Coussapoa microcarpa - Mata-pau

Nomes populares

Mata-pau, figueira, figueira-mata-pau, figueira-preta, figueira-do-brejo, figueirinha

Nome científico

Coussapoa microcarpa (Shott) Rizzini

Basionônio

Sinônimos

Família

Moraceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Árvores ou arbustos 2-12(-15) m alt., hemi-epifíticos quando jovem, freqüentemente estrangulantes. Ramos glabros ou pubérulos, indumento de tricomas aracnóideos alvos, amarelos ou castanhos. Lâminas (2-)6-10(-14) × 2-5 cm, coriáceas, elípticas a oblongas; ápice agudo a obtuso; base aguda a obtusa; margem levemente revoluta próximo à base; face adaxial glabra; face abaxial glabra ou pubérula principalmente nas nervuras; nervação acródoma basal, 3 nervuras irradiantes da base do limbo, 6-12 pares de nervuras secundárias; pecíolos 1-3(-4,0) cm compr., glabros; estípulas 2, amplexicaules, 1,5-3(-4,5) × 5-1 cm larg., pubescentes, indumento de tricomas subseríceos a hirsutos, alvo-amarelados ou castanhos, na face externa, glabras na face interna. Infl orescências estaminadas ramifi cadas, 5-9 capítulos globosos; pedúnculos 0,5-1,5 cm compr., freqüentemente fendido, pubescentes; fl ores (3-)4 lobadas, monoclamídeas, actinomorfas; lóbulos livres; estames completamente fundidos. Infl orescências pistilada não ramifi cada, 1(-4) capítulos, globosos; pedúnculos 1,5-4 cm compr., pubérulos; flores pistiladas, geralmente solitárias, perianto tubular ou clavado; estigma 1, penicilado, exserto. Infrutesência 0,5-1,5 cm diâm., pedúnculos 5-7 cm compr. Aquênios amarelos a alaranjadas quando maduros. Sementes elípticas a ovais, castanho escuras. (ROMANIUC NETO, 2009).

Característica

Floração / frutificação

Dispersão

Zoocórica

Hábitat

Cerrado e Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Densa e Mista, Floresta Estacional Semidecidual e Restinga.

Distribuição geográfica

Nordeste (Paraíba, Pernambuco, Bahia), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro),Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul)(ROMANIUC NETO, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

As infrutescências são comestíveis, possuindo consistência mole e sabor adocicado. Estas infrutescências também são uma importante fonte de alimento para a fauna.

Injúria

Comentários

Meus sinceros agradecimentos a Alexandre Amilton de Oliveira, pela correta identificação desta espécie.

Bibliografia

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -

Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

FLORA ARBÓREA e Arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. Organizado por Marcos Sobral e João André Jarenkow. RiMa: Novo Ambiente. São Carlos, 2006. 349p. il.

KINUPP, V. F. Plantas Alimentícias Não-Convencionais da Região Metropolitana de Porto Alegre. Tese de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2007. 590p. il. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12870>.

MARTINS, E. G. A. O Clado Urticóide (Rosales) na Flora da Serra do Cipó, Minas Gerais. Dissertação de Mestrado. Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2009. 155p. il. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/41/41132/tde-21052009-155743/pt-br.php>.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

ROMANIUC NETO, S., Gaglioti, A.L. 2010. Urticaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB015046).

ROMANIUC NETO, S.; GAGLIOTI, A. L.; GUIDO, B. M. O. Urticaceae Juss. do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, São Paulo, SP, Brasil. Hoehnea 36(1): 193-205, 1 fig., 2009. Disponível em: <http://www.ibot.sp.gov.br/publicacoes/hoehnea/vol36/hoehnea_36_1_t_11.pdf>.

URBANETZ, C.; TAMASHIRO, J. Y.; KINOSHITA, L. S. Chave de Identificação de Espécies Lenhosas de um Trecho de Floresta Ombrófila Densa Atlântica, no Sudeste do Brasil, Baseada em Caracteres Vegetativos. Biota Neotrop., vol. 10, no. 2. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/bn/v10n2/36.pdf>.