Solanum lacerdae - Uva-do-mato

Nomes populares

Uva-do-mato

Nome científico

Solanum lacerdae Dusén

Voucher

741 Schwirkowski (MBM)

Sinônimos

Família

Solanaceae

Tipo

Nativa, endêmica do Brasil.

Descrição

Arbusto ou arvoreta de até 3 m de altura; ramos jovens cobertos de tricomas ferruginosos, grossos, patentes, estrelado-pedicelados, pedicelo pluricelular, plurisseriado. Folhas solitárias. Pecíolo de 1-2,5 cm de comprimento, coberto de tricomas iguais aos dos ramos. Lâminas oblongas, elípticas ou largo ovaladas, de ápice agudo, base arredondada ou subcordada, em regra simétrica, de 8-19 cm de comprimento e 6-10 cm de largura. Face adaxial verde, bulado-areolada, com as nervuras depressas entre as aréolas, com um tricomas estrelado-pedicelado no ápice de cada aréola, de 4(5-6) raios laterais, raio central mais longo, igual ou mais curto do que os laterais, com pedicelo pluricelular, plurisseriado; nervura mediana com tricomas estrelado-pedicelados iguais aos das regiões intercostais. Face abaxial esbranquiçada ou verde acinzentada, com tricomas estrelados, sésseis, multiangulados, de 7-11 raios laterais, raio central mais longo, igual ou mais curto que os laterais, formando tapete denso, além de pedicelados, multiangulados, de 7-8 raios laterais, raio central mais curto que os laterais, formando um segundo tapete não contínuo; nervura mediana com tricomas ferruginosos, iguais aos das regiões intercostais. Inflorescência cimosa, terminal, tanto no ramo principal quanto nos ramos laterais, de aspecto corimboso, com 5-15 cm de diâmetro; pedúnculo e pedicelos cobertos de tricomas iguais aos dos ramos. Cálice campanulado, com 1 cm de comprimento, partido até a porção mediana, lacínias ovaladas, delgadas, glabras na face adaxial, cobertas abaxialmente de tricomas estrelado-pedicelados, ferruginosos, iguais aos da face abaxial da lâmina foliar. Corola rotada, branca, com 1,5-2 cm de comprimento, partida até 2/3 de seu comprimento, lacínias largo-triangulares cobertas abaxialmente de tricomas estrelados, ferruginosos. Estames iguais; anteras oblongas, amarelas. Ovário globoso, glabro, estilete mais comprido do que os estames. Fruto globoso, glabro, com 0,8-1 cm de diâmetro, completamente incluso no cálice acrescente. (MENTZ, 2004).

Característica

Esta espécie se distingue de Solanum sellowianum e Solanum conciccum principalmente devido às lâminas bulado-areoladas, com um único tricoma no ápice da porção mediana de cada aréola. (MENTZ, 2004, p. 102).

Floração / frutificação

Floresce entre os meses de outubro e dezembro e de fevereiro a abril, com frutificação entre novembro e março, além de junho e julho.

Dispersão

Zoocórica

Habitat

Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Densa e Mista. Espécie heliófita, e indiferente quanto ao habitat, encontrando-se desde solos úmidos até os mais enxutos, desde as associações pioneiras até as mais evoluídas submatas dos pinhais. Ocorre também na orla dos capões, pinhais e matas de galeria, em capoeiras, beira de banhados e campos limpos sujos.

Distribuição geográfica

Sudeste (Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina)(STEHMANN, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

Injúria

Comentários

Bibliografia

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. - Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

CITADINI-ZANETTE, V.; BOFF, V. P. Levantamento Florístico em Áreas Mineradas a Céu Aberto na Região Carbonífera de Santa Catarina, Brasil; Florianópolis; Secretaria de Estado da Tecnologia, Energia e Meio Ambiente. 1992. 160p.

MENTZ, L. A.; OLIVEIRA, P. L. Solanum (Solanaceae) na Região Sul do Brasil. Pesquisas, Botânica, n. 54. Instituto Anchietano de Pesquisas. 2004. 327p. Il.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

STEHMANNn, J.R., Mentz, L.A., Agra, M.F., Vignoli-Silva, M., Giacomin, L. 2010. Solanaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB014796).

Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Solanum lacerdae http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina