval-lanceolada, de ápice agudo ou acuminado e base cuneada, membranácea, glabra, discolor, de 5-20x2-8 cm. Inflorescências em espigas terminais eretas de 8-25 cm de comprimento, com pedúnculo de 2-5 cm, com flores bissexuadas, de ovário súpero e de cor branco-amarelada. Fruto drupa elipsóides ou globosa, lisa, vermelha, de 2-3 cm de diâmetro, com polpa suculenta e adocicada, com 1-3 sementes de superfície irregular (LORENZI, 2009, p. 361).

Característica

Floração / frutificação

Floresce de outubro a dezembro. Os frutos amadurecem em fevereiro e março.

Dispersão

Zoocórica

Habitat

Planta caducifólia, heliófita e seletiva higrófita, característica e exclusiva da floresta pluvial Atlântica do alto da serra e das matas de Araucária do Sul do Brasil. Ocorre nas Florestas Ombrófila Densa e Mista e na Floresta Estacional Semidecidual.

Distribuição geográfica

Sudeste (Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (SALIMENA, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

A madeira, e pequenas dimensões e características mecânicas baixas, é indicada apenas para lenha e carvão. Como produz anualmente grande quantidade de frutos, é uma importante fonte de alimento para a avifauna. É uma espécie de pequeno porte e rápido crescimento, sendo recomendada para arborização urbana de ruas estreitas, ou para reflorestamentos mistos, destinados á áreas de preservação. Os frutos são comestíveis, porém de gosto amargo.

Injúria

Comentários

Um kg de sementes possui aprox. 1.700 unidades, que possuem taxa de germinação superior a 50%.

Bibliografia

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -

Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

FLORA ARBÓREA e Arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. Organizado por Marcos Sobral e João André Jarenkow. RiMa: Novo Ambiente. São Carlos, 2006. 349p. il.

KINUPP, V. F. Plantas Alimentícias Não-Convencionais da Região Metropolitana de Porto Alegre. Tese de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2007. 590p. il. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12870>.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 2009. 384p. il. v. 3.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

SALIMENA, F.R.G., Thode, V., Mulgura, M., O'Leary, N. 2010. Verbenaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB015137).

Citharexylum solanaceum http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Citharexylum solanaceum http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina