Rubus erythrocladus - Amora-verde

Nomes populares

Amora-verde, amora-branca, amora-do-mato

Nome científico

Rubus erythrocladus Mart. ex Hook.f.

Voucher

430 Schwirkowski (MBM)

Sinônimos

Família

Rosaceae

Tipo

Nativa, endêmica do Brasil.

Descrição

Subarbusto lenhoso com cerca de 1,5-2 m de altura. Floricante, em material herborizado, com ramos prismáticos, cilíndricos, de 2 mm de diâmetro, laxos, vermelhos, decumbentes ou não, de seção poligonal a circular, canaliculado, cerdoso, com pelos glandulares vermelhos, acúleos pungentes vermelhos e retrorsos. Folhas trifolioladas. Estípulas, duas, vermelhas, subuladas de 5-10 mm de comprimento, com pelos brilhantes na base e adnatas ao pecíolo. Pecíolo e peciólulos, com, respectivamente, 4,5-8mm e 2-5mm de comprimento e 1-2mm de largura, canaliculados, cerdosos, vermelhos com pelos glandulares e acúleos retrorsos. Folíolo central com 30-100mm de comprimento, e 20-40mm de largura, discolor, vernicoso, coriáceo, oblongo, suboblongo, elíptico, oval-lanceolado, base cordada ou arredondada, ápice acuminado, bordo glabro, agudamente serreado, com a parte superior opaca castanho-avermelhada clara e a parte inferior nítida castanho-avermelhada ou esverdeada ou acinzentada-escura, com nervuras salientes, apresentando acúleos retrorsos pequenos vermelhos, ao longo da costa média. Folíolo lateral de 20-70mm de comprimento e 18-25mm de largura, discolor, vernicoso, de coriáceo a subcoriáceo, estreito, oval-lanceolado, suboblongo, base arredondada ou cordada, ápice acuminado, bordo agudamente serreado, com a face superior opaca glabra castanho-avermelhada ou acinzentada-clara, com nervuras salientes, poucos pelos brilhantes e acúleos retrorsos pequenos ao longo da costa média. Sinflorescência tirsóide, com pedúnculo e raque, e 3-5 mm de largura, canaliculados, vermelhos, com cerdas vermelhas, pelos glandulares e acúleos pungentes, vermelhos, retos e retrorsos. Pedicelo cilíndrico com 5-7 mm de comprimento e 1mm de largura, com cerdas vermelhas e pelos glandulares. Flor, com cerca de 12mm de diâmetro. Lacínia do cálice com 3-4 mm de comprimento e 3-4 mm de largura, reflexo, persistente, oval-acuminada ou caudado, sendo a face interna coberta por pelos curtos brilhantes e a face externa apresentando, também, alguns pelos glandulares. Receptáculo floral carnoso piloso, com 1,5-2mm de comprimento e 1-1,5mm de largura. Pétala de 4-4,5mm de comprimento e 3-4mm de largura, caduca, ovóide, arredondada com os bordos crenados. Estame, com filete de 2-2,5 mm de comprimento e 1mm de largura afilando para o ápice, antera com 1-1,5 mm de comprimento e 1mm de largura. Carpelo com tufos de pelos brilhantes na base do ovário, que mede 1mm de comprimento e 1mm de largura, estilete com 1-1,5mm de comprimento e estigma bífido. Fruto apocárpico, subgloboso; endocarpo com 4-5mm de comprimento e 2-3mm de largura de cor castanho-claro no centro e escuro nos bordos, com superfície foveolada. Embrião plano-convexo com 3-3,5mm de comprimento e 1-1,5mm de largura de cor castanho-escuro.(FUKS, 1984, p.11).

Característica

Floração / frutificação

Floresce e frutifica praticamente o ano todo.

Dispersão

Zoocórica

Habitat

Cerrado e Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Mista. Planta heliófita, encontrada em bordas de mata e como ruderal em áreas de altitude.

Distribuição geográfica

Sudeste (Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul)(BIANCHINI, 2010).

Etimologia

O epíteto erythrocladus, palavra composta de dois vocábulos gregos, significa ramos vermelhos, em alusão a essa característica apresentada pela espécie. (FUKS, 1984, p.11).

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

Os frutos são comestíveis, sendo carnosos e suculentos.

Injúria

Comentários

Meus agradecimentos à Dra. Rosângela Simão-Bianchini (IBOT/SP), pela determinação desta espécie.

Bibliografia

BIANCHINI, R.S. 2010. Rosaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB032508).

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. - Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

FUKS, R. Rubus L. (Rosaceae) do Estado do Rio de Janeiro. Rodriguésia, Rio de Janeiro, 36(61):3-32, out./dez. 1984. Disponível em: <http://rodriguesia.jbrj.gov.br/Rodrig36-n61-1984/Rodrig36_61n.html>.

KINUPP, V. F. Plantas Alimentícias Não-Convencionais da Região Metropolitana de Porto Alegre. Tese de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2007. 590p. il. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12870>.