Ocotea catharinensis - Canela-preta

Nomes populares

Canela-preta, canela-sebo

Nome científico

Ocotea catharinensis Mez

Basionônio

Sinônimos

Família

Lauraceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Árvore de 12 m alt., monóica, ramos amarronzados, lenticelados, glabrescentes; gemas axilares e apicais, lanceoladas, áureo-seríceas. Folhas alternas em todo o ramo; pecíolo canaliculado, glabro; lâmina cartácea, lanceolada, 4,5 - 7,3 x 1,1 - 2,0 cm, base aguda, margem espessa, ápice agudo a acuminado; face adaxial brilhante, glabra, sem pontoado enegrecido, face abaxial opaca, glabrescente; padrão de nervação camptódromo-broquidódromo, nervuras secundárias 4 - 6 pares alternos, ângulo de divergência 40° - 50°, nervuras inter-secundárias compostas, reticulado denso; domácias em tufos de pêlos na axila do primeiro par de nervuras secundárias. Sinflorescência terminal, corimbiforme de botrióides, botrióides 2,5 - 4,5 cm compr. Flores monoclinas, tépalas na face ventral e dorsal aureo-tomentosas. Estames da série I e II com filetes 0,08 - 0,1 cm compr., antera oval, 0,09 - 0,12 cm compr., ápice obtuso; série III com filetes 0,08 - 0,1 cm compr., com par de glândula globosa na base, antera quadrangular, 0,08 - 0,11 cm compr., ápice truncado, locelos superiores lateralmente extrorsos e inferiores frontal à lateralmente extrorsos; série IV estaminodial presente, estaminódios filiformes, tomentosos na base. Ovário elipsóide, glabro, estilete delgado, estígma discóide. Fruto elipsóide, 2,0 - 2,3 cm compr. x 1,0 - 1,4 cm diâm., ápice truncado a obtuso, cúpula hemisférica, 1,1 - 1,3 cm diâm., envolvendo parcialmente (1/3) o fruto, margem simples, lenhosa, pedicelo frutífero espesso (QUINET, 2002, p. 35).

Característica

A principal característica desta espécie são as domácias em tufos de pêlos na axila do primeiro par de nervuras secundárias.

Floração / frutificação

Floresce praticamente o ano todo, principalmente nos meses de dezembro e janeiro.

Dispersão

Hábitat

Ocorre na Mata Atlântica Montana na Floresta Ombrófila Densa e Floresta Estacional Semidecidual.

Distribuição geográfica

Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (QUINET, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

Fitoeconomia

Além da ótima madeira que fornece, era utilizada para extração de óleo.

Injúria

Comentários

Devido ao alto extrativismo desta espécie devido a sua madeira, foi incluída pelo Ministério do Meio Ambiente na lista oficial de espécies da flora brasileira ameaçadas de extinção.

Bibliografia

BROTTO, M. L.; SANTOS, É. P.; BAITELLO, J. B. Lauraceae no Morro dos Perdidos (Floresta Atlântica), Paraná, Brasil; Rodriguésia 60 (2): 445-459. 2009. Disponível em: <http://rodriguesia.jbrj.gov.br/rodrig60_2/16-086-08.pdf>.

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -

Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

FLORA ARBÓREA e Arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. Organizado por Marcos Sobral e João André Jarenkow. RiMa: Novo Ambiente. São Carlos, 2006. 349p. il.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 6, de 23 de Setembro de 2008. Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção. Ministério do Meio Ambiente. 2008. 55p. Disponível em: <http://www.iap.pr.gov.br/arquivos/File/Legislacao_ambiental/Legislacao_federal/INSTRUCAO_NORMATIVA/INSTRUCAO_NORMATIVA_06_DE_23_DE_SETEMBRO_DE_2008.pdf>.

LOPES, S. B.; GONÇALVES, L. Elementos Para Aplicação Prática das Árvores Nativas do Sul do Brasil na Conservação da Biodiversidade. Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul. Rio Grande do Sul, 2006. 18p. Disponível em: <http://www.fzb.rs.gov.br/jardimbotanico/downloads/paper_tabela_aplicacao_arvores_rs.pdf>.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

QUINET, A., Baitello, J.B., Moraes, P.L.R. de 2010. Lauraceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB008450).

QUINET, A.; ANDREATA, R. H. P. Lauraceae Jussieu na Reserva Ecológica de Macaé de Cima, Município de Nova Fraiburgo, Rio de Janeiro, Brasil. Rodriguésia 53(82): 59-121. 2002. Disponível em: <http://rodriguesia.jbrj.gov.br/Rodrig53_82/5-QUINET.PDF>.