Desmodium tortuosum - Pega-pega

Nomes populares

Pega-pega, carrapicho, carrapicho-beiço-de-boi, desmódio

Nome científico

Desmodium tortuosum (Sw.) DC.

Basionônio

Hedysarum tortuosum (Sw.) DC.

Sinônimos

Desmodium purpureum (Mill.) Fawc. & Rendle

Hedysarum purpureum Mill.

Meibomia purpurea (Mill.) Vail ex Small

Meibomia tortuosa (Sw.) Kuntze

Família

Fabaceae

Tipo

Nativa, não endêmica do Brasil.

Descrição

Subarbusto a arbusto ereto, cerca de 2m altura; estípula triangular, livre, vilosa, persistente, 5-20mm compr. Folha trifoliolada; pecíolo 6-50mm; raque 5-30mm; estipela estreito-triangular, 1-7mm compr.; folíolos terminal e lateral elípticos, ovais, rômbicos, ápice agudo, mucronulado, base cuneada, ambas as faces híspido-estrigosas, folíolo terminal 1,5-10×0,5- 4,5cm, lateral 1,5-6×0,5-3cm. Inflorescência paniculada, terminal e axilar, eixo principal pubérulo, 10-55cm compr.; bráctea estreito-triangular, triangular, persistente, 2-2,3mm compr.; pedicelo 8-10mm compr.; corola azul a roxa, flor em antese 5-6mm compr.; lacínios do cálice triangulares, pubérulo-ciliados; estandarte largo-oboval, 5×4mm, ápice emarginado, base atenuada, asas elípticas, 5×2mm, pétalas da quilha oblongas, 5×2mm; estames monadelfos; ovário hirsuto, estilete reto, estigma punctiforme. Lomento com ambas margens sinuosas, artículos 1-6, orbiculares a largo-elípticos, achatados, reticulados, tortuosos, uncinado-pubérulos, istmo central, estípite10-15mm compr. (NOBRE, 2008, P. 10).

Característica

Desmodium tortuosum é caracterizada pelo indumento híspido-estrigoso em ambas as faces do folíolo, pelo anel violáceo no ramo formado pelo desprendimento das estípulas e pelos frutos com artículos tortuosos de coloração castanho-escura. Esta espécie assemelha-se a Desmodium distortum pois ambas apresentam hábito subarbustivo a arbustivo e folíolos elípticos, ovais e rômbicos. Entretanto, D. tortuosum possui artículos orbiculares a largoelípticos, tortuosos e D. distortum os apresenta elípticos e não tortuosos. (NOBRE, 2008, p. 11).

Floração / frutificação

Floresce e frutifica praticamente o ano todo.

Dispersão

Epizoocórica

Hábitat

Amazônia, Caatinga, Cerrado e Mata Atlântica, em Formações Campestres e Floresta Estacional Semidecidual.

Distribuição geográfica

Norte (Pará, Amazonas, Rondônia), Nordeste (Ceará, Paraíba, Pernambuco, Bahia), Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (LIMA, 2010).

Etimologia

Propriedades

Fitoquímica

Fitoterapia

É utilizada na medicina caseira contra caspa e como antigonorréico.

Fitoeconomia

É cultivada em muitos lugares como planta forrageira.

Injúria

Planta daninha infestante de culturas perenes, terrenos baldios e beira de estradas. É um grande problema nas culturas de soja do Centro-Oeste Brasileiro.

Comentários

Bibliografia

Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. - Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.

DI STASI, L. C.; HIRUMA-LIMA, C. A. Plantas Medicinais na Amazônia e na Mata Atlântica. Editora UNESP. 2. ed. São Paulo, 2002. 592P. il. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/up000036.pdf>.

LIMA, L.C.P. , Oliveira, M.L.A.A., Tozzi, A.M.G.A. 2010. Desmodium in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB083064).

LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.

NOBRE, A. V. M.; SARTORI, A. L. B.; RESENDE, U. M. As Espécies de Desmodium Desv. (Leguminosae-Papilionoideae-Desmodieae) Ocorrentes no Mato Grosso do Sul. IHERINGIA, Sér. Bot., Porto Alegre, v. 63, n. 1, p. 37-67, jan./jun. 2008. Disponível em: <http://www.fzb.rs.gov.br/publicacoes/iheringia-botanica/Ih63-1-p001-004.pdf>.

PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.

SILVA, R. R. Leguminosae no Planalto Residual do Urucum, Oeste do Pantanal do Mato Grosso do Sul, Brasil: Inventário, Taxonomia e Similaridade Florística. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas. Campinas, 2006. 337p. il. Disponível em: <http://libdigi.unicamp.br/document/?code=vtls000392674>.