Gênero: Ludwigia

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesCruz-de-maltaNome científicoLudwigia longifolia (DC.) H. HaraVoucher865 Schwirkowski (MBM)SinônimosJussiaea longifolia DC.FamíliaOnagraceaeTipoNativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoPlanta herbácea com aproximadamente 60 cm de altura. Folhas subsésseis e lanceoladas. Flores amarelas, solitárias e axilares, com duas bractéolas lineares, dotadas de hipanto tetrangular com até 1 cm de comprimento. Fruto cápsula tetrangular. (CITADINI-ZANETTE, 1992, p.41).CaracterísticaFloração / frutificaçãoDispersãoHabitatCaatinga, Cerrado e Mata AtlânticaDistribuição geográficaNordeste (Bahia), Centro-Oeste (Distrito Federal, Mato Grosso do Sul), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (VIEIRA, 2010).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaComentáriosBibliografiaCITADINI-ZANETTE, V.; BOFF, V. P. Levantamento Florístico em Áreas Mineradas a Céu Aberto na Região Carbonífera de Santa Catarina, Brasil. Florianópolis. Secretaria de Estado da Tecnologia, Energia e Meio Ambiente. 1992. 160p.VIEIRA, A.O.S. 2010. Onagraceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB004058).
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesCruz-de-maltaNome científicoLudwigia sericea (Cambess.) H. HaraBasionônioJussiaea sericea Cambess.SinônimosFamíliaOnagraceaeTipoNativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoPlanta perene, subarbustiva, ereta, ramificada, aquática, com os pequenos ramos e folhas da extremidade da planta seríceo-vilosos, com flores amarelas que só abrem nas horas mais ensolaradas do dia, pode chegar a 2 m de altura.CaracterísticaFloração / frutificaçãoDispersãoHábitatCerrado, Pantanal e Mata Atlântica.Distribuição geográficaCentro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (Minas Gerais, São Paulo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (VIEIRA, 2010).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaPlanta daninha mais freqüente em locais úmidos e pantanosos, principalmente nas regiões de altitude do sul do Brasil. É encontrada infestando beira de lagoas, canais de drenagem e várzeas úmidas.ComentáriosAs sementes só são liberadas após a decomposição dos frutos.BibliografiaCatálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.VIEIRA, A.O.S. 2010. Onagraceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB004072).
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesCruz-de-maltaNome científicoLudwigia tomentosa (Camb.) H. HaraVoucher649 Schwirkowski (MBM)SinônimosJussiaea tomentosa Cambess.FamíliaOnagraceaeTipoNativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoPlanta perene, ereta ou decumbente, subarbustiva, muito ramificada, de caule angulado e pubescente, geralmente arroxeada, com até 1 m de altura.CaracterísticaFloração / frutificaçãoFloresce intensamente durante as estações quentes do ano.DispersãoHabitatCaatinga, Cerrado e Mata Atlântica.Distribuição geográficaNorte (Tocantins), Nordeste (Bahia), Centro-Oeste (Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul), Sudeste (Minas Gerais, São Paulo), Sul (Santa Catarina).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaPlanta daninha típica de várzeas úmidas de quase todo o país, onde é encontrada infestando canais de drenagem, beira de lagoas, pastagens em áreas úmidas ou pantanosas e também lavouras de arroz irrigado. É mais comum no Sul do Brasil.ComentáriosBibliografiaCatálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.VIEIRA, A.O.S. 2010. Onagraceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB004073).