Nectandra grandiflora - Canela

Nomes populares

Canela, canela- amarela, canela-bosta, canela-branca, canela-cheirosa, canela-fedida, canela-nhuva, canela-sebo, caneleira, niúva

Nome científico

Nectandra grandiflora Nees

Basionônio

Sinônimos

Gymnobalanus regnellii Meisn.

Nectandra glauca Warm. ex Meisn.

Nectandra grandiflora var. cuneata Meisn.

Nectandra grandiflora var. latifolia Nees

Nectandra grandiflora var. longifolia Meisn.

Nectandra grandiflora var. oblongifolia Nees

Nectandra grandiflora var. obovata Meisn.

Nectandra longifo

Família

Lauraceae

Tipo

Nativa, endêmica do Brasil.

Descrição

Árvore (1,5-) 4-8 (-12) m, ramos negros, arroxeados ou acinzentados, cilíndricos, glabros a fracamente piloso-seríceos, não lenticelados. Folhas alternas, pecíolo 5-11 mm, cilíndrico na face abaxial, canaliculado na face adaxial, estriado, glabro; lâmina, 7-11 x 3,0-4,5 cm, obovada ou raramente elíptica, ápice curto-cuspidado a cuspidado, base atenuada a aguda, não revoluta, margem lisa, coriácea, eucamptódroma na superfície inteira da lâmina, face adaxial glabra, nervura primária sulcada ou impressa, glabra, secundárias e terciárias impressas, glabras, face abaxial glabra, nervura primária e secundárias salientes, glabras, (4-) 5-7 pares, sem tufos de pêlos axilares, terciárias impressas, glabras, laxas. Inflorescências na axila de catafilos ou logo abaixo, acima da inserção do primeiro nó foliar, muito raramente na axila de folhas normais, paniculadas, glabras, as maiores com até o dobro do comprimento das folhas, pedúnculo (1,3-) 2,5-4,6 (-5,5) cm. Flores 6-7 (-8) mm diâm., receptáculo internamente e externamente glabro; tépalas externas elípticas, face abaxial glabra, face adaxial papilosa-tomentosa, tépalas internas oblongas, face abaxial papilosotomentosa com triângulo basal glabro, face adaxial papiloso-tomentosa; anteras das séries I e II quadradas, tranverso-retangulares ou largamente triangulares com ápice agudo, totalmente papiloso-puberulentas, locelos em arco aberto, filetes ausentes, na série III retangulares com ápice truncado, totalmente papiloso-puberulentas, locelos em arco aberto, sendo dois laterais e dois dorsais, filetes ausentes ou até 20% do compr. das anteras, glabros, glândulas globosas, estaminódios clavados, lado ventral glabro, lado dorsal com ápice papiloso-tomentoso; ovário globoso, glabro, estilete com 10-20% do compr. do ovário, estigma capitado. Fruto baga elipsóide, 15-18 x 10-11 mm, cúpula basal. (ZANON, 2007, p. 25).

Característica

Nectandra grandiflora pode ser reconhecida por ter as inflorescências, folhas e a superfície externa do receptáculo glabras, e as inflorescências estarem dispostas, quase que exclusivamente, na axila de catafilos terminais ou logo abaixo, acima da inserção do primeiro nó foliar. A espécie apresenta tronco com casca lisa e madeira com cheiro fortemente adocicado e enjoativo, sendo desagradável, porém diferente de algumas Lauraceae que possuem cheiro de excremento. (ZANON, 2007, p. 29).

Floração / frutificação

Abril a dezembro, frutificando de outubro a fevereiro.

Dispersão

Zoocórica

Hábitat

Cerrado e Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Mista e Densa, Floresta Estacional Semidecidual e Formações Campestres. É encontrada em formações semi-abertas, tais como matas ciliares, capoeiras e mata de pinhais. Planta perenifólia, heliófita até ciófita.

Distribuição geográfica

Centro-Oeste, Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (QUINET, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

A casca do tronco, com a adição de acid costic sesquiterpeno, contém quatro alcalóides aporphine, laurolitsine, laurotetanina, boldina e isoboldina. Estudos preliminares com extrato de álcool da casca revelaram atividade anti-tumor contra o sarcoma 180 e os modelos de carcinoma Ehrlich. O extrato etanólico das folhas resultou no isolamento de dois flavonóides glicosilados que apresentaram atividade antioxidante (MARQUES, 2007, p. 173).

Fitoterapia

Fitoeconomia

Pelo seu porte e tipo de copa, possui propriedades ornamentais. Os frutos também são fonte de alimento para a avifauna. A madeira é macia ao corte e de boa durabilidade, no entanto, exala um cheiro desagradável quando cortada, o que lhe rendeu alguns nomes populares. Pode ser utilizada para caibros, ripas, vigas, obras internas de carpintaria, batentes de portas, cabos de ferramentas, carrocerias e fabricação de móveis.

Injúria

Comentários

Bibliografia

BARBOSA, T. D. M. A Família Lauraceae Juss. no Município de Santa Teresa, Espírito Santo. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Biologia. Campinas, 2009. 230p. il. Disponível em: <http://cutter.unicamp.br/document/?code=000449284>.

CANALEZ, G. G.; CORTE, A. P. D.; SANQUETTA, C. R. Dinâmica da Estrutura da Comunidade de Lauráceas no Período 1995-2004 em uma Floresta de Araucária no Sul do Estado do Paraná, Brasil. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 16, n. 4, p. 357-367. Disponível em: <http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/cienciaflorestal/article/viewFile/1917/1159>.

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -

Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

FLORA ARBÓREA e Arborescente do Rio Grande do Sul, Brasil. Organizado por Marcos Sobral e João André Jarenkow. RiMa: Novo Ambiente. São Carlos, 2006. 349p. il.

MARQUES, T. P. Subsídios à Recuperação de Formações Florestais Ripárias da Floresta Ombrófila Mista do Estado do Paraná, a Partir do Uso Espécies Fontes de Produtos Florestais Não-madeiráveis. Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2007. 244p. Disponível em: <http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/bitstream/1884/14027/1/disserta%C3%A7%C3%A3o%20Themis%20Piazzetta%20Marques%20PDF.pdf>.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

QUINET, A., Baitello, J.B., Moraes, P.L.R. de 2010. Lauraceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB008428).

ZANON, M. M. F.; GOLDENBERG, R.; MORAES, P. L. R. O Gênero Nectandra Rol. ex Rottb. Lauraceae) no Estado do Paraná, Brasil. Acta bot. Bras. 23(1): 22-35. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abb/v23n1/v23n1a04.pdf>.

Nectandra grandiflora http://sites.google.com/site/florasbs/home São Bento do Sul - Santa Catarina
Nectandra grandiflora http://sites.google.com/site/florasbs/home São Bento do Sul - Santa Catarina
Nectandra grandiflora http://sites.google.com/site/florasbs/home São Bento do Sul - Santa Catarina