Solanum sciadostylis - Baga-de-veado

Nomes populares

Baga-de-veado

Nome científico

Solanum sciadostylis (Sendtn.) Bohs

Voucher

95 Schwirkowski (MBM391906)

Sinônimos

Cyphomandra reitzii L. Bn. Sm. & Downs.

Cyphomandra sciadostylis Sendtn.

Família

Solanaceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Arbustos de até 2 m de altura, inermes. Folhas membranáceas, lâminas foliares inteiras, ovaladas, com 2,2-13,2 cm de comprimento e 1,6-7,1 cm de largura, ápice acuminado e base cordada; lâminas foliares irregularmente lobadas ou partidas, de contorno ovalado, com 9,0-13,2 cm de comprimento e 6,5-9,0 cm de largura, base levemente cordada; superfícies adaxial e abaxial com tricomas simples e glandulares; pecíolo de 0,5-5,0 cm de comprimento, provido de tricomas simples e glandulares. Inflorescências não ramificadas, flores pediceladas; pedúnculos de 1,8-6,0 cm, ráquis única, com 1,4-6,0 cm de comprimento; pedicelos de 0,4-2,5 cm de comprimento. Pedúnculo, ráquis e pedicelos com tricomas simples e glandulares. Cálice rotado, com 0,8-1,5 cm de diâmetro, glabro ou glabrescente na face adaxial e revestido de tricomas simples e glandulares na face abaxial; lacínias com 0,30-0,85 cm de comprimento e 0,2-0,3 cm de largura. Corola campanulada, com coloração em diferentes tonalidades de roxo, passando a lilás e finalmente branca, glabra na face adaxial e com tricomas simples e glandulares na face abaxial; lobos com 0,8-1,3 cm de comprimento e 0,4-0,55 cm de largura. Filetes com 0,1 cm de comprimento; anteras oblongas, com 0,5-0,6 cm de altura, diâmetro basal de 0,15-0,20 cm e diâmetro apical de 0,15-0,20 cm, com deiscência voltada para a face abaxial. Ovário ovóide, com 0,3-0,4 cm de altura e 0,20-0,25 cm de diâmetro, revestido de tricomas simples e glandulares; estilete obcônico, com 0,40-0,55 cm de comprimento, provido de tricomas simples ou tricomas simples e glandulares; estigma côncavo, com um par de glândulas apicais evidentes. Fruto elipsóide ou globoso, agudo no ápice, com 2,0-3,5 cm de altura e 0,7-2,0 cm de largura (SOARES, 2006, p. 15).

Característica

Floração / frutificação

Dispersão

Zoocórica

Habitat

Comporta-se como ruderal, sendo muito freqüente em margens de estradas e plantações, tanto em locais abertos ou sombreados. Na Mata Atlântica ocorre na Floresta Ombrófila Mista e Densa e na Floresta Estacional Semidecidual.

Distribuição geográfica

Sudeste (Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (STEHMANN, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

O mesocarpo é comestível, tanto in natura quanto em refogados.

Injúria

Comentários

Bibliografia

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. - Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

SOARES, E. L. C.; MENTZ, L. A. As Espécies de Solanum Subgênero Bassovia Seção Pachyphylla (= Cyphomandra Mart. ex Sendtn. – Solanaceae) no Rio Grande do Sul, Brasil. Pesquisas, Botânica nº 57: 231-254. São Leopoldo, Instituto Anchietano de Pesquisas, 2006. Disponível em: <http://www.anchietano.unisinos.br/publicacoes/botanica/botanica57/artigo11.pdf>.

STEHMANN, J.R., Mentz, L.A., Agra, M.F., Vignoli-Silva, M., Giacomin, L. 2010. Solanaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB014856).