Endlicheria paniculata - Canela-frade

Nomes populares

Canela-frade, canela-do-brejo, canela-preta, canela-garuva, canela, canela-amarela, canela-branca, canela-burra, canela-caroba, canela-cernuta, canela-cornuta, canela-de-cantagalo, canela-de-veado, canela-guajaba, canela-jacuá, canela-peluda, canela-cheirosa, canela-do-brejo, canela-sebo, canelão, canelinha, canela-da-folha-miúda, canela-de-folha-miúda, canela-de-papagaio, louro, madeira-de-rei.

Nome científico

Endlicheria paniculata (Spreng.) J.F.Macbr.

Voucher

461 Schwirkowski (MBM)

Sinônimos

Família

Lauraceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Árvores de 5 a 7 m alt., tronco de casca lisa, verde-acinzentada, ramos áureo- tomentosos; gemas axilares e terminais áureo-tomentosas. Folhas com pecíolo canaliculado, pubescente; lâ- mina cartácea, lanceolada a elíptica, 6,5 - 10,6 x 2,4 - 4,7 cm, base cuneada, margem espessa, ápice agudo a curto-acuminado, face adaxial pubescente na nervura principal, face abaxial áureo-velutina; nervura principal impressa na face adaxial, proeminente na face abaxial; padrão de nervação eucamptódromo, nervuras secundárias 5 - 6 pares alternos, ângulo de divergência 30° - 50°, nervuras intersecundárias compostas, nervuras terciárias partem perpendicularmente da nervura primária e ramificam-se antes de se fundirem com as secundárias, reticulado denso. Inflorescência axilar, tirsóide, 3,0 - 12,0 cm compr., áureo-velutina, feminina multiflora e masculina pauciflora. Flores com tépalas iguais, obovadas, 0,08 - 0,1 cm compr., áureo-velutinas; hipanto na face ventral áureo-seríceo. Flores masculinas: estames da série I com filetes curtos, 0,01 - 0,03 cm, anteras ovais, 0,05 - 0,07 cm compr., ápice truncado, introrsas; estames da série II com filetes curtos, 0,02 - 0,03 cm compr., anteras semelhantes às da série I, 0,04 - 0,07 cm compr.; estames da série III com filetes largos quanto as anteras, 0,02 - 0,03 cm compr., par de glândula globosa na base, anteras ovais, 0,1 - 0,11 cm compr., ápice obtuso; série IV estaminodial ausente; pistilóide presente, filiforme. Flores femininas: androceu com estaminódios reduzidos, semelhantes às anteras das flores masculinas; ovário ovóide, glabro, estilete curto, espessado, estigma sub-trigono. Fruto elipsóide, 1,5 - 1,2 cm compr. x 0,8 - 0,9 cm diâm., verde, sobre cúpula hemisférica, 0,4 - 0,5 cm compr. x 0,6 - 0,7 cm diâm., rubra, tépalas persistentes ou decíduas; pedicelo frutífero obcônico. (QUINET, 2002).

Característica

Floração / frutificação

Dispersão

Habitat

Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal

Distribuição geográfica

Norte (Amazonas, Tocantins), Nordeste (Bahia), Centro-oeste (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso), Sudeste (Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo), Sul (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina)

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

A casca e as folhas são aromáticas e adstringentes. (QUINET, 2002).

Fitoeconomia

Fornece madeira branca de ótima qualidade, própria para construção civil e taboado. (QUINET, 2002)

Injúria

Comentários

Bibliografia

QUINET, A.; ANDREATA, R. H. P. Lauraceae Jussieu na Reserva Ecológica de Macaé de Cima, Município de Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil. Rodriguésia 53(82): 59-121. 2002. Disponível em: <http://rodriguesia.jbrj.gov.br/Rodrig53_82/5-QUINET.PDF>.

Quinet, A.; Baitello, J.B.; Moraes, P.L.R. de; Assis, L.; Alves, F.M. Lauraceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://reflora.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB8417>. Acesso em: 09 Nov. 2014

Endlicheria paniculata http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina
Endlicheria paniculata http://sites.google.com/site/florasbs/home  São Bento do Sul - Santa Catarina