Eugenia pluriflora - Jabuticaba-do-campo

Nomes populares

Jabuticaba-do-campo, jabuticabeira-do-campo, guamirim.

Nome científico

Eugenia pluriflora DC.

Voucher

39B Schwirkowski & Bianconcini (MBM391820)

Sinônimos

Eugenia bresolinii D.Legrand

Eugenia osoriana Mattos & D.Legrand

Família

Myrtaceae

Tipo

Nativa, endêmica do Brasil.

Descrição

Arbusto a arvoreta 2-4 m alt., casca levemente áspera, marrom. Folhas discolores, sem odor característico; pecíolo de 4-6 mm de compr.; Lâminas elípticas 3.5 cm até 6 cm de compr., glabras; ápice arredondado, base atenuada. Inflorescência tipo fascículo, ca. 6 flores. Flores tetrâmeras; pedúnculos 2 mm compr., bractéolas inconspícuas, botões florais globosos, cálice rompendo-se em lobos. Frutos globosos, negro-azulados quando maduros, 12 mm diâm. (VIEIRA, 2010).

Característica

Floração / frutificação

Dezembro a fevereiro, frutificando de outubro a dezembro.

Dispersão

Zoocórica

Habitat

Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Densa e Mista e Floresta Estacional Semidecidual.

Distribuição geográfica

Sudeste (Minas Gerais, São Paulo), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul)(SOBRAL, 2011).

Etimologia

“Com muitas flores”, em latim (SOBRAL, 2003, p.72).

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

A madeira é de boa qualidade, sendo usada na fabricação de cabos de ferramentas. Como fornece alimento para a avifauna, é recomendada para plantio em reflorestamentos destinados à preservação.

Injúria

Comentários

Bibliografia

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. - Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

FLORA ARBÓREA e Arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. Organizado por Marcos Sobral e João André Jarenkow. RiMa: Novo Ambiente. São Carlos, 2006. 349p. il.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 2009. 384p. il. v. 3.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

SOARES-SILVA, L. H. A Família Myrtaceae – Subtribos: Myrciinae e Eugeniinae na Bacia Hidrográfica do Rio Tibagi, Estado do Paraná, Brasil. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, São Paulo, 2000. 478p. il. Disponível em: <http://www.pucminas.br/graduacao/cursos/arquivos/ARE_ARQ_REVIS_ELETR20081231091718.pdf>.

SOBRAL, M. A Família Myrtaceae no Rio Grande do Sul. Editora da Universidade do Vale do Rio dos Sinos. São Leopoldo, RS. 2003. 215 p. il.

SOBRAL, M., Proença, C., Souza, M., Mazine, F., Lucas, E. 2011. Myrtaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2011/FB010505).

VIEIRA, F. C. S. Myrtaceae Juss. no Alto Quiriri, Garuva, Santa Catarina, Brasil. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo. São Paulo, SP. 2010.