Gênero: Borreria

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesNome científicoBorreria latifolia (Aubl.) K.Schum.Voucher264 Schwirkowski (MBM392076)SinônimosBigelovia elata Bartl. ex DC.Borreria bartlingiana DC.Borreria eradii RaviBorreria fockeana Miq.Borreria latifolia var. fockeana (Miq.) Bremek.Borreria latifolia var. minor K.Schum.Borreria latifolia var. sideritis K.Schum.Borreria penicillata Miq.Borreria perrottetii DC.Borreria platyphylla DC.Borreria sideritis Cham. & Schltdl.Borreria splitgerheri Bremek.Borreria tetraptera Miq.Spermacoce aspera var. latifolia Griseb.Spermacoce bartlingiana Hemsl.Spermacoce coerulescens Aubl.Borreria latifolia (Aubl.) K.Schum. var. latifoliaSpermacoce latifolia Aubl.FamíliaRubiaceaeTipoNativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoErvas anuais, eretas, 30-50cm. Ramos novos tetragonais, hirsutos. Folhas sésseis ou subsésseis, opostas; lâmina elíptico-ovada, 2-4x1-2cm, hirsuta, nervuras primária e secundárias proeminentes na face adaxial, ápice agudo, base atenuada, margem inteira; estípulas 5-8-fimbriadas, pubescentes. Inflorescências sésseis, em cimeiras glomeriformes, axilares 3-7-floro; duas brácteas foliáceas; flores sésseis; cálice com 4 sépalas iguais, triangulares, 2-3,5mm, pubescentes; corola infundibuliforme, branca ou azulada, 3-4,5mm, glabra, lobos ovais, 1-2mm, ciliados; estames exsertos, inseridos na fauce da corola; anteras elípticas, subsésseis; ovário bilocular, um óvulo por lóculo; disco nectarífero bipartido; estilete cilíndrico, exserto, 5-7mm; estigma bífido. Fruto cápsula septicida, obovada, 2-4x1,5-3mm, pubescente, cálice persistente; sementes plano-convexas, elípticas, superfície dorsal fortemente convexa, reticulada, superfície ventral com profundo sulco longitudinal. (PEREIRA, 2007).CaracterísticaFloração / frutificaçãoDispersãoHabitatAmazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa.Distribuição geográficaNorte (Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins), Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe), Centro-oeste (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso), Sudeste (Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo), Sul (Paraná, Santa Catarina). (CABRAL, 2014).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaComentáriosBibliografiaCabral, E.; Salas, R. Borreria in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://reflora.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB20698>. Acesso em: 28 Set. 2014PEREIRA, Z. F. Rubiaceae Juss. do Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, Mato Grosso do Sul: Florística, Sistema Reprodutivo, Distribuição Espacial e Relações Alométricas de Espécies Distílicas. Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia. Tese de Mestrado. 2007. 224p. il. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/diaadia/diadia/arquivos/File/conteudo/artigos_teses/teses_geografia2008/dissertacaouemgiovanafanecopereira.pdf>.
Carousel imageCarousel image
Nomes popularesErva-de-lagarto, poaia-do-brejoNome científicoBorreria palustris (Cham. & Schltdl.) Bacigalupo & E. L. CabralVoucher732 Schwirkowski (MBM)SinônimosBorreria gymnocephala DC.Diodia alata Nees & Mart.Diodia alata var. plicata Chodat & Hassl.Diodia gymnocephala (DC.) K.Schum.Diodia palustris Cham. & Schltdl.Spermacoce palustris (Cham. & Schltdl.) DelpretFamíliaRubiaceaeTipoNativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoPlanta perene, herbácea, semiprostrada, pouco ramificada, glabra, de caule tetragonal alado com enraizamento na base, de 20-50 cm de comprimento (LORENZI, 2008, p. 587).CaracterísticaFloração / frutificaçãoFloresce e frutifica entre os meses de novembro a junho.DispersãoHabitatOcorre na Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica, onde é encontrada na Floresta Ombrófila Densa e Mista.Distribuição geográficaNordeste (Bahia), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Rio Grande do Sul) (CABRAL, 2010).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaPlanta daninha típica de lugares úmidos, infestando pastagens, beira de canais, jardins, pomares, beira de estradas, carreadores e terrenos baldios.ComentáriosBibliografiaCABRAL, E., Salas, R. 2010. Borreria in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB020703).Catálogo de plantas e fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.