Galium hypocarpium - Gália

Nomes populares

Gália

Nome científico

Galium hypocarpium (L.) Endl. ex Griseb.

Voucher

MBM391791

Sinônimos

Galium albicans Wedd.

Galium brasiliense Wawra

Galium croceum Ruiz & Pav.

Galium fluminense Vell.

Galium gardneri Walp.

Galium hypocarpium subsp. gracillimum (Ehrend.) Dempster

Galium hypocarpium subsp. indecorum (Cham. & Schltdl.) Dempster

Galium orinocense (Kunth) Spreng.

Galium ovale Ruiz & Pav.

Galium pauciflorum Willd. ex K.Schum.

Galium quitense Wedd.

Galium relbun (Cham. & Schltdl.) Clos

Galium repugnans Kunze ex Poepp.

Galium rotundifolium var. bermudense (L.) Kuntze

Galium rupestre (Gardner) Walp.

Família

Rubiaceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Ervas perenes, escandentes, 30cm. Ramos semi-tetragonais, hirsutos. Folhas sésseis, lâmina oblongo-lanceolada, 0,8-1,3 x 0,3-0,7cm, hirsuta, nervura primária proeminente na superfície dorsal, nervuras secundárias inconspícuas, ápice agudo, base obtusa, margem inteira, parcialmente revoluta; estípulas foliáceas. Inflorescências axilares, 1-4-flores, 4 brácteas foliáceas, 2-3mm, involucrais; flores pediceladas, pedicelos 0,2-1cm; cálice ausente; corola rotácea, branca, 2-3mm, externamente pilosa, internamente glabra, lobos triangulares, 1,5mm, ciliados; estames inseridos na fauce da corola, exsertos; filetes cilíndricos, 2-4mm; anteras oblongas; ovário bilocular, um óvulo por lóculo; disco nectarífero bipartido; dois estiletes cilíndricos, exsertos, 1-2mm; estigma 2, capitados. Fruto bacáceo, obovado, 2-3 x 3,3-3,6mm, alaranjado, pilosos; sementes plano-convexas, castanho-claras, superfície dorsal lisa, superfície ventral com sulco longitudinal (PEREIRA, 2007, p. 74).

Característica

Pode ser reconhecida pelas estípulas foliáceas de dimensões e morfologia semelhantes a folhas, inflorescências axilares, 1-4-floro com 4 brácteas foliáceas, do mesmo tamanho da corola, cálice ausente e frutos alaranjados (PEREIRA, 2007, p. 74).

Floração / frutificação

Floresce e frutifica praticamente o ano todo.

Dispersão

Anemocórica.

Hábitat

Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Densa e Floresta Ombrófila Mista.

Distribuição geográfica

Ocorre no México, América Central, América do Sul e Antilhas.

No Brasil ocorre no Nordeste (Rio Grande do Norte, Paraíba, Bahia), Centro-Oeste (Goiás, Distrito Federal), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (PESSOA, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

Injúria

Comentários

Bibliografia

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -

Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

PEREIRA, Z. F. Rubiaceae Juss. do Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, Mato Grosso do Sul: Florística, Sistema Reprodutivo, Distribuição Espacial e Relações Alométricas de Espécies Distílicas. Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia. Tese de Mestrado. 2007. 224p. il. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/diaadia/diadia/arquivos/File/conteudo/artigos_teses/teses_geografia2008/dissertacaouemgiovanafanecopereira.pdf>.

PESSOA, M.C.R., Zappi, D. 2010. Galium in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB014032).

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

SOUZA, V. C.; LORENZI, H. Botânica Sistemática: Guia Ilustrado Para Identificação das Famílias de Fanerógamas Nativas e Exóticas no Brasil, Baseado em APG II. 2 ed. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 2008. 704p. il.