Gênero: Caamembeca

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesNome científicoCaamembeca insignis (Chodat) J.F.B.PastoreVoucher945 Schwirkowski (MBM)SinônimosPolygala insignis Klotzsch ex ChodatFamíliaPolygalaceaeTipoNativa, endêmica do Brasil.DescriçãoSubarbustos a arbustos eretos, 19‑50 cm alt. Caule folioso, cilíndrico, estriado, pubescente, sem glândulas. Folhas pecioladas, alternas, elípticas, lâminas 15‑80 × 4‑12 mm, papiráceas, pubérulas, sem glândulas, ápice acuminado, mucronado ou cuspidado, base atenuada ou cuneada, margem revoluta, ciliada; pecíolos 2,5‑3,5 mm compr., estes com um par de nectários extraflorais estipitados, cilíndricos, 0,5‑2 mm compr. Brácteas e bractéolas tardiamente decíduas, margem densamente ciliada. Racemos pedunculados, terminais e axilares, cilíndricos, 1‑6 cm compr., densifloros. Flores 9‑11 mm compr., brancas, creme‑esverdeadas; pedicelos 3‑4 mm compr., pubérulos, reflexos na frutificação, com um par de nectários extraflorais. Sépalas externas glabras, sem glândulas, ápice arredondado, margem densamente ciliada; uma sépala largo‑ovada, côncava, 2,7‑3,1 mm compr.; duas sépalas livres e iguais entre si, ovadas a largo‑ovadas, 2 mm compr.; sépalas internas glabras, sem glândulas, largo‑elípticas a suborbiculares, 6‑8 mm compr., ápice arredondado, base obtusa. Pétalas laterais desenvolvidas, pilosas internamente na base, sem glândulas, elípticas, 9‑10 mm compr., com ápice arredondado; pétalas laterais rudimentares, estreito‑oblongas, 4‑5 mm compr.; carena trilobada, cuculada, 8,5‑10,5 mm compr., fortemente unguiculada, sem glândulas. Ovário glabro, sem glândulas, elíptico. Cápsulas glabras, sem glândulas, oblatas, orbiculares, 5‑6 mm compr., levemente estipitadas, aladas, emarginadas nos dois bordos. Sementes estrigosas, subtriangulares, tetragonais, 3,5‑4,5 mm compr., superfície verrucosa, carúncula com apêndice carnoso, enrugado, com tricomas esparsos, alcançando o comprimento da semente. (LÜDTKE, 2013).CaracterísticaPolygala insignis é caracterizada por apresentar brácteas e bractéolas tardiamente decíduas, folhas papiráceas, sépalas internas com margem glabra, pétalas laterais desenvolvidas, pilosas internamente. Assemelha‑se à P. laureola, mas nesta espécie as brácteas e bractéolas são cedo‑decíduas, as folhas membranáceas, as sépalas internas têm margem ciliada e as pétalas laterais são desenvolvidas e glabras. (LÜDTKE, 2013).Floração / frutificaçãoDispersãoHabitatMata Atlântica.Distribuição geográficaNordeste (Bahia); Sudeste (Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo), Sul (Paraná, Santa Catarina). (PASTORE, 2015).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaComentáriosBibliografiaLÜDTKE, R.; SOUZA-CHIES, T. T.; MIOTTO, S. T. S. O gênero Polygala L. (Polygalaceae) na região Sul do Brasil. Hoehnea 40(1): 1-50, 13 fig., 2013.Pastore, J.F.; Ludtke, R.; Ferreira, D.M.C.; Kuntz, J. Polygalaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://reflora.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB126475>. Acesso em: 05 Fev. 2015