Tectaria incisa

Nomes populares

Nome científico

Tectaria incisa Cav.

Basionônio

Sinônimos

Família

Tectariaceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Característica

Caracteriza-se por apresentar o indúsio reniforme a orbicular (nunca peltado), 3-10 pares de pinas laterais com bases decurrentes, segmento apical com ápice cuneado, pina basal com um único lobo basiscópico, e lâmina praticamente glabra. Tectaria heracleifolia (Willd.) Underw. difere por apresentar o indúsio peltado, 0–2 (–4) pares de pinas laterais, base das pinas laterais e apical cordada, e pina basal com 1–2 lobos proeminentes no lado basiscópico. Outra espécie morfologicamente semelhante e relativamente comum na Floresta Atlântica brasileira é T. pilosa (Fée) R. C. Moran, que difere principalmente por possuir a lâmina densamente pilosa e um menor número de pinas laterais (1–4 pares) (MATOS, 2009, p. 168).

Floração / frutificação

Dispersão

Hábitat

Ocorre em toda a região Neotropical. Na Amazônia e Mata Atlântica, é encontrada em matas ciliares, no interior da mata ou em bordas de trilhas e caminhos, sempre em locais úmidos e sombreados dentro da Floresta Ombrófila Densa e Floresta Estacional Semidecidual.

Distribuição geográfica

Ocorre no México, América Central, Antilhas, Colômbia, Venezuela, Trinidad & Tobago, Guiana, Suriname, Guiana Francesa, Equador, Peru, Bolívia, Paraguai e Argentina (MATOS, 2009, p. 167).

No Brasil, está presente nas regiões Norte (Roraima, Amapá, Pará, Amazonas, Acre, Rondônia), Nordeste (Pernambuco, Bahia, Alagoas), Centro-Oeste (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (PRADO, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

Injúria

Comentários

Bibliografia

Catálogo de plantas e fungos do Brasil, volume 1 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -

Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 875 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol1.pdf>.

MATOS, F. B. Samambaias e Licófitas da RPPN Serra Bonita, Município de Camacan, Sul da Bahia, Brasil. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, Paraná. 2009. 255p. il. Disponível em: <http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/1884/19094/1/FERNANDO%20BITTENCOURT%20DE%20MATOS%20-%20DISSERTACAO_2009.pdf>.

MYNSSEN, C. M.; WINDISCH, P. G. Pteridófitas da Reserva Rio das Pedras, Mangaratiba, RJ, Brasil. Rodriguésia 55 (85): 125-156. 2004. Disponível em: <http://rodriguesia.jbrj.gov.br/Rodrig55_85/MYNSSEN.PDF>.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

PRADO, J. 2010. Tectariaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB092130).